Argissolo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Argissolo é uma ordem caracterizada por solos em estádio moderado de intemperismo, com nítida diferenciação entre horizontes, onde os horizontes superficiais são mais arenosos do que o horizonte mais profundo. Em razão de fenômenos diversos, como translocação vertical de argila (iluviação), observa-se nos argissolos que o horizonte subsuperficial apresenta no mínimo 50% a mais de argila do que o horizonte acima dele (seja um horizonte A ou E). A sua caracterização exige a presença do horizonte B textural.[1][2][3]

Critérios[editar | editar código-fonte]

Para que um solo seja categorizado na ordem dos argissolos é obrigatório que ele apresente no pedon um horizonte diagnóstico B textural.[1][4] Este horizonte deve ainda atender às seguintes exigências:

1. Ocorrer abaixo de horizonte A, ou horizonte E.
2. Caso co-ocorra com horizonte plíntico ou horizonte glei, ambos não devem atender aos critérios suficientes para a caracterização de Plintossolo ou Gleissolo, respectivamente.

Em adição, deve também satisfazer ao menos um dos seguintes critérios quanto à natureza da argila:

2.1 Conter argila de atividade baixa; ou
2.2 Conter argila de atividade alta + saturação por bases baixa; ou
2.3 Conter argila de atividade alta + caráter alumínico.

Aptidão Agrícola[editar | editar código-fonte]

Em condições nos quais os argissolos exibem forte contraste textural entre os horizontes, com o superficial bem mais arenoso, com a chuva propicia-se a formação de lençol freático suspenso acima do horizonte B textural, esta condição acarreta na formação de piping (circulação de água subsuperficial por tubos naturais internos), deste modo, por consequência, torna-se o solo suscetível à erosão de voçorocas. Além disso, quando existe um acentuado teor de argila em profundidade, a condutividade hidráulica é baixa, causando restrição à percolação de água e assim suscetibilidade à erosão.[5]

Fluxo de água em Argissolo (Torrado, 2005)

Subordens[editar | editar código-fonte]

1. Argissolo Bruno-Acinzentando
Incorpora argissolos com coloração de média tonalidade laranja (matiz 5 YR) ou mais amarelada, com sobreposição de tons escuros e acinzentados. Esses são encontrados em clima subtropical, nos planaltos de Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e na região gaúcha dos Pampas.
2. Argissolo Acinzentando
Incorpora argissolos com coloração de intensa tonalidade laranja-amarelado (matiz 7,5 YR) ou mais amarelados, com sobreposição de tons acinzentados.
3. Argissolo Amarelo
Incorpora argissolos com coloração de intensa tonalidade laranja-amarelado (matiz 7,5 YR) ou mais amarelados.
4. Argissolo Vermelho
Incorpora argissolos com coloração castanha (matiz 2 YR) ou mais vermelha.
5. Argissolo Vermelho-Amarelo
Incorpora argissolos cujas cores vermelho-amareladas e/ou amarelo-avermelhadas não se enquadram nas classes anteriores.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Correspondência[editar | editar código-fonte]

Em classificações brasileiras mais antigas eram denominados por: Podzólicos Vermelho-Amarelos, Podzólicos Vermelho-Escuros, Podzólicos Amarelos, bem como Alissolos ou Rubrozems.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Santos, Humberto Gonçalves dos, et al. (2018)
    SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS.
    5. ed. rev. e ampl. Brasília, DF : Embrapa. Acessar
  2. Lepsch, Igo Fernado. (2010)
    FORMAÇÃO E CONSERVAÇÃO DOS SOLOS.
    2ª edição, p. 101-103. Oficina de Textos. Acessar
  3. IBGE (2005).
    MANUAL TÉCNICO DE PEDOLOGIA.
    Manuais Técnicos em Geociências, 2ª ed., n.4. Acessar
  4. United States Department of Agriculture (USDA).
    EXAMINATION AND DESCRIPTION OF SOIL PROFILES.
    Natural Resources Conservation Service Soils.
  5. Torrado, Pablo Vidal (2005).
    CONCEITOS E APLICAÇÕES DAS RELAÇÕES PEDOLOGIA-GEOMORFOLOGIA EM REGIÕES TROPICAIS ÚMIDAS.
    Tópicos em Ciência dos Solos, vol. 4, p.177. Acessar
  6. United States Department Of Agriculture (2014).
    KEYS TO SOIL TAXONOMY.
    Natural Resources Conservation Service, 14th edition. «Acessar»