Arlindo Barreto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arlindo Barreto
Nome completo Arlindo Tadeu Barreto Montanha de Andrade
Nascimento 19 de maio de 1953 (64 anos)
Ilhéus, Bahia Bahia
Nacionalidade brasileiro
Ocupação redator, ator e pastor evangélico
Cônjuge divorciado
Página oficial
IMDb: (inglês)

Arlindo Tadeu Barreto Montanha de Andrade, mais conhecido na mídia como Arlindo Barreto (Ilhéus, 19 de maio de 1953), é um ator e pastor evangélico brasileiro, conhecido por ter sido um dos intérpretes do palhaço Bozo.[1][2] Sua vida foi a inspiração para o filme Bingo: O Rei das Manhãs, lançado em 2017.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Arlindo nasceu na cidade de Ilhéus, Bahia, filho da atriz e vedete Márcia de Windsor.[4]

Ele ganhou notoriedade por ter sido um dos intérpretes do palhaço Bozo na década de 1980 no SBT.[1][2]

Enquanto atuava como Bozo, Arlindo viciou-se em drogas. Após alguns anos, converteu-se à Igreja Batista e tornando-se pastor, ao ser impedido de usar o personagem Bozo, criou o palhaço Mr. Clown.[5]

Atualmente coordena o projeto Hidrovia Tietê, filiado a CBESP (Convenção Batista do Estado de São Paulo), que possui um barco que sobe o rio Tietê levando ajuda à população das cidades ribeirinhas, distribuindo alimentos, roupas, remédios e bíblias, além de realizar atendimentos médicos.[4]

Casou-se com Elizabeth Locatelli, produtora do programa Bozo, com quem teve dois filhos. Arlindo já tinha outro filho de um relacionamento anterior. [5]

Após quase 30 anos de relacionamento Arlindo e Elizabeth se divorciaram.

Em 2017 Arlindo aguarda o nascimento de dois netos, frutos do casamento do filho mais velho, que é retratado no filme, e do casamento da filha mais nova, Stacy Locatelli que é atriz e cantora.

Em 2012, trabalhou no SBT com a dupla Patati Patatá.[6]

O filme Bingo: O Rei das Manhãs, acompanhando a vida de Arlindo Barreto, foi lançado em 2017. Dirigido por Daniel Rezende, o longa-metragem traz Vladimir Brichta no papel de Barreto. O nome "Bozo" não foi usado por questões de direito autoral. Em entrevista ao jornal O Globo, Barreto declarou que os eventos mostrados no filme de fato aconteceram, mas de forma diferente. Ele deu permissão para as mudanças por entender que elas aumentariam o efeito dramático, necessário para que o filme fosse interessante – mas fez questão que fosse mostrada sua conversão à Igreja Evangélica.[7]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Como ator[editar | editar código-fonte]

  • 1979 - A Intrusa;
  • 1979 - E Agora José? - Tortura do Sexo;
  • 1979 - As Borboletas Também Amam … Flávio (apresentando)[8];
  • 1979 - Vamos Cantar Disco Baby;
  • 1980 - A Noite das Taras;
  • 1980 - Corpo Devasso;
  • 1980 - Império das Taras;
  • 1980 - O Inseto do Amor;
  • 1980 - Palácio de Vênus;
  • 1981 - A Insaciável - Tormentos da Carne;
  • 1981 - Anarquia Sexual;
  • 1981 - Delírios Eróticos;
  • 1981 - Me Deixa de Quatro;
  • 1982 - A Fábrica das Camisinhas;
  • 1982 - A Primeira Noite de Uma Adolescente;
  • 1982 - Mulheres Liberadas;
  • 1982 - Sexo às Avessas;

Como diretor[editar | editar código-fonte]

  • 1983 - Escândalo na Sociedade;

Como redator[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Edna de Souza Faria (2 de fevereiro de 2013). «PUBLICAÇÕES>HISTÓRIA DE VIDA - Perfil:Arlindo Barreto e Bozo». canalterceiraidade.com.br 
  2. a b «Arlindo Barreto, ex-Bozo, volta à televisão como redator». Globo.com. Extra.globo.com. 17 de maio de 2011 
  3. «'Bingo – O rei das manhãs' recria a vida 'mucho loca' do ator por trás do Bozo». O Globo. 24 de agosto de 2017. Consultado em 28 de agosto de 2017 
  4. a b «Bozo e seus 20 anos de trabalho, Revista Enfoque». Revistaenfoque.com.br 
  5. a b Raquel Freire (dezembro de 2007). «O Palhaço de Deus». Revista Piaui. Consultado em 2 de janeiro de 2017 
  6. Patati Patatá Revista Trip
  7. «Arlindo Barreto, o Bozo, conta o que é verdade ou não em 'Bingo - O Rei das Manhãs'». O Globo. 24 de agosto de 2017. Consultado em 29 de agosto de 2017 
  8. «As Borboletas também Amam». Cinemateca Brasileira 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.