Autour de la Lune

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde janeiro de 2012). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Autour de la Lune
À Volta da Lua (PT)
Viagem ao redor da Lua (BR)
Blanc partout DTAL.jpg
Encontro do projéctil após a aterragem.
Autor(es) Júlio Verne
Idioma Francês
País  França
Série Les voyages extraordinaires
Lançamento 1869
Edição portuguesa
Editora Bertrand
Edição brasileira
Tradução Henrique de Macedo[1]
Editora Ed. Paulo de Azevedo
Cronologia
Vinte Mil Léguas Submarinas
Une ville flottante

Autour de la Lune (À Roda da Lua (título no Brasil) ou À Volta da Lua (título em Portugal)) é um romance de ficção científica do escritor francês Júlio Verne, publicado pela primeira vez em 1869. Trata-se da continuação do livro De la Terre à la Lune (1865),[2][3] esta obra distingue-se por estar bastante fundamentada em áreas da física e matemática da altura, mesmo para um leigo nestas áreas consegue extrair desta obra muitos conceitos fundamentais da mecânica clássica e do cálculo integral.[4] Em 1889, Verne lançaria uma nova sequência de De la Terre à la Lune: Sans dessus dessous, onde os membros do Gun Glub tentam mudar a inclinação da Terra.[5]

De la Terre à la Lune e Autour de la Lune também são comercializados em um único livro.[6]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O livro Da Terra à Lua, termina com o disparo do projéctil para o espaço em direcção à Lua e com a sua suposta órbita em torno da Lua. Autour de la Lune descreve toda essa viagem até à Lua.

A ideia era disparar um grande projéctil com a forma de uma bala gigante com cinco passageiros no seu interior, Barbicane, Miguel Ardam, Nicholl e dois cães, Diana e Satélite, em direcção à Lua. E foi isso que aconteceu, a bala saiu do mega canhão com uma velocidade inicial de 12 000 jardas (cerca de 11 000 metros) por segundo. O impacto foi tal que o cão Satélite acabou por falecer e tiveram que o deitar borda fora.

Toda a trajectória estava previamente definida e segundo os cálculos a bala acertaria em cheio na Lua, mas durante a viagem passou um asteróide perto da bala que devido à sua grande massa e às leis da gravidade afectou essa mesma trajectória.

Quando se aproximaram da Lua, o projéctil em vez de se dirigir para a zona centro do disco lunar, dirigiu-se para o pólo norte do mesmo e não chegou a entrar em contacto com a Lua. Em vez disso entrou em órbita da Lua, onde eles conseguíram observar, devido à luz produzida pelo choque de dois asteróides, alguma vegetação e água na Lua na parte não visível da Terra.

Depois de terem completado uma translação completa em torno da Lua tentaram a partir do auxilio de uns foguetes instalados no projéctil, que serviriam para ajudar a amortecer a queda, dirigir-se contra a Lua e assim conseguírem o seu grande objectivo. Mas por algum erro de cálculo o projéctil foi tirado da influencia da gravidade da Lua para entrar na da Terra, e como ia impulsionado na direcção e sentido do planeta acabou por voltar ao planeta origem.

Acabaram por cair no Oceano Pacífico junto à costa americana, e foram avistados por um navio, que rapidamente foi a Terra em busca de auxilio. Depois de vários dias de buscas acabaram por encontrar o projéctil a flutuar e os seus passageiros a jogar poker.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Autour de la Lune