Belita Palma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Belita Palma
Nascimento 15 de outubro de 1932
Luanda
Morte 1988 (56 anos)
Cidadania Angola
Ocupação cantora

Isabel Salomé Benedito de Palma, mais conhecida como Belita Palma (Luanda, 15 de outubro de 19321988), foi uma cantora angolana, considerada um marco na cultura popular angolana.[1] Com Lourdes Van-Dúnem, é normalmente vista como precursora na arte anticolonialista angolana, em especial na sua participação no N'gola Ritmos, do qual foi vocalista.[2]

Belita Palma nasceu em Luanda a 15 de outubro de 1932, a filha de Rosa da Silva Guimarães Palma e Domingos Benedito Palma. Teve nove irmãos. O seu pai era músico e convivia com importantes músicos de Luanda, em especial Liceu Vieira Dias. Nesse contexto, Belita Palma e a sua irmã, Rosita Palma, iniciaram a compor e cantar, iniciando a produção de clássicos da música popular angolana, como “Nguxi”, “Apolo 12”, “Manazinha” e “Susana”.[1][3]

A sua voz foi considerada "emblemática", o que, após a sua participação no N'gola Ritmos, a leva a lançar uma carreira como solista. Por sua importância musical foi reconhecida postumamente pela Rádio Nacional de Angola (RNA), em 2007. Também foi homenageada em 2009 durante o Prémio Nacional de Cultura e Artes.[3]

Referências

  1. a b Frazão, Aline (3 de abril de 2014). «Manazinha». Rede Angola 
  2. «Morreu cantora angolana Lourdes Van-Dúnem». Agência Pan-Africana de Notícias. 4 de janeiro de 2006. Consultado em 26 de março de 2018 
  3. a b Fortunato, Jomo (11 de janeiro de 2010). «A solenidade da voz e a poética do canto». Jornal de Angola. Consultado em 26 de março de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.