Boaventura Vulcânio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Boaventura Vulcânio
Nome nativo Bonaventure de Smet
Nascimento 30 de junho de 1538
Bruges
Morte 9 de outubro de 1614 (76 anos)
Leida
Cidadania Países Baixos
Alma mater Antiga Universidade de Leuven
Ocupação professor universitário, tradutor, lexicógrafo, secretária executiva
Empregador Universidade de Leiden
Texto holográfico de um poema endereçado por Vulcanius a Janus Dousa, fundador da Universidade de Leiden; escrito em Rotterdam, em 3 de Fevereiro de 1578.
Primeira página do Codex Argenteus.

Bonaventura Vulcanius (Bruges, 30 de junho de 1538Leida, 9 de outubro de 1614) foi um célebre humanista neerlandês.

Seu pai, Pieter de Smet, que já era conhecido pela versão latinizada do seu nome (ferreiro), foi procurador-geral do Grande Conselho de Mechlin e tinha por Erasmo de Roterdão entre seus amigos. Ele deu a seu filho uma educação completa, e Bonaventura estudou primeiro na cidade de Ghent, depois durante dois anos medicina na Universidade Católica de Lovaina, e finalmente filosofia e literatura em Colônia com o teólogo alemão Georgius Cassander (1513-1566).

Em 1559 foi para a Espanha para se tornar secretário de Francisco Mendoza de Bobadilla, bispo de Burgos, até a morte do último em 1566. Depois ele tornou-se secretário do irmão do bispo em Toledo até que este morreu em 1570. Depois disso, Vulcanius obteve o título de professor de grego em Colônia, (embora ele nunca tivesse chegado a lecionar), mais tarde trabalhou para o impressor Henri Estienne (1528-1598) em Genebra. Em 1575, ainda em Genebra, ele publicou (com a ajuda de Estienne) uma edição para eruditos da História de Alexandre, O Grande escrita por Arriano (c.86-160/175), tendo incorporado uma nova tradução latina. Em 1577 voltou para sua terra natal, a Flandres, e se tornou secretário e tutor da família de Marnix van Sint Aldegonde (1540-1598), diplomata, burgomestre de Antuérpia e amigo de Guilherme, O Taciturno (1533-1584).

Em 1578 foi nomeado professor de latim e de grego da Universidade de Leida, onde em 1581 ele (finalmente) chegou e por um período de 30 anos ensinou a futura elite da República da Holanda', destacando-se entre eles Daniel Heinsius (1580-1655) e o renomado jurista holandês Hugo Grotius (1583-1645).

Vulcanius teve acesso ao Códice prata-sobre-púrpura que continha a parte que sobreviveu da antiga tradução da Bíblia em linguagem gótica escrita pelo bispo Wulfila. Em 1597 ele publicou o texto, que foi a primeira publicação conjuntamente com o texto gótico. Ele deu ao manuscrito o nome pelo qual ele ainda é conhecido nos dias de hoje, Codex Argenteus ("Códice" ou "Livro de Prata"), derivado da palavra latina para a prata (Argentum).

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Boaventura Vulcânio