Códice

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fólio 292r do Livro de Kells, que contém o texto que abre o Evangelho segundo João.

Os códices (ou codex, da palavra em latim que significa "livro", "bloco de madeira") eram os manuscritos gravados em madeira, em geral do período da era antiga tardia até a Idade Média. Manuscritos do Novo Mundo foram escritos por volta do século XVI.

O códice é um avanço do rolo de pergaminho, e gradativamente substituiu este último como suporte da escrita. O códice, por sua vez, foi substituído pelo livro.

As primeiras comunidades cristãs foram as responsáveis pela substituição gradual do volumen (o rolo antigo) pelo códice. Nesse sentido, a história da disseminação do códice como modelo de suporte de escrita está diretamente associada à difusão do cristianismo. Os monges e padres da Igreja Cristã primitiva empenhavam-se em conservar tanto obras da cultura judaico-cristã quanto obras da tradição clássica greco-romana, reproduzindo cópias minuciosas em pergaminhos que eram costurados em blocos, formando o códice. Este foi o principal veículo de difusão escrita do cristianismo e de conservação da cultura clássica.[1]

Alguns Códices[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]