Bolero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Bolero (desambiguação).
Bolero
Contexto cultural Fim do século XIX, em Cuba
Instrumentos típicos Violão, piano, instrumentos de sopro
Popularidade Muito popular na América Latina
Subgêneros
Bolero son, Bolero ranchero, Bachata, Bolero moruno
Formas regionais
Argentina, Cuba, México, Porto Rico
Outros tópicos
Música da América Latina

O bolero é um estilo musical cubano, resultado da mescla entre raízes espanholas e africanas que, com o tempo, foi incorporando influências locais de vários países hispano-americanos. Apesar de nascer em Cuba, tornou-se também bastante conhecido como canção romântica mexicana[1] . O ritmo foi se modificando, tornando-se mais lento e desenvolvendo especialmente temas mais românticos. Têm tradição no bolero os seguintes países: Cuba, Porto Rico, República Dominicana, Colômbia, México, Peru, Venezuela , Uruguai, Argentina e Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros boleros surgiram em 1883, na voz do cubano José Sanchéz quando ele e outros cantadores se reuniam na casa de seu genial aluno, Sindo Garay, para festejar, compor e cantar. Posteriormente o estilo também fez muito sucesso no México e depois por toda a América Latina. Sabe-se que o bolero influenciou o samba-canção, mambo (bolero-mambo), o chá-chá-chá e a salsa. Na República Dominicana, surgiu, na década de 1960, uma variante do bolero chamada bachata.

O mais célebre bolero mexicano é Bésame mucho[2] , composto por Consuelo Velásquez (1941), e interpretado, entre outros, por: The Beatles, Plácido Domingo, Diana Krall, João Gilberto, Simone, Cesária Évora, Rosa Passos, Frank Sinatra. Em francês (adaptado por Francis Blanche em 1945): Dalida, Céline Dion, Arielle Dombasle, Michel Petrucciani, Marc Lavoine, Guy Marchand e Lili Boniche.

Em 20 de julho de 2012, foi feito pela primeira vez em Portugal um concerto que juntou o bolero da Colômbia e o Fado no mesmo palco, no Teatro São Luiz.[3] Esse evento foi organizado pela embaixada da Colômbia em Portugal, que marcou a comemoração do dia nacional da Colômbia e contou com a fadista portuguesa Raquel Tavares e a bolerista colombiana Lucía Pulido.

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Dentre os mais conhecidos intérpretes estão: Altemar Dutra (Brasil), Trio Irakitan (Brasil), Nana Caymmi (Brasil), Trio Los Panchos, Agustin Lara, Bienvenido Granda, Lucho Gatica, Pedro Vargas, Consuelo Velásquez, Armando Manzanero, Lucho Barrios, e recentemente Luis Miguel, podendo ser dançado com música atuais como MPB e Baladas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bolero

Referências

  1. Universidade de São Paulo. ""Canções que são para sempre"" (PDF). Consult. 13 de Agosto de 2012. 
  2. EsHoje(jornal). ""Uma noite latino-americana pra mexer com o coração dos capixabas"". Consult. 13 de Agosto de 2012. 
  3. Teatro São Luíz. ""FADO E BOLERO ENCONTRO HISTORICO EM LISBOA"". Consult. 13 de Agosto de 2012.