Caminhos de Fátima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os Caminhos de Fátima são os percursos percorridos pelos peregrinos com destino ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, situado na Cova da Iria, em Fátima.

Origem[editar | editar código-fonte]

O Santuário de Fátima na Cova da Iria é um dos maiores centros internacionais de peregrinação mariana da Igreja Católica.

Desde 1917 que os peregrinos rumam a Fátima, sobretudo para visitar a Capelinha das Aparições, na Cova da Iria, e o local das aparições do Anjo de Portugal, nos Valinhos. No princípio do século passado, peregrinar para este santuário era uma verdadeira experiência de fé. Implicava sair de casa a pé, sem carro de apoio e com a vida às costas, caminhar pelos campos e estradas rurais não sinalizadas, dependendo da generosidade dos habitantes ao longo do caminho para beber, comer e dormir. Com o desenvolvimento vieram as estradas alcatroadas e a generalização das peregrinações junto a vias rodoviárias, acompanhados de carros de apoio logístico; preterindo a experiência de caminhar tranquilamente pelos campos pela chegada rápida e muitas vezes insegura ao Santuário Fátima.

Desde 1998, o Centro Nacional de Cultura (CNC),[1] tem o registo do logótipo no INPI, dos Caminhos de Fátima, desenvolve este projeto de itinerários culturais. Pela mão de Helena Vaz da Silva e Gonçalo Ribeiro Telles nasceu o Caminho do Tejo com marcos e setas azuis, que ligam Lisboa ao Santuário de Fátima, essencialmente por caminhos de campo o Caminho do Mar (de Cascais a Fátima).

Em 2008 foi fundada a Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima.[2] O trabalho desta associação é essencialmente prático e sem fins lucrativos: a marcação de setas do caminho em Portugal (mais de 4.000 setas), manter um site de informações peregrinas www.caminho.com.pt, prestar apoio na preparação de peregrinações, proceder à emissão de credenciais peregrinas, à organização de peregrinações pelos campos, formação de guias peregrinos, acolhimento de peregrinos no albergue do Porto da Luz.

Infelizmente em Maio de 2015 a estatística negra de peregrinos mortos e feridos nas estradas cresceu. Pela primeira vez a nível nacional foi levantada a questão sobre que alternativas seguras existem para as estradas de alcatrão.

  • Caminho do Norte, ligando a Santiago de Compostela ao Santuário de Fátima (225km). O caminho de Fátima a norte usa o Caminho de Santiago em sentido inverso até Ansião. Nesta cidade abandona o Caminho de Santiago e bifurca em direcção a Caxarias. A 3 de Outubro de 2014 este caminho foi marcado e verificado[4] com 722 setas de marcação novas, pela Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima. Deste trabalho resultou a georefenciação detalhada deste percurso.[5]
  • Caminho Nascente , ligando a cidade de Tomar ao Santuário de Fátima (29,4km). Caminho marcado, georeferenciado e aberto em Abril de 2015 pela Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima. Este pequeno caminho foi criado a pensar nos peregrinos de Santiago de Compostela que vão a Tomar e querem visitar o Santuário de Fátima ou vice-versa.
  • Caminho Poente , ligando a cidade da Nazaré ao Santuário de Fátima (53,2km). Caminho marcado, georeferenciado e aberto em Agosto de 2016 pela Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima. Este é provavelmente o caminho mais duro e mais bonito dos quatro caminhos peregrinos assinalados pelos campos rumo a Fátima. O caminho tem marcação bidireccional. É mais duro fazer o percurso Nazaré - Fátima que o percurso inverso.

É considerado um "Caminho de Peregrinos" ao percurso que está devidamente sinalizado como tal, do principio até ao fim, como um percurso seguro.

Esquema dos Caminhos de Fátima - Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]