Parque das Nações

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mergefrom 2.svg
O artigo ou secção Parque das Nações (Lisboa) deverá ser fundido aqui. (desde dezembro de 2013)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Cheque ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).
 Portugal Parque das Nações  
—  Freguesia  —
[[Imagem:
O mais alto edifício de Portugal.
O mais alto edifício de Portugal
Vista de Teleferico
Telecabine
|290 px|none|]]
Brasão de armas de Parque das Nações
Brasão de armas
Localização no concelho de Lisboa
Localização no concelho de Lisboa
Parque das Nações está localizado em: Portugal Continental
Parque das Nações
Localização de Parque das Nações em Portugal
Coordenadas 38° 46' 05" N 9° 05' 38" O
País  Portugal
Região Lisboa e Vale do Tejo
Sub-região Grande Lisboa
Antiga província Estremadura
Distrito Lisboa
Concelho LSB.png Lisboa
Fundação 2013
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente José Moreno (Independente)
Mandato 2013-2017
Área
 - Total 5,44 km²
População
 - Total 21 025
    • Densidade 3 864,9/km2 
Orago Nossa Senhora dos Navegantes
Sítio http://jf-parquedasnacoes.pt/

[1]

Parque das Nações também conhecida por Oriente é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Leste da capital,[2] com 5,44 km² de área[3] e 21 025 habitantes.[4] Densidade: 3 864,9 hab/km².

História[editar | editar código-fonte]

Foi criada no âmbito de uma reorganização administrativa oficializada a 8 de novembro de 2012[5] , que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação de parte da antiga freguesia de Santa Maria dos Olivais, do concelho de Lisboa, com parte das freguesias de Moscavide e Sacavém, ambas do concelho de Loures, conforme a tabela e o mapa apresentados a seguir:

Freguesias antigas Freguesia atual
Brasão Freguesia (Concelho) População (2011) Área Brasão Freguesia (Concelho) População (2013) Área
Total[6] Cedida
(% total)
[nota 1]
Total
(km²)[7]
 % cedida
(estimativa)
[nota 2]
Total[4]  % total atual
(por freguesia
de origem)

[nota 1]
Total
(km²)[3]
 % total atual
(por freguesia
de origem)

[nota 2]
LSB-smariaolivais.png
Santa Maria dos Olivais (Lisboa) 51 036 16 058
(31,5 %)
11,21 26,2 %
Coats of arms of None.svg
Parque das Nações (Lisboa) 21 025 76,4 % 5,44 65,8 %
LRS-moscavide.png
Moscavide (Loures) 14 266 4 184
(29,3 %)
1,10 31,0 % 19,9 % 8,1 %
LRS-sacavem.png
Sacavém (Loures) 18 469 783
(4,2 %)
4,08 34,7 % 3,7 % 26,1 %
Desmembramento da antiga freguesia de Santa Maria dos Olivais e território cedido pelo município de Loures para a criação em 2012 da nova freguesia do Parque das Nações.

A criação da freguesia do Parque das Nações resultou, por isso, num aumento da área do concelho de Lisboa em cerca de 1,87 km²,[nota 3] e igual diminuição da do concelho de Loures, pela transferência de Loures para Lisboa do território situado entre a linha do caminho-de-ferro e o rio Tejo, e entre a antiga linha divisória dos concelhos e o rio Trancão.

Origem do nome da freguesia[editar | editar código-fonte]

Parque das Nações foi a designação dada ao bairro surgido na antiga Zona de Intervenção da Expo, que inclui o local onde foi realizada a Exposição Mundial de 1998 e ainda todas as áreas que estiveram sob administração da ParqueExpo, S.A. Esta área tornou-se, entretanto, um centro de atividades culturais e um novo bairro da cidade, com várias instituições culturais e desportivas próprias.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

A arquitetura contemporânea do Parque das Nações, os espaços de convívio e todo o projeto de urbanização e requalificação urbana trouxeram nova dinâmica à zona oriental da cidade de Lisboa que, em 1990, ainda era uma zona industrial.

Destacam-se, como exemplos da arquitetura presente no Parque das Nações, as abóbadas das plataformas da Gare do Oriente, de Santiago Calatrava, impondo a sua linha arquitetónica; o Pavilhão de Portugal, do arquiteto português Álvaro Siza Vieira, que tem por entrada uma imponente pala de betão pré-esforçado, que se baseia na ideia de uma folha de papel pousada em dois tijolos, abrindo o espaço à cidade para albergar os diversos eventos que um espaço desta escala acolhe.

O Parque dispõe de um Pavilhão do Conhecimento, um moderno museu de ciência e tecnologia com várias exposições interativas; um teleférico transporta os visitantes de uma ponta à outra da área da antiga exposição. De referir ainda o Pavilhão Atlântico, a emblemática Torre Vasco da Gama (o edifício mais alto do país), o Oceanário de Lisboa, um dos maiores aquários do mundo e a Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, concluída em março de 2014.

Aproveitando a sua localização geográfica, o Parque orgulha-se também da sua moderna marina. A Marina Parque das Nações, apresenta 600 postos de amarração destinados a embarcações de recreio, assim como infra-estruturas, preparadas para acolher grandes eventos da atividade náutica, dispondo para o efeito de um cais de eventos e uma Ponte Cais não só para embarcações de cruzeiro ou históricas de grande porte mas também como área de apoio para eventos em terra. A marina ganha assim uma côr especial, ao estar situada em plena reserva natural do estuário do Tejo.

Existem já várias entidades e organizações com origem na comunidade residente do Parque das Nações, como, por exemplo, o Clube Parque das Nações, a Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações, para além de empresas e instituições variadas..

O Parque das Nações é atualmente considerado como um dos bairros mais seguros da cidade de Lisboa.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Parque das Nações

Arruamentos[editar | editar código-fonte]

A freguesia do Parque das Nações contém 197 arruamentos.[8] São eles:

  • Alameda dos Oceanos
  • Avenida D. João II
  • Avenida da Boa Esperança
  • Avenida da Peregrinação
  • Avenida de Berlim[nota 4]
  • Avenida de Pádua[nota 4]
  • Avenida de Ulisses
  • Avenida do Atlântico
  • Avenida do Índico
  • Avenida do Mediterrâneo
  • Avenida do Pacífico
  • Avenida Fernando Pessoa
  • Avenida Infante Dom Henrique[nota 5]
  • Avenida Marechal Gomes da Costa[nota 6]
  • Cabeço das Rolas
  • Cais das Naus
  • Cais do Olival
  • Cais dos Argonautas
  • Cais Português
  • Caminho da Rainha
  • Caminho das Andorinhas
  • Caminho das Cegonhas
  • Caminho das Gaivotas
  • Caminho do Arboreto
  • Caminho dos Estorninhos
  • Caminho dos Flamingos
  • Caminho dos Melros
  • Caminho dos Pardais
  • Caminho dos Pinheiros
  • Caminho dos Rouxinóis
  • Esplanada D. Carlos I
  • Estacada das Gaivotas
  • Estacada do Arboreto
  • Estrada de Moscavide
  • Jardim dos Jacarandás
  • Jardim Garcia de Orta
  • Jardins de Água
  • Jardins Ribeirinhos
  • Largo Bartolomeu Dias
  • Largo Calderon Dinis
  • Largo Diogo Cão
  • Largo das Bicas
  • Largo do Nautilus
  • Largo dos Arautos
  • Largo Maria Judite de Carvalho
  • Largo Ramada Curto
  • Passeio da Ilha dos Amores
  • Passeio da Nau Catrineta
  • Passeio da Vila Expo
  • Passeio das Âncoras
  • Passeio das Fragatas
  • Passeio das Garças
  • Passeio das Gáveas
  • Passeio das Musas
  • Passeio das Tágides
  • Passeio de Neptuno
  • Passeio de Ulisses
  • Passeio do Adamastor
  • Passeio do Amazonas
  • Passeio do Báltico
  • Passeio do Campo da Bola
  • Passeio do Cantábrico
  • Passeio do Levante
  • Passeio do Olimpo
  • Passeio do Parque
  • Passeio do Ródano
  • Passeio do Sapal
  • Passeio do Tejo
  • Passeio do Trancão
  • Passeio dos Argonautas
  • Passeio dos Aventureiros
  • Passeio dos Cruzados
  • Passeio dos Fenícios
  • Passeio dos Heróis do Mar
  • Passeio dos Jacarandás
  • Passeio dos Mastros
  • Passeio dos Navegadores
  • Passeio Júlio Verne
  • Pátio das Fragatas
  • Pátio das Galeotas
  • Pátio das Pirogas
  • Pátio do Sextante
  • Pátio dos Escaleres
  • Porta do Mar
  • Porta do Tejo
  • Praça do Oriente
  • Praça do Príncipe Perfeito
  • Praça do Tejo
  • Praça do Venturoso
  • Praça Gago Coutinho
  • Praça José Queirós[nota 4]
  • Praça Mar da Palha
  • Praceta Adolfo Ayala
  • Rossio do Levante
  • Rossio dos Olivais
  • Rotunda da Expo 98
  • Rotunda das Oliveiras
  • Rotunda do Parque
  • Rotunda dos Vice-reis
  • Rua Alfredo Portela Santos
  • Rua António Variações
  • Rua Câmara Reis
  • Rua Capitão Cook
  • Rua Carlos Daniel
  • Rua Carlos Paião
  • Rua Chen He
  • Rua Comandante Cousteau
  • Rua Corsário das Ilhas
  • Rua da Balestilha
  • Rua da Centieira
  • Rua da Cotovia
  • Rua da Ilha dos Amores
  • Rua da Nau Catrineta
  • Rua da Pimenta
  • Rua das Bússolas
  • Rua das Caravelas
  • Rua das Galés
  • Rua das Musas
  • Rua das Urcas
  • Rua das Velas
  • Rua das Vigias
  • Rua de Moscavide
  • Rua do Adeus Português
  • Rua do Bojador
  • Rua do Cais das Naus
  • Rua do Caribe
  • Rua do Congo
  • Rua do Conselheiro Lopo Vaz
  • Rua do Danúbio
  • Rua do Ebro
  • Rua do Eufrates
  • Rua do Fogo de Santelmo
  • Rua do Ganges
  • Rua do Indo
  • Rua do Kuanza
  • Rua do Leme
  • Rua do Mar da China
  • Rua do Mar do Norte
  • Rua do Mar Vermelho
  • Rua do Nilo
  • Rua do Oder
  • Rua do Pólo Norte
  • Rua do Pólo Sul
  • Rua do Príncipe do Mónaco
  • Rua do Professor Picard
  • Rua do Reno
  • Rua do Rio da Prata
  • Rua do Rio das Pérolas
  • Rua do Sena
  • Rua do Tamisa
  • Rua do Tibre
  • Rua do Volga
  • Rua do Zambeze
  • Rua dos Argonautas
  • Rua dos Aventureiros
  • Rua dos Cruzados
  • Rua Dr. Rui Gomes de Oliveira
  • Rua Dra. Sara Benoliel
  • Rua Fernando Bento
  • Rua Finisterra
  • Rua Gaivotas em Terra
  • Rua Gonçalo Mendes da Maia
  • Rua Henrique Medina
  • Rua Jaime Mendes
  • Rua Jangada de Pedra
  • Rua João Pinto Ribeiro
  • Rua José Campas
  • Rua Manuel Mendes
  • Rua Mário Botas (ao Parque das Nações)
  • Rua Mário Viegas
  • Rua Menina do Mar
  • Rua Nova dos Mercadores
  • Rua Padre Abel Varzim
  • Rua Padre Joaquim Alves Correia
  • Rua Palhaço Luciano
  • Rua Pedro e Inês
  • Rua Roald Amundsen
  • Rua Sinais de Fogo
  • Rua Vasco da Gama Rodrigues
  • Terreiro das Ondas
  • Terreiro dos Corvos
  • Travessa Corto Maltese
  • Travessa da Canela
  • Travessa da Malagueta
  • Travessa das Corujas
  • Travessa de Beirolas
  • Travessa do Açafrão
  • Travessa do Gengibre
  • Travessa do Gil
  • Travessa do Poço
  • Travessa dos Mochos
  • Travessa dos Pintassilgos
  • Travessa Gulliver
  • Travessa Robinson Crusoé
  • Travessa Sandokan
  • Travessa Sindbad, O Marinheiro
  • Via do Oriente

Notas

  1. a b Valores determinados comparando os dados apurados nos Censos 2011[6] para as antigas freguesias com os dados recalculados em 2013[4] para os novos limites administrativos.
  2. a b Os dados oficiais não especificam as áreas dos territórios cedidos por cada antiga freguesia. Os valores aqui apresentados resultam de um cálculo feito comparando áreas em mapas de projeção ortográfica feitos com base nos limites oficiais das antigas e das atuais freguesias (respetivamente, CAOP 2012.1[7] e CAOP 2013[3] ).
  3. A diferença entre a área indicada na CAOP2013[3] e na CAOP2012.1[7] é bem maior, devido à mudança de critérios no apuramento das áreas: na CAOP 2012.1, o território das freguesias ribeirinhas de Lisboa terminava à beira-rio, enquanto na CAOP 2013 se considera que o território se prolonga até ao talvegue do rio Tejo.
  4. a b c Partilhada com a freguesia dos Olivais.
  5. Partilhada com as freguesias de Beato, Marvila, Olivais, Penha de França, São Vicente e Santa Maria Maior.
  6. Partilhada com as freguesias de Alvalade, Marvila e Olivais.

Referências

  1. A heráldica das antigas freguesia mantém-se, neste caso, de Santa Maria dos Olivais.
  2. Câmara Municipal de Lisboa. Zonas de gestão (Unidades de Intervenção Territorial). Visitado em 30/12/2014.
  3. a b c d Instituto Geográfico Português (2013). Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013 (XLS-ZIP) Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013 Direção-Geral do Território. Visitado em 28/11/2013.
  4. a b c INE (2013). Censos 2011 - População residente por freguesia, CAOP 2013 (CSV) Instituto Nacional de Estatística. Visitado em 14/05/2014. "Dados populacionais de 2011, recalculados para os limites administrativos da Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013."
  5. Lei n.º 56/2012 (Reorganização administrativa de Lisboa). Diário da República, 1.ª Série, n.º 216. Acedido a 25/11/2012.
  6. a b INE (2012). Quadros de apuramento por freguesia (XLSX-ZIP) Censos 2011 (resultados definitivos) Instituto Nacional de Estatística. Visitado em 27/07/2013. "Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_LISBOA""
  7. a b c IGP (2012). Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2012.1 (XLS-ZIP) Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2012.1 Instituto Geográfico Português. Visitado em 30/07/2013.
  8. Câmara Municipal de Lisboa (CML) - Toponímia de Lisboa

Ligações externas[editar | editar código-fonte]