Capão do Leão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Minas do Leão.
Município de Capão do Leão
Bandeira de Capão do Leão
Brasão de Capão do Leão
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 03/05
Fundação 3 de maio de 1982 (37 anos)
Gentílico leonense
Padroeiro(a) Santa Tecla
Prefeito(a) Mauro Nolasco (PT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Capão do Leão
Localização de Capão do Leão no Rio Grande do Sul
Capão do Leão está localizado em: Brasil
Capão do Leão
Localização de Capão do Leão no Brasil
31° 45' 46" S 52° 29' 02" O31° 45' 46" S 52° 29' 02" O
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Mesorregião Sudeste Rio-grandense IBGE/2008[1]
Microrregião Pelotas IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Pelotas, Rio Grande, Morro Redondo, Cerrito, Pedro Osório e Arroio Grande
Distância até a capital 265 km
Características geográficas
Área 785,374 km² [2]
População 25 441 hab. est. IBGE/2016[3]
Densidade 32,39 hab./km²
Altitude 21 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,77 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 405 624,000 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 16 633 47 IBGE/2012[5]

Capão do Leão é um município do estado do Rio Grande do Sul, no Brasil.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Capão" é uma palavra de origem tupi. Possui duas etimologias possíveis:

  • "mato redondo", através da junção dos termos ka'a ("mata") e pu'ã ("redondo")[6].
  • "intervalo de mata", através da junção dos termos ka'a ("mata") e pa'um ("intervalo")[7].

História[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 31º45'48" sul e a uma longitude 52º29'02" oeste, estando a uma altitude de 21 metros.

Possui uma área de 784 716 km² e sua população estimada em 2010 era de 24.300 habitantes.

Em seu território está localizada a segunda maior serra de granito do mundo[carece de fontes?].

O território leonense é banhado pelos arroios São Pedro e Padre Doutor, e pelo canal São Gonçalo, o município é cortado pela linha férrea que liga Rio Grande a Cacequi, e pelas BRs 116 e 293.

Distritos e Bairros[editar | editar código-fonte]

O município conta com três distritos: Pavão, Hidráulica e Passo das Pedras.

Conta também com 6 bairros: Centro, Teodósio, Cerro do Estado, Parque Fragata e Jardim América (maior bairro do município maior do que a própria sede da cidade) e com vilas como a vila da palha, vila nova(Pombal) vila Maria, Sítio São Marcos, Loteamento Zona Sul, Vila Armazém Brasil ( uma das mais antigas da cidade). Capão do Leão conta também com a UFPEL com sede no bairro Jardim América na localidade da Embrapa onde há um intenso fluxo de trânsito e de pessoas.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Brasão do município[editar | editar código-fonte]

Em 1984, foi montado um concurso para definir um brasão para o Capão do Leão. Quem ganhou o concurso foi um militar e o prêmio foi entregue pelo prefeito Madruga, junto com a inauguração da biblioteca pública em 7 de setembro de 1984.

É um brasão tripartido onde na parte superior há um leão e uma pedra representando a pedra da bandeira. Na parte inferior esquerda há um vacum representando a pecuária, forte no município e, na direita, as plantações de arroz.

Segundo estudiosos de heráldica, o brasão está fora das regras.

Economia[editar | editar código-fonte]

A base da economia leonense é a agricultura, seguida do extrativismo mineral em geral, comércio, indústrias de pequeno, médio e grande porte, e também a prestação de serviços.

As grandes indústrias instaladas em Capão do Leão são a Cosulati (Danby|Cosulati), a Avipal, SLC Marfrig, BBM Logistica e a Votorantim Celulose e Papel , a SBS Engenharia e a Ivaí Engenharia.

Mídia[editar | editar código-fonte]

VHF

UHF

HDTV

Em Implantação

Rádios AM[editar | editar código-fonte]

  • Rádio Pelotense (620 kHz)
  • Rádio Cultura (1320 kHz)
  • Rádio Cultura Rio Grandina (740 kHz)
  • Rádio Minuano (1410 kHz)
  • Rádio Cassino (830 kHz)
  • Rede Cidade RS (1550 kHz)

Rádios FM[editar | editar código-fonte]

  • Rádio Comunitária América FM (87,9 MHz)
  • Rádio Atlântida FM (95,3 MHz)
  • Rádio Dez FM (91,9 MHz) "ÚNICA EMISSORA COMERCIAL DE CAPÃO DO LEÃO"
  • Rádio Alegria FM (89,5 MHz)
  • Rádio Federal FM (107,9 MHz)
  • Rádio Marinha FM (102,7 MHZ)
  • Rádio Oceano FM (97,1 MHZ)
  • Rádio União FM (99,9 MHZ)
  • Rádio Rede Aleluia FM (93,3 MHZ)
  • Rádio Mais Nova FM (94,5 MHZ)
  • Rádio Gaúcha FM (102,1 MHZ)

Fatores Estratégicos Positivos[editar | editar código-fonte]

A proximidade com a cidade de Pelotas (Polo Regional) e Rio Grande (Polo Naval) e as rodovias BR-116, BR-392 e a BR-293, que cruzam o território municipal o que contribui para o escoamento da produção da região.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Destacam-se, no município, o Cerro das Almas (antes conhecido como Serranía del Pabón, segundo um mapa do século XVIII); as pedreiras, principal atividade econômica do município; a Estância Santa Tecla e a Cacimba do Padre Doutor (tio do patrono da imprensa brasileira, Hipólito José da Costa); as cercas de pedra da época dos escravos; o Túmulo do Enforcado; os obeliscos de pedra em comemoração ao fim da Primeira Guerra Mundial e da Segunda Guerra Mundial; a Ferrovia Rio Grande-Cacequi; a Mesa de Pedra (marco de topografia do exército de 1949); a Toca do Miguel; a Gruta das Santinhas, no antigo Horto Florestal; a Pedra do Dedo (formação rochosa batizada assim pelos moradores); o monumento símbolo de Capão do Leão; a estátua de bronze em homenagem aos graniteiros; o busto de Elberto Madruga (primeiro prefeito da cidade); e a Pedra da Bandeira, que já não existe mais. Entretanto, a maioria desses marcos está correndo risco ou simplesmente foi abandonado, a mercê de ladrões e vândalos.[8]

Política[editar | editar código-fonte]

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

  • Elberto Madruga (1983/1985) – faleceu em 1985, sendo substituído pelo vice, Getúlio Victória
  • Getúlio Victória (1985-1989)
  • Manoel Nei Neves (1989/1992)
  • Getúlio Victória (1993/1996)
  • Manoel Nei Neves (1997/2000)
  • Vilmar Schmitt (2001/2004)
  • Vilmar Schmitt (2004/2008)
  • João Quevedo (2009/2012)
  • Claudio Vitória (2013/2016)
  • Mauro Nolasco (2017/2020)

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros em 01.07.2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 23 de junho de 2017 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.340
  7. NAVARRO, E. A. Método Moderno de Tupi Antigo. Terceira edição. São Paulo: Global, 2005. p.168
  8. «FARIAS, Bruno Martins. MEMÓRIAS LEONENSES: personagens, lugares históricos e lendas de Capão do Leão. São José. Trabalho de Conclusão de Curso, Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina, 2009. Disponível em:<www.memoriasleonenses.xpg.com.br>». Consultado em 8 de maio de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]