Carlos Herculano Lopes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Carlos Herculano Lopes
Nascimento 23 de outubro de 1956 (65 anos)
Coluna
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista, escritor

Carlos Herculano Lopes (Coluna, 27 de outubro de 1956) é um jornalista e escritor brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlos nasceu no Vale do Rio Doce (MG), filho de Iracema Viana de Oliveira, professora de primário. Ainda criança foi incentivado por sua mãe e professora a se aproximar da literatura. Aos 11 anos se mudou para Belo Horizonte, onde estudou no Colégio Arnaldo.[2] Se formou em Comunicação Social.[3]

Em 1977, atuou como foi secretário do suplemento literário do Jornal de Minas e dois anos depois passou a trabalhar no jornal Estado de Minas,[4] onde ainda hoje é repórter do caderno EM Cultura.

Em sua atuação como roteirista, adaptou para o cinema dois de seus romances, Sombras de julho e O vestido, com os diretores Marco Altberg e Paulo Thiago, respectivamente.[4]

Em 1980, e aos 24 anos, Carlos Herculano estreou na literatura com a edição independente de O Sol nas Paredes, livro de contos que o próprio autor encarregava-se de vender em bares e faculdades. Seu segundo livro foi Memórias da Sede, também de contos. O terceiro livro foi o romance A Dança dos Cabelos (1984) e o quarto, o também romance Sombras de Julho. Em 1987, conquistou o Prêmio Lei Sarney, como autor-revelação. O Pescador de Latinhas reúne uma coletânea de crônicas publicadas pelo autor no jornal Estado de Minas. Lançou também Coração aos Pulos, Entre BH e Texas e O Vestido, romance baseado em um dos mais conhecidos poemas de Carlos Drummond de Andrade, "Caso do vestido".

Obras[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

  • A Dança dos Cabelos – 1984, Record
  • Sombras de Julho – 1991, Atual
  • O Último Conhaque – 1995, Record
  • O Vestido – 2004, Geração Editorial
  • Poltrona 27 - Editora Record

Contos & crônicas[editar | editar código-fonte]

  • O Sol nas paredes - 1980, Pulsar
  • Memórias da sede - 1982, Leme
  • Coração aos Pulos – 2001, Record
  • O Pescador de Latinhas – 2001, Record
  • Entre BH e Texas – 2004, Record
  • O Chapéu do seu Aguiar - 2006, Leitura
  • A Ostra e o Bode - 2007 , Record

Edições estrangeiras[editar | editar código-fonte]

  • Itália – O Vestido (Il Vestito) - 2005, Cavallo di Ferro
  • Itália - Sombras de julho (Ombre di Luglio) - 2008, Il Fillo

Prêmios e Homenagens[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Carlos Herculano Lopes». Itaú Cultural 
  2. «Ícone da nova safra da literatura mineira, Carlos Herculano Lopes fala de sua obra». Tribuna Luziense. 20 de maio de 2015. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  3. Jesus, B. P., Ribeiro, A. P. «Um estudo comparado entre a fonte drummondiana que dá origem ao romance O Vestido de Carlos Herculano Lopes» (PDF). Universidade Estadual de Goiás. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  4. a b c d e Bulhões, R. M., Menzotti, L. A. (Dezembro de 2015). «A voz e o modo em O Último Conhaque, de Carlos Herculano Lopes». Revista de Estudos Literários da UEMS. ISSN 2179-4456. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  5. a b c d «Carlos Herculano, escritor mineiro, ministra palestra neste mês de novembro». UFMG. 31 de outubro de 2018. Consultado em 31 de janeiro de 2022