Carlos I da Hungria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carlos I da Hungria
Nascimento 1288
Nápoles
Morte 16 de julho de 1342 (54 anos)
Visegrád
Sepultamento basílica de Székesfehérvár, Székesfehérvár
Cidadania Hungria
Progenitores Mãe:Clemência de Habsburgo
Pai:Carlos Martel de Anjou
Cônjuge Isabel Łokietek, Beatriz de Luxemburgo, Maria de Bytom, Maria de Halych
Filho(s) Luís I da Hungria, André, Duque da Calábria, Estêvão, Duque da Eslavônia, Catarina da Hungria, duquesa de Świdnica, Coloman da Hungria
Irmão(s) Clemência da Hungria, Beatriz da Hungria
Ocupação político
Arms of Charles Robert of Hungary.svg

Carlos I da Hungria (Nápoles, 1288Visegrád, 16 de julho de 1342), também conhecido como Carlos Roberto (Károly Róbert, em húngaro), foi rei da Hungria de 27 de agosto de 1310 até a sua morte.[1] Fundador da dinastia angevina da Hungria, era neto do Rei Carlos II de Nápoles com Maria, e filho de Carlos Martel de Anjou com Clemência de Habsburgo, filha do Sacro Imperador Romano Germânico Rodolfo I.

Carlos reivindicou a coroa húngara na qualidade de bisneto do Rei Estêvão V, com o apoio do papa. Deslocou-se de Nápoles para a Dalmácia em 1300 e, em seguida, para Esztergom, onde foi coroado rei após a morte, em 1301, do último soberano da linhagem dos Árpád, André III. Foi forçado, porém, a passar a coroa a Venceslau III da Boêmia. Este, por sua vez, transferiu seus direitos ao trono para Otão III da Baviera em 1305, o qual terminou por ser aprisionado por rebledes húngaros. Carlos foi então entronizado em Buda, em 15 de junho de 1309, mas a cerimônia não foi considerada válida até a sua coroação em Székesfehérvár, em 27 de agosto de 1310, com a santa coroa húngara, que havia sido recuperada das mãos de nobres rebeldes.

Nos três anos seguintes, Carlos viu-se forçado a lidar com uma série de rebeliões, até a sua vitória em Rozhanovce (Rozgony, em húngaro), em 1312, que consolidou o seu controle sobre o país.

Após anos de anarquia, Carlos impôs ordem na Hungria por meio de um regime absolutista. Procurou reduzir o poder da grande nobreza. As reformas fiscal e monetária que empreendeu produziram grande prosperidade para o país e a classe mercantil. No campo da política externa, aliou-se à Polônia contra os Habsburgos e os boêmios. Na fronteira meridional, sua derrota na batalha de Posada significou a independência da Valáquia.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Carlos I da Hungria». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 25 de novembro de 2019 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carlos I da Hungria
Precedido por
Otão III
Rei da Hungria
13081342
Sucedido por
Luís I