Catedral Metropolitana de Belo Horizonte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Catedral Cristo Rei

Sé Metropolitana de Belo Horizonte

Projeto do templo
Construção 2013 - atualmente
Diocese Arquidiocese de Belo Horizonte
Geografia
País Brasil
Local Belo Horizonte,  Brasil
Coordenadas 19° 49' 13" S 43° 56' 44" O

A Catedral Metropolitana de Belo Horizonte - Cristo Rei é um templo religioso católico brasileiro, ainda em construção, localizado em Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais. Trata-se do último projeto do arquiteto Oscar Niemeyer para a cidade.[1][2][3]

A catedral é dedicada ao Cristo Rei, de acordo com escolha do bispo Antônio dos Santos Cabral, que chegou a Belo Horizonte em 1922 para instalar a diocese da capital. A proposta original para localização da catedral seria a Praça Milton Campos, no alto da avenida Afonso Pena, na região Centro-Sul da cidade, numa época em que só havia três templos: a Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, sede provisória da diocese, a Igreja de São José e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. O local originalmente escolhido para a edificação foi um terreno na avenida Cristiano Machado, na região de Venda Nova.

Projeto, Obra e Arquitetura[editar | editar código-fonte]

O projeto de arquitetura foi executado por Oscar Niemeyer, em 2006, a pedido do arcebispo Dom Walmor Oliveira de Azevedo.[4] O arquiteto projetou a obra em estilo de arquitetura moderna para um terreno de 24 mil metros quadrados. A estrutura terá três pavimentos com a nave sobre o terceiro deles, sob uma estrutura de 100 metros de altura, que são os pórticos da Verdade e da Justiça, que simbolizam mãos em posição de oração.[5]

As obras, financiadas por doações iniciaram-se em 2013 e o término está previsto para o ano de 2025.[6] Em 2016, foram concluídos os três pavimentos que integram o setor da Acolhida Solidária Dom Luciano Mendes de Almeida. Durante as obras, houve celebrações religiosas no local e visitas guiadas.[7]

Catedral de Cristo Rei, em construção.

A catedral terá capacidade para cinco mil pessoas sentadas. Em eventos maiores, o templo poderá receber até vinte mil pessoas. A área construída será de quarenta e quatro mil metros quadrados, considerando-se o templo, três andares abaixo da praça e estacionamento. Para a realização do projeto, houve campanha de doações entre os devotos.[9]

Transferência oficial[editar | editar código-fonte]

Em 11 de fevereiro de 2021, por ocasião da comemoração do centenário da Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo oficialmente concedeu ao templo, ainda em construção, o título de Catedral. Com isso, a Igreja da Boa Viagem finalmente encerrou seu papel como Catedral Provisória do Arcebispado de Belo Horizonte[3][10]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • NIEMEYER, Oscar. Oscar Niemeyer: 1999-2009. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009.

Referências

  1. Gustavo Werneck (12 de dezembro de 2012). «Última obra de Oscar Niemeyer, nova catedral de BH chega a nova etapa graças a doações». Estado de Minas. Consultado em 25 de outubro de 2016 
  2. «A Catedral Cristo Rei». Catedral Cristo Rei. Consultado em 25 de outubro de 2016 
  3. a b «Arquidiocese transfere título de catedral da Igreja da Boa Viagem para a nova Igreja Cristo Rei». HOME. Consultado em 15 de julho de 2021 
  4. «Obra / Arquitetura». Fundação Oscar Niemeyer. Consultado em 25 de outubro de 2016 
  5. «Catedral Cristo Rei começa a ganhar forma». Estado de Minas. 7 de outubro de 2015. Consultado em 25 de outubro de 2015 
  6. TEMPO, O. (11 de novembro de 2020). «Construção da Catedral Cristo Rei, em BH, pode ser concluída em cinco anos». Cidades. Consultado em 15 de julho de 2021 
  7. «G1 - Catedral Cristo Rei inicia nova etapa de obras em Belo Horizonte - notícias em Minas Gerais». G1 – O portal de notícias da Globo. 14 de maio de 2015. Consultado em 25 de outubro de 2016 
  8. NIEMEYER, Oscar (2009). Oscar Niemeyer: 1999-2009. Rio de Janeiro: 7Letras. p. 70 
  9. Werneck, Gustavo (21 de maio de 2017). «Obra da Catedral Cristo Rei, em BH, chega à metade do cronograma previsto». Estado de Minas. Consultado em 28 de agosto de 2017 
  10. «transferência do título de catedral metropolitana». Aquidiocese de Belo Horizonte. Consultado em 29 de dezembro de 2021