Catedral Metropolitana de Manaus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Catedral Metropolitana de Manaus
Igreja Matriz
Vista da Catedral em 2015
Arquiteto Sebastião José Basílio Pyrrho
Início da construção 23 de julho de 1858 (161 anos)[1]
Inauguração 15 de agosto de 1878 (141 anos)[2]
Religião Católica
Diocese Arquidiocese de Manaus
Ano de consagração 27 de abril de 1892 (127 anos)
Website arquidiocesedemanaus.org.br
Geografia
País  Brasil
Cidade Manaus, AM
Endereço Praça Oswaldo Cruz - Centro
Coordenadas 3° 08' 06.45" S 60° 01' 31.55" O

A Catedral Metropolitana de Manaus – Nossa Senhora da Conceição, também conhecida como Igreja Matriz, é um templo religioso católico localizado no município brasileiro de Manaus, capital do estado do Amazonas. É o principal templo católico da cidade, remontando aos missionários carmelitas que, em 1695, ergueram a primeira Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Seu pároco atualmente é o padre Joaquim Hudson Ribeiro.[3]

A fachada divide-se em dois andares, com poucos elementos ornamentais. Os seis sinos da igreja foram importados de Portugal e instalados em 1875. Até hoje, a catedral mantém uma posição de destaque na paisagem do Centro de Manaus. Localizada sobre uma pequena elevação, em frente ao Porto de Manaus, a catedral foi a primeira grande obra arquitetônica realizada na cidade.[4]

Entre os acontecimentos que marcaram sua história, estão as visitas da Família Imperial Brasileira, em 1927, e do Papa João Paulo II, em 10 de julho de 1980, quando fez sua primeira viagem ao Brasil.[5]

História[editar | editar código-fonte]

16591786: Primórdios[editar | editar código-fonte]

Primeira igreja erguida após a fundação de Manaus, a Catedral Metropolitana foi construída em 1695 por missionários carmelitas. Era uma construção simples e rústica. A obra foi reconstruída pelo então presidente da Província, Manoel da Gama Lobo d’Almada, que ampliou suas instalações. Alguns índios foram admitidos na obra, em 1872, oriundos principalmente de aldeias de Canumã, Abacaxis, Uaranã, São Gabriel e Rio Branco, mas logo foram devolvidos às suas origens por não falarem a língua geral, língua praticada na época, segundo o historiador Mário Ypiranga Monteiro, o que dificultava a execução dos trabalhos. Em 1786 é construída a futura Catedral Metropolitana de Manaus.[6]

A Catedral de Manaus em 1890.

18501900: Incêndio e ressurgimento[editar | editar código-fonte]

Em 2 de julho de 1850 a Catedral foi completamente destruída por um incêndio. Não restaram documentos, mas os relatos encontrados em publicações não-oficiais referem-se a ele como acidental e teria ocorrido entre 19 e 20 horas, a partir de um tocha que tinham deixado acesa debaixo do púlpito, depois de recolhida a procissão de penitência que fizeram naquele dia. O fato abalou a sociedade da época. [carece de fontes?]

No dia 20 de agosto de 1852, o escrivão interino da câmara eclesiástica, João Manuel de Sousa Coelho, declarou que a edificação estava inutilizada, com poucos ornamentos que escaparam do incêndio. A exceção foram as imagens que estavam nos andores, no corpo da igreja. O vaso que continha o Santíssimo Sacramento foi salvo pelo estudante Manuel Jose dos Santos Flecha, que correu ao altar conseguiu levá-lo para a capela do seminário.[7]

Em 1855 é autorizado o gasto para a construção de uma nova Igreja Matriz. A pedra fundamental da atual catedral foi lançada solenemente em 23 de julho de 1858 por Francisco José Furtado, presidente da Província. Quem desenhou a planta da Igreja Matriz foi o engenheiro arquiteto capitão Sebastião José Basílio Pyrrho. A obra foi executada pelo mestre-pedreiro Francisco Canejo que trabalhou durante Vinte anos se passaram entre o lançamento da pedra fundamental e a sua inauguração.[6]

O prédio atual da nova igreja da Matriz foi inaugurado 15 de agosto de 1878. Voltada para o rio Negro, com suas belas escadarias que sugerem o desenho de uma lira, o prédio impressiona pela sua beleza e sobriedade. A fachada divide-se em dois andares, com poucos elementos ornamentais. Os seis sinos da igreja foram importados de Portugal e instalados em 1875. Até hoje, a igreja mantém uma posição de destaque na paisagem do centro da cidade.

18921946: Criação da Diocese do Amazonas e elevação à catedral[editar | editar código-fonte]

A Diocese do Amazonas foi criada em 27 de abril de 1892 pela Bula Ad Universas Orbis Ecclesia do Papa Leão XIII, desmembrada da então Diocese de Belém do Grão-Pará (atual Arquidiocese de Belém do Pará), tinha apenas duas paróquias: Nossa Senhora da Conceição e Nossa Senhora dos Remédios. Em 1927 a catedral recebe a visita de membros da Família Imperial Brasileira e assistem a uma missa na igreja matriz. [carece de fontes?]

A Dedicação da Igreja Matriz como Catedral ocorreu em 24 de março 1946, sendo o Bispo Diocesano do Amazonas Dom João da Mata Andrade e Amaral. A Cerimônia concluiu-se com uma procissão para a Praça do Congresso, com participação das paróquias e associações religiosas. A Catedral ainda conserva, à direita de sua entrada principal um mausoléu com os restos mortais de Dom Lourenço Costa Aguiar, bispo à época de sua fundação.[6]

1980: A visita do Papa João Paulo II[editar | editar código-fonte]

Após a oficialização de Nossa Senhora da Conceição como padroeira do Amazonas em 1950, a Catedral recebeu ainda a visita do Papa João Paulo II para um encontro com autoridades eclesiásticas em julho de 1980.[5] A cadeira que ele utilizou ao celebrar a missa campal na cidade está guardada no museu da igreja.[8]

20012002: Restauração[editar | editar código-fonte]

A Igreja Matriz sofreria sua última grande restauração entre 2001 e 2002. A partir daí, a catedral passou a abrigar em uma de suas alas um museu que permite observar a história e o acervo do local. Entre os itens disponíveis, o público pode ver objetos utilizados pelo papa João Paulo II, em sua visita a Manaus no ano de 1980. Na ocasião, o pontífice chegou a discursar no local.[9] O dia de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira do Estado do Amazonas, é comemorado em 8 de dezembro – com o aniversário dessa Paróquia – quando realizam-se as tradicionais procissão e missa.[10]

Referências

  1. catedralnsconceicao.org. «A Catedral». Consultado em 24 de julho de 2018 
  2. catedralnsconceicao.org. «A Catedral». Consultado em 24 de julho de 2018 
  3. «Dom Sérgio Castriani empossa novo pároco da Catedral, Pe. Hudson». Arquidiocese de Manaus. 5 de fevereiro de 2017. Consultado em 19 de junho de 2017 
  4. «Praça que representa mudança histórica da cidade será entregue na quarta-feira - Prefeitura Municipal de Manaus». Prefeitura Municipal de Manaus 
  5. a b «Viagem Apostólica ao Brasil: Encontro com o Clero (Catedral de Manaus, 10 de julho de 1980) | João Paulo II». w2.vatican.va. Consultado em 24 de julho de 2018 
  6. a b c «A Catedral - Catedral Nossa Senhora da Conceição». Catedral Nossa Senhora da Conceição. Consultado em 24 de julho de 2018 
  7. «O Incêndio - Catedral Nossa Senhora da Conceição». Catedral Nossa Senhora da Conceição. Consultado em 24 de julho de 2018 
  8. «Curiosidades - Catedral Nossa Senhora da Conceição». Catedral Nossa Senhora da Conceição. Consultado em 24 de julho de 2018 
  9. «Prédios de Manaus revelam memórias arquitetônicas do auge da Borracha». Manaus de Todas as Cores 2014. 24 de outubro de 2014 
  10. «Projeto original de restauração da Matriz - Instituto Durango Duarte». Instituto Durango Duarte - Site institucional 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Teatro Amazonas

Templo de Manaus

Centro Histórico de Manaus