Ciências duras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Modelo de dispersão da luz e mudança das velocidades.

Ciências duras (em inglês, Hard Sciences) é o agrupamento das ciências que se utilizam da observação sistemática, experimentos e às vezes da matemática pura como obtenção de conhecimento. Nas ciências exatas, os experimentos devem ser reproduzíveis (se o experimento for feito uma segunda vez, terá que produzir os mesmos resultados obidos na primeira vez). Além disso, nas ciências duras geralmente há um acordo universal sobre o que se é conhecido com certeza. Este não é o mesmo cenário das demais ciências, tais como as ciências sociais.[1][2][3][4]

As características frequentemente citadas como características da ciência duras incluem a produção de previsões testáveis, a realização de experimentos controlados, confiança em dados quantificáveis e modelos matemáticos, um alto grau de precisão e objetividade, níveis mais elevados de consenso, progressão mais rápida do campo, reprodutibilidade e, geralmente, aplicação de uma forma mais pura do método científico.[5][6][7][8]

As disciplinas de ciências duras incluem as ciências naturais, que tratam do mundo natural, que incluem: física, química, biologia, geologia, astronomia e botânica. Alguns cientistas aceitam certos aspectos da psicologia como ciências duras, especialmente em temas relacionados à percepção, estudados pela neurociência.[9]

Referências

  1. Popper, Karl 1959. The logic of scientific discovery. London & New York: Routledge Classics. ISBN 0-415-27844-9
  2. Kuhn T.S. 1970. The structure of scientific revolutions. 2nd ed, University of Chicago Press. p206 ISBN 0-226-45804-0
  3. Bunge, Mario 1967. Scientific research. Volume 1: The search for system; volume 2: The search for truth. Springer-Verlag, Berlin & New York. Reprinted as Philosophy of science, Transaction, 1998.
  4. Ziman, John 1978. Reliable knowledge: an exploration of the grounds for belief in science. Cambridge University Press. ISBN 0-521-22087-4
  5. Cole, Stephen (1983). «The Hierarchy of the Sciences?». American Journal of Sociology. 89 (1): 111–139. CiteSeerX 10.1.1.1033.9702Acessível livremente. JSTOR 2779049. doi:10.1086/227835 
  6. Lemons, John (1996). Scientific Uncertainty and Environmental Problem Solving. [S.l.]: Blackwell. p. 99. ISBN 978-0865424760 
  7. Rose, Steven (1997). «Chapter One». Lifelines: Biology Beyond Determinism. Oxford: Oxford University Press. ISBN 9780195120356 
  8. Gutting, Gary. «How Reliable Are the Social Sciences?». The New York Times 
  9. Helmenstine, Anne Marie (2012). «Difference between hard science and soft science». Consultado em 31 de outubro de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre ciência é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.