Cidade Histórica de Bamberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Cidade Histórica de Bamberg *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Bamberger Dom BW 6.JPG
Catedral de Bamberg
País Alemanha
Critérios C (ii) (iv)
Referência 624 en fr es
Coordenadas 49º 53' 30" N 10º 53' 20" E
Histórico de inscrição
Inscrição 1998  (22.ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Bamberg ou, na sua forma portuguesa, Bamberga[1] é uma pequena cidade francônia no norte da Baviera, Alemanha. Passa pela cidade o rio Regnitz, que é afluente do rio Meno. O rio Regnitz divide-se na altura do centro da cidade em dois braços fluviais.

A cidade de Bamberg, documentada pela primeira vez em 902, conseguiu preservar seu caráter medieval ao longo do tempo. A cidade com sua história milenar, com seu centro histórico totalmente intacto, apresenta jóias arquitetônicas raras, que finalmente foram reconhecidas pela UNESCO como patrimônio mundial em 1993.

A decisão da UNESCO se baseia no fato, de que Bamberg até hoje apresenta de forma única as estruturas de uma cidade da Baixa Idade Média na Europa Central.

Zonas Histórica[editar | editar código-fonte]

É importante notar, que somente a Cidade Histórica de Bamberg (em alemão: Altstadt) com aproximadamente 140 hectares, faz parte do patrimônio histórico mundial. Existem três zonas históricas, que desde a Idade Média mantém seu caráter próprio:

  1. Bergstadt ou seja a zona das colinas em volta da Catedral Imperial, zona predominantemente de caráter religioso;
  2. Inselstadt ou seja a zona insular ao redor das ilhas do rio Regnitz entre seus dois braços fluviais, que até hoje é considerada como zona comercial da cidade;
  3. Gärtnerstadt ou seja a zona dos jardineiros e horticultores, zona de caráter agrícola, produzindo verduras e hortaliças até os tempos atuais.

A área delineada em vermelho mostra a zona declarada como patrimônio mundial (pdf - 942 kb): [1]

Dentro destas zonas, aproximadamente 2.000 construções foram qualificadas fazendo parte do patrimônio mundial. Consequentemente qualquer modificação na fachada de uma casa histórica ou qualquer outra parte de uma construção deve receber autorização oficial. Desta forma o caráter único será preservado para o futuro.

Desde julho de 2005 existe um centro de informação na prefeitura de Bamberg, responsável pela conservação e documentação do patrimônio.

Zona das colinas[editar | editar código-fonte]

  • Catedral Imperial de Bamberg 1237 (Kaiserdom), com a sepultura do papa Clemente II e a sepultura do imperador Henrique I e sua esposa (feita por Tilman Riemenschneider de 1499 a 1513).
  • Residência Antiga da Corte (Alte Hofhaltung) entre o séc. XVI e o séc.o XVII
  • Residência Nova (Neue Residenz) do séc. XVII
  • Museu francônio da cerveja de Bamberg (Fränkisches Brauereimuseum Bamberg)
  • Böttingerhaus, palácio de caráter italiano
  • Castelo d'água Concordia, local de encontro para literários, compositores e artistas
  • Castelo de Altenburg (1109), antiga residência episcopal de 1305 a 1553

Zona insular[editar | editar código-fonte]

  • Câmara Municipal Antiga (Altes Rathaus) (1386), construida na ilha do rio Regnitz
  • Palácio Geyerswörth, antiga residência episcopal e seus jardins
  • Pequena Veneza (Klein-Venedig), antigo bairro de pescadores de Bamberg ao longo do rio Regnitz
  • Igreja católica St. Martin
  • Mueseu das ciências naturais (Naturkunde-Museum)
  • Vila Dessauer, galeria de arte
  • Residência de E. T. A. Hoffmann
  • Jardim Harmoniegarten

Zona das hortaliças[editar | editar código-fonte]

  • Museu da Jardinagem e da Viticultura
  • Igreja St. Gangolf, igreja católica mais antiga da cidade
  • Igreja St. Otto

Referências

  1. Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Cidade Histórica de Bamberg