Cisto ovariano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cisto ovariano
Cisto ovariano
Classificação e recursos externos
CID-10 N83.0-N83.2
CID-9 620.0-620.2
DiseasesDB 9433
eMedicine med/1699 emerg/352
MeSH D010048
Star of life caution.svg Aviso médico

Um cisto ovariano é qualquer coleção de fluido envolvida por uma parede muito fina no interior do ovário. Qualquer folículo ovariano que é maior do que cerca de dois centímetros é classificado como cisto ovariano. Um cisto ovariano pode ser pequeno como uma ervilha ou maior que uma laranja.

A maioria dos cistos ovarianos são funcionais e inofensivos (benignos).[1] Nos Estados Unidos, os cistos ovarianos são encontrados em aproximadamente todas as mulheres pré-menopáusicas, e em até 14,8% das mulheres pós-menopáusicas.

Os cistos ovarianos afetam mulheres de todas as idades. Eles ocorrem mais frequentemente, entretanto, nos anos de fertilidade da mulher.

Alguns cistos ovarianos causam problemas como sangramento e dor. Pode ser necessária uma cirurgia para remover cistos maiores que 5 centímetros em diâmetro.

Causas[editar | editar código-fonte]

A cada mês, durante o ciclo menstrual, cresce um folículo (onde o ovocito se está a desenvolver) no ovário. A maioria dos meses, liberta-se um ovocito deste folículo, ao qual se lhe denomina ovulação. Se o folículo não consegue se abrir e libertar um ovocito, o líquido permanece dentro do folículo e forma um quiste, o qual se denomina quiste folicular; também há outro tipo de quiste, este é chamado quiste do corpo lúteo, se apresenta após que um ovocito tem sido libertado de um folículo e com frequência contém uma pequena quantidade de sangue. Os cistos ovarianos são mais comuns desde a pubertad até a menopausia, período que se conhece como nos anos fértiles de uma mulher. Estes cistos são menos comuns após a menopausa. Tomar drogas para a fertilidade pode causar a formação de múltiplas cistos grandes nos ovários e denomina-se-lhe síndrome de hiperestimulação ovariana.

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Os cistos ovarianos pelo regular não causam sintomas, mas quando estes ocorrem, são

  • Dor
  • Atraso do período
  • Distenção abdominal
  • Dor pélvico pouco depois do começo ou finalização do período menstrual
  • Dor nas relações sexuais ou dor pélvico durante o movimento
  • Dor pélvico constante ou surdo
  • Dor pélvico intenso repentino (o qual indica que o cisto se rompeu), com frequência com náuseas e vómitos, que pode ser um signo de torque ou retorcimiento do ovário em sua irrigação sanguínea ou ruptura de um cisto com sangrado interno.

Provas e exames[editar | editar código-fonte]

O médico ou o pessoal de enfermaria podem descobrir um cisto durante um exame pélvico ou quando façam uma ecografía por outra razão.

A ecografía pode-se fazer para diagnosticar um cisto. O médico ou o pessoal de enfermaria talvez precisem examinar de novo à paciente em 6 semanas para verificar que este tenha desaparecido.

Outros exames imagenológicos que se podem fazer quando seja necessário:

  • Tomografía computarizada
  • Estudos de fluxo Doppler
  • Ressonância magnética.

Podem-se fazer os seguintes exames de sangue:

  • Exame Ca-125 para procurar possível cancro se a paciente tem chegado à menopausia ou tem uma ecografía anormal
  • Níveis hormonales (como a HL, FSH, estradiol e testosterona)
  • Prova de gravidez (GCH em suero).

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Os cistos ovarianos funcionais geralmente não precisam tratamento. Pelo regular, desaparecem ao cabo de 8 a 12 semanas de maneira espontánea.

Se apresentam-se cistos frequentes, o médico ou o pessoal de enfermaria podem prescrever píldoras anticonceptivas (anticonceptivos orales). Estes medicamentos podem reduzir o risco de novos cistos ovarianos. Estas píldoras não diminuem o tamanho dos cistos existentes.

Pode-se precisar cirurgia para extirpar o quiste ou o ovario com o fim de verificar que não seja cancro ovariano. A cirurgia muito provavelmente precise-se pára:

  • Cistos ovarianos complexos que não desaparecem.
  • Cistos que estejam a causar sintomas e que não desaparecem.
  • Cistos ovarianos simples que sejam maiores que 5 a 10 centímetros.
  • Mulheres menopáusicas ou que estejam para perto de a menopausicas.

Tipos de cirurgia para os quistes ovarianos:

  • Laparotomía explorativa.
  • Laparoscopia pélvica para extirpar o quiste ou o ovário.

Referências[editar | editar código-fonte]