Claude Berri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Claude Berri
Nome nativo Claude Berri
Nascimento 1 de julho de 1934
Paris
Morte 12 de janeiro de 2009 (74 anos)
Paris
Sepultamento Cemitério de Bagneux
Cidadania França
Cônjuge Nathalie Rheims
Filho(s) Thomas Langmann, Julien Rassam
Irmão(s) Arlette Langmann
Alma mater Cours Simoni
Ocupação ator, diretor de cinema, roteirista, produtor cinematográfico, ator de teatro, ator de cinema
Prêmios Oscar de melhor curta-metragem em Live Action
Causa da morte acidente vascular cerebral

Claude Berri (Claude Berel Langmann, Paris, 1 de julho de 1934 — Paris, 12 de janeiro de 2009[1]) foi um diretor de filmes, ator, roteirista e produtor francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Produziu, entre outros filmes, "Tess", de Roman Polanski, "Astérix" e "A rainha Margot", de Patrice Chéreau.[1]

Foi produtor também de Bienvenue chez les Ch'tis, de Dany Boon, o maior sucesso francês de bilheteria, com mais de 20 milhões de espectadores.[1]

O seu primeiro longa foi o "Le Vieil Homme et L'enfant" (1966), sobre sua vivência de criança judia sob o teto de um idoso anti-semita durante a guerra. Também autobiográficos, "La Première Fois" (1976), "Mazel Tov ou le mariage" (1968) e "Le pistonné" (1970) abordam a adolescência, o casamento e o serviço militar na Argélia. Retoma a França ocupada na 2ª Guerra Mundial em "A Era de Uranus" (1990) e Lucie Aubrac - Um Amor em Tempo de Guerra (1997), inspirado na autobiografia de uma resistente francesa.

Jean de Florette e A Vingança de Manon (ambos de 1986 e adaptados do filme de 1953 de Marcel Pagnol) trazem Daniel Auteuil, Yves Montand e Gérard Depardieu no elenco. E sua versão do romance de Émile Zola Germinal (1993), narra a história de luta dos mineiros de carvão.

Referências

  1. a b c «Morre o diretor e produtor francês Claude Berri». Consultado em 12 de janeiro de 2009.