Companheiros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vamos a matar, compañeros
Companheiros[1] (PRT)
Companheiros, ou
Vamos a Matar, Companheiros[2]
 (BRA)
 Itália
Flag of Spain (1945–1977).svg Espanha
 Alemanha Ocidental
1970 •  cor •  118 min 
Direção Sergio Corbucci
Produção Antonio Morelli
Roteiro Sergio Corbucci
Massimo De Rita
Elenco Franco Nero
Tomás Milián
Fernando Rey
Jack Palance
Gênero bangue-bangue
comédia cinematográfica
Música Ennio Morricone
Idioma língua italiana

Companheiros (em castelhano: Vamos a matar, compañeros) é um filme teuto-hispano-italiano de 1970, dos gêneros faroeste e comédia, dirigido por Sergio Corbucci.[2]

É considerado um dos melhores bangue-bangues feitos na Europa.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

No México, durante a Revolução mexicana, o sueco negociante de armas Yodlaf Peterson (Franco Nero) está aliado com o General Mongo (Jose Bódalo) para livrar Xantos (Fernando Rey), um professor revolucionário. Mas o que o mercenário realmente quer é um espólio que só o professor sabe seu verdadeiro paradeiro.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Companheiros no SapoMag (Portugal)
  2. a b Vamos a Matar, Companheiros no CinePlayers (Brasil)
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme de faroeste é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.