Compensação do risco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Compensação de risco é uma teoria que sugere que as pessoas normalmente ajustam o seu comportamento em resposta ao nível de percepção de risco, tomando-se mais cuidado quando sentido maior risco e menor cuidado, se eles se sentem mais protegidos. Apesar de pequeno em comparação aos benefícios fundamentais de intervenções de segurança, estas podem resultar em um menor benefício líquido do que o esperado.[1]

Por exemplo, tem sido observado que os motoristas dirigem mais rápido quando usam cintos de segurança e mais perto do veículo da frente quando os veículos estão equipados com freios ABS. Há também evidências de que o fenômeno de compensação de risco poderia explicar a falha do programa de distribuição de preservativos do HIV, e de que os preservativos podem promover a desinibição, com pessoas se envolvendo em sexo de risco com ou sem preservativos.


Visão geral[editar | editar código-fonte]

Compensação de risco está relacionado com o conceito mais amplo de adaptação comportamental , que inclui todas as alterações de comportamento em resposta a medidas de segurança, compensatórias ou não. No entanto, uma vez que os pesquisadores estão interessados principalmente em compensatórias ou comportamento adaptativo negativo os termos são por vezes utilizados como sinônimos.[n 1] A mais recente versão surgiu a partir da pesquisa de segurança de estrada depois que foi visto que muitas intervenções falharam em atingir o nível esperado de benefícios, mas desde então tem sido investigada em muitos outros campos.[n 2][n 3]


Homeostase do Risco[editar | editar código-fonte]

A  homeostase do risco é uma controversa hipótese, proposta em 1982 por Gerald J. S. Wilde, um professor na Universidade de Queen , no Canadá, que sugere que as pessoas maximizem seus benefícios comparando os custos e os benefícios esperados de um comportamento mais seguro e mais arriscado e que introduziu a idéia de alvo do nível de risco. .Ele propôs quatro constituintes aos cálculos de uma pessoa relacionados ao risco:

  • Benefícios esperados do comportamento de risco (por exemplo, ganhando tempo acelerando, lutando contra o tédio, aumentando a mobilidade)
  • Custos esperados de comportamento de risco (por exemplo, multas por excesso de velocidade, reparações de automóveis, sobretaxas de seguro)
  • Benefícios esperados de comportamentos seguros (por exemplo, descontos de seguros para períodos sem acidentes, aumento da reputação de responsabilidade)
  • Custos esperados de comportamento seguro (por exemplo, usando um cinto de segurança desconfortável, sendo chamado de covarde por seus pares, perda de tempo)

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Vrolix (2006) "A term, closely related to risk compensation, is ‘behavioural adaptation’.
  2. Vrolix (2006) "Risk compensation is the term given to a theory which tries to understand the behaviour of people in potentially hazardous activities.
  3. Hedlund (2000) "The early risk compensation literature deals with road safety.

Outras referências[editar | editar código-fonte]