Constantin Brâncuși

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Constantin Brancusi)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Constantin Brâncuși
Nome nativo Constantin Brâncuși
Nascimento 19 de fevereiro de 1876
Morte 16 de março de 1957 (81 anos)
Paris
Cidadania França, Roménia
Alma mater École nationale supérieure des Beaux-Arts
Ocupação escultor, fotógrafo
Movimento estético modernismo
Constantin Brancusi c.1905.jpg

Constantin Brâncuşi (Hobiţa, 19 de fevereiro de 1876Paris, 16 de março de 1957) foi o mais célebre escultor romeno e um dos principais nomes da vanguarda moderna.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudou na Escola de Artes de Craiova de 1894 a 1898 e depois na escola nacional de Belas Artes de Bucareste de 1898 a 1901. Com o objetivo de completar a sua formação, chega a Paris em 1904 e se inscreve na École nationale supérieure des Beaux-Arts em 1905.

Foi uma figura central do movimento moderno e um dos pioneiros da abstração. Sua escultura é conhecida por sua elegância visual e uso de materiais sensíveis, combinando a escultura franca do camponês com a sofisticação da vanguarda parisiense. Depois de frequentar a Escola de Belas Artes de Bucareste e da aprendizagem da escultura de August Rodin, Brâncuşi viajou para Paris em 1904. Brâncuşi criou sua primeira grande obra, O Beijo, em 1908.

A partir deste momento sua escultura tornou-se cada vez mais abstrata. Passa a operar as formas através do polimento, como se tentasse ao mesmo tempo eliminar da escultura a representação e chegar a seu centro. Ao mesmo tempo, questiona o pedestal a partir da ideia de objeto que media a relação da escultura com o real. Passa, assim, a incluí-los esteticamente no problema da escultura. Entre outras, destacam-se na sua obra a Musa adormecida, A maiastra, O mundo, O pássaro e a Coluna sem fim. A escultura de Brâncuşi ganhou notoriedade internacional em 1913 Armory Show, em Nova York. Seu atelier em Paris foi preservado depois de sua morte e reconstruído ao lado do Centro Georges Pompidou, o Beaubourg, pelo interesse dedicada ao arranjo de suas esculturas, que em si foi pensado como problema artístico e foi documentado em fotografias e filmes pelo próprio artista.

Isamu Noguchi trabalhou como assistente de estúdio de Brâncuşi em 1927, Brâncuşi e lhe ensinou a esculpir a pedra e a madeira. Na década de 1930 Brâncuşi trabalhou em dois projectos ambiciosos escultura pública, a realizar um templo na Índia para o marajá de Indore e a instalação em Târgu Jiu (Roménia), de seus projetos, "Portão do Beijo", "Tabela de silêncio" e uma versão de 100 pés de altura de ferro fundido da "Coluna infinita".

Em sua morte Brâncuşi deixou o conteúdo de seu estúdio para o Museu de Arte da Cidade de Paris, na condição de o estúdio ser instalado no museu em sua totalidade.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Constantin Brâncuși
Ícone de esboço Este artigo sobre escultura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.