Cruzeiro real

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cruzeiro Real)
Ir para: navegação, pesquisa
Cruzeiro Real
Ficheiro:Brasil cruzeiro real.jpg
Dados
Código ISO 4217 BRR
Usado  Brasil
Inflação 60%
Sub-Unidade
1/100

centavo
Símbolo CR$
Plural cruzeiros reais
Moedas CR$ 5, 10, 50 e 100
Notas CR$ 50,[1] 100,[1] 500,[1] 1000, 5000 e 50.000
Banco Banco Central do Brasil
www.bc.gov.br
Fabricante Casa da Moeda do Brasil
www.casadamoeda.com.br

O cruzeiro real (CR$)[2] foi o padrão monetário no Brasil entre 1 de agosto de 1993 a 30 de junho de 1994.

As altas taxas de inflação que marcaram o ano de 1993 levaram o governo Itamar Franco a editar, em 28 de julho daquele ano, a Medida Provisória 336[3] e convertida posteriormente em 27 de agosto para a Lei 8697[4] , que criou o cruzeiro real, equivalente a mil cruzeiros. Não foram emitidas moedas com valores em centavos nesta moeda, sendo que se consideravam como centavos as cédulas e moedas do padrão anterior na razão de 10 "cruzeiros" por centavo.

O código ISO 4217 desta moeda era BRR.

Notas[editar | editar código-fonte]

As primeiras cédulas deste padrão foram cédulas de 50.000, 100.000 e 500.000 cruzeiros nas quais foi aposto um carimbo com o novo padrão.

Depois disso, foram lançadas em circulação entre 1993 e 1994 as seguintes cédulas, já com o nome do novo padrão.

A cédula de 10.000 cruzeiros reais chegou a ter seu desenho aprovado mas não chegou a entrar em circulação[5] , frente à iminente implantação do Plano Real.

Valor Descrição
1.000 cruzeiros reais Frente: Retrato de Anísio Spínola Teixeira (1900-1971), tendo à esquerda vista parcial da Escola Parque, integrante do Centro Educacional Carneiro Ribeiro, projeto do arquiteto e engenheiro Diógenes Rebouças, sob orientação do próprio Anísio.
Trás: Cena alegórica referente à proposta de ensino levada a efeito pela Escola Parque, cujo fundamento e método defendem a educação como processo constante de reorganização e reconstrução de experiências.
5.000 cruzeiros reais Frente: Efígie de "gaúcho", ladeada por painel que retrata, em visão simultânea, a fachada e o interior das ruínas da Igreja de São Miguel das Missões (RS), construída pelos jesuítas na primeira metade do século XVII.

Trás: Painel apresentando cena do "gaúcho" manejando o laço, na captura do gado. Sob as legendas da margem inferior, reproduções de acessórios típicos que o gaúcho usa em sua lida diária: boleadeira, relho, guampa e esporas.

50.000 cruzeiros reais Frente: Efígie de "baiana", com torço e colares, tendo à esquerda painel onde figuram alguns de seus mais importantes balagandãs, os quais possuem diversos significados: romã e cacho de uvas (fecundidade); figa de madeira e dentes de animais (proteção); caju (abundância); peixe, cordeiro e pombas do Espírito Santo (elementos resultantes do sincretismo com o catolicismo).

Trás: Cena de baiana, trajada com o requinte dos dias de grande festa, com o clássico tabuleiro, preparando o acarajé. Ao fundo vê-se perspectiva da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, em Salvador, cenário de uma das mais famosas festas do sincretismo religioso brasileiro: a Lavagem do Bonfim.

Moedas[editar | editar código-fonte]

Em substituição às cédulas mais antigas do padrão anterior, foram lançadas inicialmente as moedas de 5 e 10 cruzeiros reais, sendo que mais adiante foram lançadas também as moedas de 50 e 100 cruzeiros reais.

Uma curiosidade destas moedas é que a expressão "cruzeiros reais" não aparece na moeda, sendo que ela foi substituída pelo símbolo CR$ e nas quais aparecem no reverso animais ameaçados de extinção.

Valor Coroa Cara
50 50 Cruzeiros reais BRR de 1993.png 50 Cruzeiros reais BRR de 1993 (verso).png
1993

Recolhimento[editar | editar código-fonte]

Em 1994, todas as cédulas e moedas desse padrão foram recolhidas na troca pelas novas cédulas do padrão Real, que entrou em circulação em 1 de julho daquele ano. As cédulas e moedas do cruzeiro real, assim como boa parte dos valores ainda em circulação do cruzeiro[6] , padrão monetário que o precedeu, perderam seu valor legal em 15 de setembro de 1994[7] .

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c Estas cédulas, respectivamente nos valores de 50 mil, 100 mil e 500 mil cruzeiros, foram reaproveitadas do padrão anterior com a aposição de carimbo de equivalência
  2. Do pau-brasil ao real Caderno História do Jornal Gazeta do Povo de 21 de julho de 2013
  3. BRASIL (Legislação) (28 de julho de 1993). Medida Provisória número 336 Presidência da República. Visitado em 20 de agosto de 2015.
  4. BRASIL (Legislação) (27 de agosto de 1993). Lei nº 8697 Presidência da República.
  5. Dez Mil Cruzeiros Reais (1993) - A Cédula que Nunca Circulou Dinheiro de Metal (5 de setembro de 2012). Visitado em 7 de junho de 2015.
  6. Cédulas emitidas pelo Banco Central do Brasil - Padrão Monetário: Cruzeiro Museu de Valores do Banco Central.
  7. Cédulas emitidas pelo Banco Central do Brasil - Padrão Monetário: Cruzeiro Real Museu de Valores do Banco Central. Visitado em 30 de julho de 2015.
Precedido por
Cruzeiro (BRE)
Moeda do Brasil
1993-1994
Sucedido por
Real


Ícone de esboço Este artigo sobre numismática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.