Cruzeiro (1990–1993)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cruzeiro
Dados
Código ISO 4217 BRE
Usado  Brasil
Inflação 764% (1992)
Sub-Unidade

Centavo
Símbolo Cr$
Plural Cruzeiros
Moedas 1, 5, 10, 50 centavos (reaproveitadas do cruzado novo), 1, 5, 10, 50, 100, 500, 1.000 e 5.000 cruzeiros
Notas 100, 200, 500, 1.000, 5.000, 10.000, 50.000, 100.000 e 500.000 cruzeiros
Banco central Banco Central do Brasil
www.bc.gov.br
Fabricante Casa da Moeda do Brasil
www.casadamoeda.com.br

O Cruzeiro (código ISO 4217 BRE), foi o padrão criado por conta do Plano Collor, sendo que a renomeação da moeda então existente no Brasil se deu pelo motivo de tentar evitar problema semelhante ao ocorrido quando do Plano Bresser, no qual ações judiciais pediam reparação[1] por perdas na moeda então existente. Foi a moeda corrente do Brasil entre 16 de março de 1990 e 31 de julho de 1993.

Cédulas[editar | editar código-fonte]

As primeiras cédulas deste padrão foram cédulas do padrão Cruzado Novo que receberam um carimbo retangular com o valor no novo padrão, além de uma cédula emergencial no valor de 5 000 cruzeiros (Estampa B), cujo anverso mostrava a efígie simbólica da República e o reverso as Armas da República.

Ainda em 1990, foram emitidas cédulas no novo padrão, com os valores de 100, 200, 500[nota 1], 1 000 e a cédula permanente de 5 000 cruzeiros, cujo anverso era representado pela figura de Carlos Gomes e o reverso tinha o piano que pertenceu ao maestro.

Além disso, as cédulas do padrão cruzado[nota 2] remanescentes em circulação perderam o valor no correr deste mesmo ano.

Em 1991, por conta da alta inflação, foram lançadas as cédulas nos valores de 10 000 e de 50 000 cruzeiros, sendo que no ano seguinte por ocasião da ECO-92, foi lançada a nota de 100 000 cruzeiros, sendo que as notas nos valores de 50 [nota 3] e 100 cruzeiros (cédulas em geral com a denominação de "cruzados novos" presentes nas notas) perderam o valor, sendo substituídas por moedas que tiveram vida curta em circulação.

Em 1993, foi lançada a nota de 500 000 Cruzeiros, a última cédula deste padrão, que teve, em agosto do mesmo ano, cortados 3 zeros em função da troca de moedas para Cruzeiro Real. No segundo semestre daquele ano, logo antes do lançamento do Cruzeiro Real, o Conselho Monetário Nacional tinha um projeto de lançar cédulas nos valores de 1 000 000 e 5 000 000 de cruzeiros; no entanto, as mesmas nunca foram lançadas em circulação - os desenhos foram aproveitados nas cédulas de 1 000 e 5 000 cruzeiros reais, respectivamente[2].

Moedas[editar | editar código-fonte]

As primeiras moedas deste padrão tiveram o seu design baseado nas moedas centesimais do padrão Cruzado Novo, sendo emitidas nos valores de 1, 5, 10 e 50 cruzeiros[3] com o interesse de substituição as antigas cédulas do padrão Cruzado, que ainda estavam em circulação.

Em 1992, foram emitidas moedas comemorativas em prata com o valor nominal de "500 cruzeiros" (500 anos do descobrimento da América) e "2000 cruzeiros" (Eco 92) que ainda hoje são vendidas pelo Banco Central para colecionadores[4][5].

Além disso, foi lançada uma nova família de moedas, que neste padrão teve os valores de 100, 500 e 1 000 cruzeiros, que tinham no anverso as imagens de animais ameaçados de extinção, bem como a moeda de 5 000 cruzeiros, comemorativa do bicentenário da morte de Tiradentes, sendo que essas moedas se destinaram à circulação comum[3].

Esta nova família de moedas inspirou as moedas do padrão posterior, o Cruzeiro Real.

Valor Coroa Cara
5 5 Cruzeiros BRE de 1990 (verso).png 5 Cruzeiros BRE de 1990.png
1990
100 100 Cruzeiros BRE de 1992 (verso).png 100 Cruzeiros BRE de 1992.png
1992
500 MOEDA COMEMORATIVA DO DESCOBRIMENTO DA AMÉRICA.gif
1992
1000 1000 Cruzeiros BRE de 1993 (verso).png 1000 Cruzeiros BRE de 1993.png
1993

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Cruzeiro (moeda): artigo referente às três edições;
  • Cruzeiro (BRZ): moeda vigente entre 1943 e 1967, também conhecido como cruzeiro "antigo";
  • Cruzeiro (BRB): moeda vigente entre 1967 e 1986, oficialmente denominado cruzeiro "novo" até 1970.

Notas

  1. Estas cédulas são relativamente raras, sendo mais comuns na versão carimbada e no padrão Cruzado novo.
  2. Cédulas com valor de face de até 10 000 cruzados, então equivalentes a 10 cruzeiros.
  3. A cédula com valor legal de 50 cruzeiros era na verdade a cédula de 50 cruzados novos, sendo que alguns dos exemplares possuíam carimbo, enquanto outros circulavam sem o mesmo por serem de emissão mais antiga.

Referências

  1. «Plano Bresser: Justiça garante a membros de associação reparação de perdas com planos econômicos». Correioforense.com.br. 14 de janeiro de 2008. Consultado em 20 de agosto de 2015 
  2. Conselho Monetário Nacional (28 de julho de 1993). «Resolução 2010/1993» (PDF). Banco Central do Brasil. Consultado em 20 de agosto de 2015 
  3. a b «Moedas emitidas pelo BC - Cruzeiro». Museu de Valores do Banco Central do Brasil. Consultado em 20 de agosto de 2015 
  4. «Moeda Comemorativa do Descobrimento da América». Banco Central do Brasil. Consultado em 20 de agosto de 2015 
  5. «Moeda Comemorativa do Encontro para o Meio Ambiente e Desenvolvimento». Banco Central do Brasil. Consultado em 20 de agosto de 2015 
Precedido por
Cruzado novo
Moeda do Brasil
1990-1993
Sucedido por
Cruzeiro Real