Denys Affre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Denys Auguste Affre
Arcebispo da Igreja Católica
Arcebispo de Paris
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Paris
Nomeação 13 de julho de 1840
Predecessor Dom Hyacinthe-Louis de Quélen
Sucessor Dom Marie Dominique Auguste Sibour
Mandato 1840 - 1848
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 16 de maio de 1818
Nomeação episcopal 11 de dezembro de 1839
Ordenação episcopal 6 de agosto de 1840
por Dom Hugues-Robert-Jean-Charles Cardeal de La Tour d'Auvergne-Lauraquais
Lema episcopal In virtute vis
Nomeado arcebispo 2 de julho de 1842
Brasão arquiepiscopal
Blason Famille Affre de Saint Rome.svg
Dados pessoais
Nascimento Saint-Rome-de-Tarn
27 de setembro de 1793
Morte Paris
27 de junho de 1848 (54 anos)
Nacionalidade francês
Funções exercidas - Bispo-coadjutor de Estrasburgo (1839-1840)
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Denys Auguste Affre (Saint-Rome-de-Tarn, no departamento de Aveyron, 27 de setembro de 1793 – Paris, 27 de junho de 1848) foi o 126º arcebispo de Paris.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Affre foi educado para o sacerdócio em São Sulpício, onde em 1818 se tornou professor de teologia dogmática. Depois de preencher um certo número de cargos eclesiásticos, foi nomeado Arcebispo de Paris, em 1840. Apesar da oposição feita ao governo de Luís Filipe, Affre não tomou parte na política, e dedicou-se ao seu trabalho pastoral. Seu episcopado, contudo, é lembrado principalmente por seu fim trágico. Durante a insurreição de junho de 1848, o arcebispo acreditou que, por sua interferência pessoal, a paz pudesse ser restaurada entre os militares e os insurgentes. Assim, apesar da advertência do general Cavaignac, Affre montou uma barricada na entrada do Faubourg Saint-Antoine, tendo um ramo verde como sinal de paz. Havia falado apenas umas poucas palavras, quando os insurgentes, ao ouvirem alguns tiros, e imaginando que foram traídos, abriram fogo sobre a Guarda Nacional. O arcebispo foi gravemente ferido, atingido por uma bala perdida. Foi removido para o seu palácio, onde morreu em 27 de junho.

No dia seguinte, a Assembleia Nacional emitiu um decreto expressando sua grande tristeza por causa de sua morte. O funeral público, em 7 de julho, foi um dos espetáculos mais marcantes na história de Paris.

O arcebispo escreveu vários tratados de valor considerável, incluindo um Essai sur les hieroglyphes egyptiens (Paris, 1834), no qual mostrou que o sistema de Champollion era insuficiente para explicar os hieróglifos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • L. Alazard, Denis-Auguste Affre, 1905
  • Fernand de Barrau, Mgr Affre, archevêque de Paris (1793-1848), 1909
  • Jean-Alexis Belliol, La mort de l'archevêque de Paris Denis-Auguste Affre : poème, A. Leclère et G. A Dentu, 1849
  • Émile Blanchet, Mgr Affre et son temps, Bonne Presse, 1948
  • Jean Collot, L'Archevêque des barricades : Monseigneur Affre (1793-1848), Le Chevron d'or, 1948
  • Patrice-François-Marie Cruice, Vie de Denis-Auguste Affre, archevêque de Paris, Périsse frères, 1849
  • Roger Limouzin-Lamothe, Mgr Denys-Auguste Affre : archevêque de Paris : 1793-1848, J. Vrin, 1971
  • Anne Bernet, La Vie cachée de Catherine Labouré, Paris, Perrin, 2001.

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Media relacionados com Denys Affre no Wikimedia Commons