Difusora FM (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Difusora FM
Rádio Difusora São Paulo S/A
País  Brasil
Cidade de concessão Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Frequência(s) FM 98.5 MHz
Fundação 2 de dezembro de 1970
Extinção 3 de setembro de 1981
Fundador Emissoras Associadas
Proprietário(s) Condomínio Acionário
Género Easy Listening, Pop, R&B, Disco
Idioma Língua portuguesa
Cobertura Região Metropolitana de São Paulo
Metropolitana FM

A Rádio Difusora FM foi uma emissora de rádio brasileira de São Paulo, que operava na frequência de 98.5 MHz. Criada em 1947 pelos Diários Associados, inicialmente esta frequência foi usada como link do AM 960 khz, com 300 watts, depois em 1970 tornou-se a primeira emissora FM de São Paulo[1] com programação própria, quando foi instalado um transmissor de 30 kw. Embora tivesse programação própria com músicas selecionadas,[2]ela era muito parecida com a programação da Difusora AM. Foi tirada do ar em 3 de setembro de 1981 pouco depois das 19 horas. A Difusora detinha a concessão da TV Tupi, canal 4 de São Paulo, que tinha sido tirada do ar em 18 de julho de 1980. A Justiça decidiu que a emissora não tinha como honrar os compromissos deixados pela TV Tupi e então decretou sua falência.[3] Foram lacrados os transmissores do AM 960 KHz, FM 98,5 MHz, e das emissoras de ondas curtas de 6095 kHz (49 metros) e 11765 kHz (25 metros), [4] [5] que transmitiam a programação da Rádio Tupi de São Paulo, esta também tirada do ar no início de 1984,[6]por decisão pessoal do então Presidente da República, João Figueiredo.

História[editar | editar código-fonte]

Propriedade dos Diários Associados,[7] a Difusora FM foi inspirada na programação da Rádio Difusora AM 960 kHz que estreou no final de 1969 e batizada como Jet Music. Liderada por Cayon Gadia, essa programação era segmentada para público jovem e baseado em sucessos da música pop. Em 1971 a Rádio Excelsior de São Paulo AM 670 KHz (em 1974 passou a operar em 780 KHz, canal que pertencia a rádio Marconi, tirada do ar pelo governo militar) adotou a programação musical também, se rivalizando assim com a Difusora, porém a Excelsior trazia seus lançamentos da Europa.

Em 2 de dezembro de 1970, a Difusora tornou-se a primeira emissora na cidade de São Paulo a ter programação própria em FM,[8] [9] com músicas selecionadas para ouvintes inteligentes, [10]diferindo-se um pouco da programação Jet Music da Difusora AM.

Com o fechamento da emissora em 3/09/1981, o canal 98.5 MHz ficou vago até 1982, quando foi assumido pela Metropolitana FM, que ocupava antes a frequência 103.3 MHz.

A Difusora sempre foi uma grande emissora, a primeira do Brasil a se organizar sob o regime de sociedade anônima.[11]Desde sua inauguração, em 24 de novembro de 1934,[12] ela contava com uma programação variada[13] que fazia grande sucesso e noticias ao vivo de todos os pontos da cidade, 24 horas por dia, era algo novo, espetacular, só a Difusora conseguia fazer proeza naqueles tempos, graças a grande estrutura dos Diários Associados em São Paulo, isto foi nos anos 40 e 50. Porém, tudo mudou com a revolução civil militar de 1964, quando os programas noticiosos tiveram, por força da censura, de ser interrompidos e então tocava-se música nestes horários. Criaram uma programação musical com o nome de Plenimúsica, que no final de 1969 foi substituído por Jet Music (musica a jato), isto porque os lançamentos que a Difusora passou a fazer, eram trazidos pelos voos vindos notadamente dos EUA. Até o seu fechamento em 1981, a Difusora era referência na programação musical no rádio brasileiro.

Locutores[editar | editar código-fonte]

  • Dárcio Arruda (hoje na TV+ABC)
  • Antonio Viviani (hoje voz padrão do SBT)
  • Jorge Helal
  • Carlos Racy
  • Angelo Vizarro Jr
  • Idemur de Matos
  • Julinho Mazzei
  • Carlos Henrique Correa
  • Moisés da Rocha
  • Luiz Carlos Araújo

Referências

  1. «Esse tipo de som / Nesse tipo de rádio - Difusora FM 98,5». O Estado de S. Paulo. 6 de dezembro de 1970 
  2. «O som de 10 milhões - Difusora FM 98,5». O Estado de S. Paulo. 29 de novembro de 1970 
  3. «Juiz decreta lacração da Difusora». Folha de S. Paulo. 4 de setembro de 1981 
  4. «Morre cronista esportivo que comandou o auge da Rádio Tupi de SP». Futebol Interior 
  5. «Transmissores lacrados, a rádio Difusora sai do ar após 45 anos». O Estado de S. Paulo. 4 de setembro de 1981 
  6. «Nova emissora ganha frequência da Tupi». O Estado de S. Paulo. 5 de outubro de 1984 
  7. Linha do tempo - Diários Associados
  8. Ferraretto, Luiz Artur. «Tendências da programação radiofônica» (PDF). p. 4 
  9. «Esse tipo de som / Nesse tipo de rádio - Difusora FM 98,5». O Estado de S. Paulo. 6 de dezembro de 1970 
  10. «O som de 10 milhões - Difusora FM 98,5». O Estado de S. Paulo. 29 de novembro de 1970 
  11. «Está officialmente inaugurada a Radio Diffusora São Paulo». Folha da Manhã. 25 de novembro de 1934 
  12. «Rádio Diffusora São Paulo». O Estado de S. Paulo. 25 de novembro de 1934 
  13. «RÁDIO DIFFUSORA SÃO PAULO PRF-3». O Estado de S. Paulo. 25 de abril de 1935 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Rádio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.