Discussão:Fernando Haddad/Arquivo/1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A referência "Desabafo de quem estava lá..." é adequada?[editar código-fonte]

Não estava conseguindo abrir o link indicado. Procurei na net e achei esse link: [1]. Quem abrir vai ver que se trata de um texto retirado do Facebook de alguém que participou da invasão e publicado no site acima. Na minha modesta opinião, essa referência não segue os padrões desejados pela Wikipédia: Wikipédia:Fontes fiáveis. Assim a referência e seu trecho no corpo do artigo, que conta a versão dos "estudantes" acusando a polícia, devem ser retirados do artigo. Autentique (discussão) 20h33min de 11 de janeiro de 2012 (UTC)

Invasão da reitoria da USP[editar código-fonte]

Invasão da reitoria da USP = Acho que este capítulo deve ser removido, é apenas uma passagem de discussão de opiniões e pontos de vista do biografado com terceiros. O fato do capítulo não tem ligação direta nem indireta com o biografado, não acrescenta nada a biografia como obra que seja relevante. è um fato paralelo que talvez deva-se colocar no Wikiquote como citação, e não em sua biografia.

--Henrique Boney (discussão) 22h59min de 3 de abril de 2012 (UTC)

Respondido aqui. --Gunnex msg contrib 19h49min de 10 de abril de 2012 (UTC)

Transporte de familiares em Jatos Oficiais[editar código-fonte]

Transporte de familiares em Jatos Oficiais = Pesquisei e não há qualquer ação no Ministério Público ou Procuradoria Geral da União contra o Fernando Haddad envolvendo este fato. è uma situação corriqueira, prevista e regulamentada, não sendo um capítulo que mereça constar em sua biografia, por ser praxe. Todos ministros recebem auxílio moradia justamente para não quer que ir e voltar todos os dia para Brasília, o que seria muito mais caro para o governo, que custeia o transporte para sua residência fixa somente aos finais de semana. Posso considerar apenas um fato sem relevância biográfica. Sugiro remoção. --Henrique Boney (discussão) 23h18min de 3 de abril de 2012 (UTC)

Respondido aqui. --Gunnex msg contrib 19h49min de 10 de abril de 2012 (UTC)

Fernando Haddad não é judeu[editar código-fonte]

O artigo foi inserido por alguém na categoria "Judeus de São Paulo", porém no próprio artigo é afirmado que a família dele é cristã ortodoxa de origem libanesa... alguém pode corrigir? comentário não assinado de 201.53.177.161 (discussão • contrib) 04h18min de 11 de abril de 2012‎

Panfleto de propaganda[editar código-fonte]

Este artigo é mais um dos tantos panfletos de propaganda petista na Wikipédia. Com fontes e referências tiradas de websites do próprio governo, Haddad parece ter "revolucionado" a educação no Brasil... Na área dedicada ao ENEM, a sua responsabilidade pelas trapalhadas seguidas é alvo de subterfúgios e tergiversações do tipo "eu não sabia de nada", a culpa é dos outros. Talvez de tucanos ou "demos". Enfim, é mais um triste exemplo de propaganda partidária veiculada desavergonhadamente na Wikipédia. Dantadd (α—ω) 02h09min de 17 de abril de 2012 (UTC)

Descoberto, a obra de propaganda é da lavra do usuário Boneysp D​ C​ E​ F que não esconde em seu site sua simpatia petista. O texto é cheio de dados que distorcem suas próprias fontes para fazer panfletagem partidária. E assim caminhamos. Eu já perdi a paciência com a onipresente propaganda petista na WIkipédia. Dantadd (α—ω) 02h22min de 17 de abril de 2012 (UTC)
A sua frase, claramente proselitista, tão eleitoreira que parece ter sido extraída do panfleto psdbista conhecido como Veja (Foi também durante a sua gestão no Ministério da Educação que a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) enfrentou inúmeras críticas pela reiterada falta de segurança pelo vazamento de provas, além do desperdício de milhões em reais necessários para a reformulação e reaplicação de provas.), carece de fontes. A página que você apontou em nenhum momento fala em desperdício de milhões de reais, tampouco em "inúmeras críticas pela reiterada falta de segurança". Dornicke (discussão) 04h49min de 17 de abril de 2012 (UTC)
Vejam só quem vem ao socorro do verbete de Fernando Haddad: Dornicke, o indisfarçável grão-petista da Wikipédia, que com sua elegância peculiar infesta dezenas, senão centenas, de verbetes desta enciclopédia com sua igualmente incorrigível petistice alimentada por fontes duvidosas mas sempre muito posuda. Dantadd (α—ω) 01h17min de 2 de maio de 2012 (UTC)
Esse daí só vê parcialidade em artigos de tucanos. Se for petista, tá tudo ótimo e maravilhoso. Érico Wouters (msg) 02h50min de 6 de abril de 2015 (UTC)

Formatação de referências[editar código-fonte]

As referências foram formatadas e a marca "Formatar referências|data=abril de 2012", foi removida. --Henrique Boney (discussão) 20h55min de 20 de abril de 2012 (UTC)

Remoção marca de parcialidade[editar código-fonte]

A marca "{parcial}" foi removida, o texto foi revisado e ajustado. comentário não assinado de Boneysp (discussão • contrib) 14h13min de 14 de maio de 2012‎

remoção marca falta de fontes[editar código-fonte]

A marca de falta de fontes foi removida, as fontes que faltavam no artigo foram inseridas. comentário não assinado de Boneysp (discussão • contrib) 14h15min de 14 de maio de 2012‎

Referência inadequada[editar código-fonte]

O último parágrafo do item "Prefeitura de São Paulo", sobre o deficit do último ano da gestão de Marta Suplicy, é francamente impertinente e difamatório, uma vez que, nessa época, Haddad já havia se afastado da Secretaria de Finanças da Prefeitura paulistana para trabalhar em Brasília no Ministério do Planejamento.

adequar, norma culta[editar código-fonte]

no trecho: "O livro intitulado Por uma Vida Melhor citava expressões como "nós pega os livro" e "os menino pega o peixe" para exemplificar que esta linguagem, coloquial em algumas regiões do país, não se adequa à norma culta da língua portuguesa". o problema com a norma culta não é o "nós pega o peixe"; é o verbo adequar, que está conjugado inadequadamente.

Erro de datas favorece indevidamente a biografia da personalidade enquanto Ministro da Educação.[editar código-fonte]

O artigo faz referência como sendo "impressionante" um desempenho entre o período de 2005 a 2009, quando, na realidade a OECD se refere em seu estudo ao período entre 2000 e 2009, sendo 2000 o ano em que o desempenho começou a ser medido.

O artigo também não faz justiça ao omitir o nome de Paulo Renato Souza, que esteve à frente do MEC entre 1995 e 2002, e foi quem reestruturou de fato o ensino fundamental, médio e superior no País, sendo que Cristovam Buarque, Tarso Genro e, por último, Haddad apenas deram continuidade às políticas criadas na gestão de Paulo Renato.

Vale esclarecer também que durante 1998 e 2002 o MEC sofreu forte restrição orçamentária em decorrência da conjuntura econômica da época, ao passo que de 2003 a 2009 o MEC atravessou um período de recordes orçamentários, mas o investimento em relação ao PIB caiu e houve aumento da evasão escolar entre 2003 e 2005.

Comparando o conteúdo das biografias de Haddad e de Paulo Renato, verifica-se um tendenciosismo, que enriquece indevidamente a biografia de Haddad e simplifica a biografia de Paulo Renato.

A Wikipédia é feita por todos e devemos zelar pela sua imparcialidade, especialmente partidária.

Oficina de checagem[editar código-fonte]

Olá pessoal, estamos realizando uma oficina de checagem em parceria entre o grupo Wiki Eduação Brasil e a Agencia Lupa no Festival piauí GloboNews de Jornalismo em São Paulo. O trabalho está sendo publicado aqui e pode ser acompanhado através do post da Agencia Lupa sobre as checagens de informações sobre Haddad e Eduardo Paes - Atualizações em tempo real no post até 09/10 as 18:00. Rodrigo Padula (discussão) 19h45min de 8 de outubro de 2016 (UTC)

Subseção "Governo Federal"[editar código-fonte]

Esta subseção contava com um último parágrafo que repetia uma série de informações já ditas nos anteriores, mas com outras fontes. Em minha edição procurei preservar as fontes e inseri-las nos locais adequados e remover a informação repetida, preservando apenas o que havia no último parágrafo que não havia sido dito antes. Também inseri fontes mais precisas sobre o SISU, extraídas dos sites oficiais do exame e reorganizei a redação. Raphconcli (discussão) 02h25min de 12 de outubro de 2016 (UTC)

Parcial[editar código-fonte]

O artigo omite alguns escândalos em que o biografado está envolvido, incluindo o processo em que é denunciado por lavagem de dinheiro e corrupção e as delações premiados que o incluem na planilha de propinas. Além disso, da forma como está escrito, seu mandato como prefeito parece ter sido maravilhoso, apesar de sequer ter ido ao segundo turno quando concorreu à reeleição, recebendo menos de 20% dos votos. Para quem lê o artigo é impossível saber os motivos de seu fracasso eleitoral. Marcado como parcial. Érico (disc.) 02h18min de 10 de setembro de 2018 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo. —Pórokhov Порох 02h20min de 10 de setembro de 2018 (UTC)
Symbol support vote.svg Concordo. Ricardo Ferreira de Oliveira Diga 19h11min de 10 de setembro de 2018 (UTC)
Symbol declined.svg Discordo Érico, Pórokhov e Ricardo Ferreira de Oliveira, não só da inclusão da tag neste verbete como nos outros adicionados. A tag deve ser utilizada para debater sobre o que está no artigo, e não o que faltou incluir,como orientou o Fabiano aqui. Concordo plenamente com Fabiano, caso contrário abre brechas para esse monte de marcação, vira bagunça e subjetividade. Inclusive a tag vai passar a ser utilizada de má-fé ou não para verbetes desatualizados, o que é totalmente distinto de parcial. Instambul (discussão) 01h09min de 11 de setembro de 2018 (UTC)
Precisamos definir quando uma acusação é digna de nota ou não. No artigo Geraldo Alckimin, estão removendo acusações sob a alegação de que não há denúncia na PGR. A presunção da inocência não pode variar de acordo com o partido do biografado. Dornicke (discussão) 20h26min de 10 de setembro de 2018 (UTC)
Concordo! Na verdade isso de não se incluir especulações jornalísticas ou delações vazadas (cuja confiabilidade é nula) é algo pacífico e aplicado em boa parte dos artigos desde 2015, seguindo o entendimento de WP:BPV. No entanto, a tag foi incluída justamente seguindo seu "exemplo". Não entendi o porque não concordou arduamente com minha edição... Bem, na verdade entendi sim. Érico (disc.) 20h36min de 10 de setembro de 2018 (UTC)
Não removi nem uma linha desse artigo, nem disse que sou contrário à inclusão da tag. Sou totalmente favorável à inclusão de informações relevantes, mesmo que desabonadoras. É você que deve explicar porque é a favor de colocar mais denúncias aqui enquanto remove denúncias do artigo Geraldo Alckmin [2]. Mas devo dizer que acho problemático que se coloquem tags apenas para "seguir exemplos" em disputas editoriais. Não devemos fazer edições por motivos alheios ao conteúdo do artigo, isso é totalmente contrário ao espírito e às regras do projeto. Dornicke (discussão) 20h54min de 10 de setembro de 2018 (UTC)
@Dornicke: você mistura alhos com bugalhos, e gera desconfiança contra o Érico. Esta, e principalmente esta demonstra como as edições do Érico são coerentes. O que difere, é que sua edição no artigo Geraldo Alckimin se baseia em citações, revertidos corretamente pelo Érico, não só neste como noutros artigos diversos, o que incluiu Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva como pode ser facilmente conferido nos diffs, como este, este, além dos demais mencionados anteriormente. O mesmo foi feito para o verbete da senadora Gleisi Hoffmann como pode ser conferido aqui. Outra questão, esta sim mantida por fontes fiáveis, é quando se trata de denúncias por autoridades competentes, tendo seus conteúdos mantidos, quando acompanhado de conteúdo fidedigno. Espero que os editores e administradores não se deixem enganar e acompanhem com todo cuidado possível os fatos e os diffs. Instambul (discussão) 21h43min de 10 de setembro de 2018 (UTC)
Seus diffs apenas tornam a atitude do Érico ainda mais difícil de ser compreendida. Por que o que vale para os artigos de Geraldo Alckmin, Dilma Rousseff e Lula não valeria para o artigo de Haddad? Dornicke (discussão) 21h56min de 10 de setembro de 2018 (UTC)
Também vale para Haddad, óbvio. O comentário sobre a planilha de propinas era justamente para ver se você notasse o quão equivocada era a tua posição. Infelizmente não viu. Érico (disc.) 03h40min de 11 de setembro de 2018 (UTC)

Érico Salvo engano, a denúncia do MP-SP que você diz não constar no artigo foi adicionada recentemente por mim, em Fernando_Haddad#Acusações_de_improbidade_administrativa. Poderia confirmar que se trata do mesmo assunto? Quanto às acusações em delações premiadas, parece-me um tipo distinto de denúncia. De qualquer forma, considerando que já consta no artigo pelo menos uma das denúncias citadas como faltantes, além de outra não cá reclamada (processo referente às ciclovias), ainda achas a marcação necessária? Saturnalia0 (discussão) 00h49min de 11 de setembro de 2018 (UTC)

Mesmo caso que Alckmin. Se for removido lá, também deve ser removido aqui, e vice-versa. O que não concordo é tratar assuntos iguais de forma diferente. Érico (disc.) 03h40min de 11 de setembro de 2018 (UTC)
Concordo com o Erico. Se remove lá remove aqui e vice-versa. Isto é óbvio. Casos semelhantes, medidas semelhantes. Ricardo Ferreira de Oliveira Diga 03h59min de 11 de setembro de 2018 (UTC)
Queiram focar nesse artigo? Entendo fazer paralelos, mas chegamos no nível em que essa discussão é mais sobre o que outros editores fazem em outros lugares do que sobre a porra do artigo em questão. Saturnalia0 (discussão) 11h39min de 11 de setembro de 2018 (UTC)
Prezado Saturnalia, evite termos como este adjetivo ao 'artigo em questão'. Fica parecendo ofensivo. Ricardo Ferreira de Oliveira Diga 11h56min de 11 de setembro de 2018 (UTC)
Não foi a intenção ofender, apenas ressaltar, exaltar, o quão desvirtuadas estão algumas discussões nesses artigos. Enfim, voltemos ao assunto. Saturnalia0 (discussão) 12h02min de 11 de setembro de 2018 (UTC)

Érico Poderia apontar fontes relevantes que mostrem o mandato do biografado como algo além daquilo que é mencionado em nosso texto, como sugeriste no comentário original? Podemos trabalhar em algo a respeito. Saturnalia0 (discussão) 14h47min de 11 de setembro de 2018 (UTC)

Campanha eleitoral[editar código-fonte]

Chronus Fui em frente e realizei uma redução dos trechos recentemente adicionados, tendo em vista o exposto no sumário de edição. Se achar que fui agressivo demais nas remoções, fique a vontade para revisar e propôr um texto alternativo. Sds Saturnalia0 (discussão) 15h32min de 17 de setembro de 2018 (UTC)

Lattes não é fonte confiável[editar código-fonte]

A versão atual da página usa o Currículo Lattes do candidato como referência em sete momentos. No entanto, conforme WP:LATTES, essa não é uma fonte confiável. Sugiro que fontes alternativas sejam encontradas para as informações, o que não deve ser difícil: talvez as referências que já existam na página já citem essas informações acadêmicas, basta localizá-las. As afirmações referenciadas pelo Lattes são as seguintes:

"É professor de ciência política da Universidade de São Paulo (USP), instituição pela qual se graduou bacharel em direito, mestre em economia e doutor em filosofia.[5]"
"Em 1981 ingressou na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da USP.[5]"
"Fernando Haddad é bacharel em direito, mestre em economia (com a dissertação O caráter sócio-econômico do sistema soviético) desde 1990, e doutor em filosofia (com a tese De Marx a Habermas — O Materialismo Histórico e seu paradigma adequado, sob a orientação de Paulo Arantes) desde 1996, tendo obtido esses três graus pela Universidade de São Paulo (USP).[5]"
"Prosseguiu a jornada acadêmica na USP cursando, entre 1991 e 1996, o doutorado em Filosofia. Nos dois níveis da pós-graduação defendeu teses de crítica ao socialismo real, adotando em ambas abordagens ancoradas na escola frankfurtiana.[5][17]"
"Em 1997, foi aprovado no concurso para lecionar na USP, tornando-se, aos 34 anos, professor do departamento de Ciência Política.[5]"
"Teses acadêmicas:
O Caráter Sócio-Econômico do Sistema Soviético. Mestrado em Economia. Orientador: Eleutério Fernando da Silva Prado.[5]
De Marx a Habermas - O Materialismo Histórico e seu Paradigma Adequado. Doutorado em Filosofia. Orientador: Paulo Eduardo Arantes.[5]"

Mateussf (discussão) 22h26min de 26 de setembro de 2018 (UTC)