Discussão:Pardos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Untitled[editar código-fonte]

Editor Al Lemos iniciou uma guerra de edições nesta página.--Elsonjunior0110 20h20min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Reverti para a última edição válida. Sr. Tumnus msg 20h57min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Ok, proponho adicionar o aviso de carece de fontes a parte que cita o porquê da substituição do IBGE do termo mestiço pelo termo pardo, já que não encontrei referência alguma que sustente esta passagem. Adicionar a palavra "supostamente" ao "fato de não haver raças humanas" também convém porque não é consensual que não há raças na espécie humana. E para manter a imparcialidade, proponho remover a referência a "geneticamente todos são iguais", pois trata-se de falácia: somente gêmeos o são.--Elsonjunior0110 21h11min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo Essas alterações todas deixarão o artigo mais parcial do que já é. Sr. Tumnus msg 21h15min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Quais são os argumentos que sustentam sua discordância?--Elsonjunior0110 21h17min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Olhem, essa definição de "pardos" do IBGE não quer dizer a mesma coisa que "mestiços". Pardo, para o IBGE, é uma categoria que inclui (1) os mestiços e (2) as pessoas de ancestralidade 100% indígena que, por motivos sociais e culturais já não são mais consideradas Índias.

Exatamente, mas não é isto que está em discussão. O artigo contém uma passagem que cita um motivo completamente sem fonte que o sustenta e que torna o artigo parcial. Veja os argumentos que citei no meu post.--Elsonjunior0110 21h20min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Visto que ninguém refutou meus argumentos, estarei colocando em prática as minhas pequenas propostas com relação ao artigo, que visam a imparcialidade do mesmo. Caso alguém faça alguma objeção as mesmas, sugiro que antes de desfazê-las por favor discutam (racionalmente e de maneira imparcial) a respeito, caso contrário serão denunciados aos administradores por vandalismo e atitudes de trolls.--Elsonjunior0110 22h16min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Usuários estão a colocar em prática uma guerra de edições neste artigo sem motivo expresso: estão furando as regras da Wikipedia por não usarem a página de discussões. E o pior é que a versão do artigo que ficou protegida foi a do usuário belicoso.--Elsonjunior0110 22h35min de 2 de Outubro de 2007 (UTC)

Olá, tenho acompanhado a evolução desse artigo. Confesso que fiquei horrorizado com uma versão mais antiga (alguns meses atrás) que era altamente preconceituosa com relação ao termo "pardo" e "mestiço". Penso, que este artigo deveria ter um enfoque meramente informativo, e não "doutrinário", pois as pessoas são livres. A construção social brasileira é multiracial, e é assim que a maioria do povo se vê, e isso deveria ser respeitado !. Se alguns ativistas não pensam assim, tem o direito democratico de expressarem a sua opinião, mas não de denegrir a imagem de grupos inteiros. Proponho as pessoas que fazem esse artigo maior imparcialidade. Estou elaborando um texto sobre a questão, e gostaria de postá-lo em "ligações externas". Não sei se esse artigo tem dono, se tiver peço-lhe a permissão. Cordialmente.--jobs1 01:41 de 23 de dezembro de 2007 (UTC)

Artigos na Wikipédia não tem dono. O que existe são criadores e mantenedores de atigos, o que é outra coisa. Mas, todo mundo pode editar qualquer um (ou praticamente qualquer um, visto haver aqueles protegidos após "guerras de edição"). Se o criador do artigo foi um usuário registrado, ou se o histórico da página indica que ele está sendo regularmente vistoriado por alguém, recomendam as boas normas de convívio social que se avise ao mantenedor antes de se fazer alguma alteração extensa na página (modificando conceitos e opiniões, por exemplo). Para a inserção de um link válido, não é preciso ter tanta cautela. - Al Lemos (discussão) 13h34min de 23 de Dezembro de 2007 (UTC)

Olá, Gostaria de contribuir com uma visão diferente sobre este tema. Este artigo está muito parcial, parece que o autor quer "forçar" uma conclusão. Em virtude disso, quero propor alterações em breve, porém não sei quem é o mantenedor deste artigo. Por favor, manifeste-se. A versão em inglês relativo a "brown/multiracial people" é muito mais adequada do que esta. Gostaria de reiterar que o wikipedia tem um carater informativo, e não doutrinário. Se o individuo tem uma ideologia mais específica sobre este, e qualquer outro, tema, poste em ligações externas. Cordialmente. --Jobs1 16h14min de 8 de janeiro de 2008 (UTC)

O artigo está protegido justamente para evitar a inserção de pontos de vista racistas. - Al Lemos (discussão) 19h49min de 8 de Janeiro de 2008 (UTC)

Citação: as pessoas de ancestralidade 100% indígena que, por motivos sociais e culturais já não são mais consideradas Índias

Symbol declined.svg Discordo Elson, na verdade, qualquer um pode se declarar índio, e eu entendo que alguém que tenha aparência de índio deveria se dize índio sim, pq não ? A questão é que da mesma forma que muitos pardos se dizem brancos, e muitos pretos se dizem pardos, muitos índios tb se dizem caboclos (pardos). O problema é que as pessoas não têm consciência ainda, não que o conceito esteja errado... Leandro Rocha (discussão) 17h45min de 1 de Maio de 2008 (UTC)

Interwiki en[editar código-fonte]

Por favor colocar a ligação para o artigo correspondente em Inglês en:Pardo.

Obrigado -- Bluedenim (conversa) 17h49min de 6 de Abril de 2008 (UTC)

O texto seguinte foi movido de: Discussão:Pardos (Espanha) --Bluedenim (conversa) 01h06min de 4 de Julho de 2008 (UTC)

1[editar código-fonte]

Na primeira linha do item A origem do termo pardo: "pois geneticamente todos os seres humanos são iguais" essa afirmação esta imprecisa, seria melhor e mais correto para o texto se fosse apagada. o comentário precedente não foi assinado por Bogoio (discussão • contrib.) 01h12min de 4 de Julho de 2008 (UTC)

Fontes[editar código-fonte]

Esse artigo está sem fontes e o Usuário:James Mytho simplesmente reverteu minha marcaçoes para partes extremamente duvidosas.

Se a informação está correta, basta trazer as fontes. Se não houver fontes, é porque não estão corretas e serão apagadas. Opinoso (discussão) 16h30min de 11 de Outubro de 2008 (UTC)


Concordo totalmente. Veja só: Opinoso sempre assume a boa fé [carece de fontes?].

Quissamã (discussão) 06h01min de 12 de Outubro de 2008 (UTC)

Correção[editar código-fonte]

Às vezes, fico pasmo com a mentalidade obtusa de certos indivíduos. Ora, todos nós sabemos que os africanos influenciaram mais a composição étnica do povo brasileiro do que os indígenas, o qual respeitamos. Há mais mulatos do que caboclos, pressupõe-se. Há coisas que não necessitam de "provas", pois a mesmas seriam redundantes (será que é necessário provar-se que a terra é redonda ??). Mesmo assim, postarei as ditas fontes.

Peço ao estimado escrevente que controle seus ímpetos. Sei que ele deseja ajudar, mas fazer outras coisas na vida faz bem. James Mytho (discussão) 19h51min de 11 de Outubro de 2008 (UTC)

Sem filosofia por aqui. Basta colocar as fontes. Opinoso (discussão) 00h39min de 12 de Outubro de 2008 (UTC)

Nomes[editar código-fonte]

Novamente caímos no dilema de colocar as pessoas em certos grupos "raciais", apenas se baseando na aparência física ou na opinião de terceiros.

Alguns nomes na lista chegam a ser cômicos. Lula está lá, e na fonte apresentada o autor afirma que Lula é um "Presidente negro". Realmente, se colocarmos Lula numa tribo africana ele vai passar completamente despercebido...

Outro nome arbitrário é do ator Marcos Palmeira. Curiosamente, ele já foi submetido a uma exame de ancestralidade, e constataram que ele é 93% europeu, 5,5% indígena e o 1,5% africano[1]. Basearam-se apenas na aparência "morena" do ator e inventaram que ele é "multi-racial", mas o exame constatou que a ascendência não-européia dele é mínima. Ninguém com 5,5% de sangue índio e 1,5% de africano cabe na categoria multi-racial.

Caso Marcos Palmeira, com seus insignificantes genes não-europeus, for multi-racial, vamos ter que colocar diversas populações européias nessa categoria. Como exemplo, os finlandeses, loiríssimos de olhos azuis, são geneticamente, "apenas" 90% europeu e 10% asiático. Sim, 10% da ancestralidade do povo finlandês é oriundo de antepassados asiáticos siberianos, e nem por isso eles deixam de figurar entre a população mais "loira e branca" da Europa.[2]

Marcos Palmeiras, identificado como "pardo" nesse artigo é, geneticamente, mais europeu que a população loira de olhos azuis da gélida Finlândia.

Outro nome controverso ali é de Chico Anísio (??), Stênio Garcia (??). Será que Juliana Paes ou Frank Aguiar se dizem "pardos" quando o censo do IBGE batem à sua porta? Duvido muito que a pessoa que colocou o nome desse povo lá saiba o que eles respondem ao IBGE.

Isso é muito arbitrário. E as pessoas "brancas" que têm antepassados indígenas e africanos? Por que nenhuma foi citada ali? Nascer branco te faz perder o "status" de descendente desses dois povos?

Basear na aparência é muito provável que se caia no erro. O exemplo de Mascos Palmeiras é claro.

Favor colocar as fontes nos nomes, mostrando que eles se identificam como "pardos". Nem todo mundo que descende de africano e índio é "pardo". E nem todo o "multi-racial" é necessariamente um "pardo". Muitos são loiríssimos de olhos azuis. A miscigenação faz parte da ancestralidade brasileira. Opinoso (discussão) 22h48min de 17 de Outubro de 2008 (UTC)

Peço para Usuário:James Mytho para parar de apagar o pedido de "revisão" aos nomes colocados sem fontes como "personalidades multi-raciais". A Wikipédia usa fontes. Nomes como Lula e Marcos Palmeira ali são completamente errados, e o erro só destrói a credibilidade da Wikipédia.

Wikipedia:Nada de pesquisa inédita. Opinoso (discussão) 23h28min de 17 de Outubro de 2008 (UTC) .............................................................

Providenciarei as fontes, acrescentarei outras personalidades que se consideram - e são - de origem mista. James Mytho (discussão) 23h34min de 17 de Outubro de 2008 (UTC)

Caro, 90% do Brasil é de origem "mista". Agora, colocar apenas as pessoas que "parecem ser" "mistas" é pesquisa inédita (não aceito pela Wikipédia). E isso leva ao erro, como no caso de Marcos Palmeira, que é mais "europeu" que os finlandeses.

Duvido muito que você encontre mais de 3 pessoas que tenham declarado isso, até porque no Brasil ninguém está muito interessado nesse assunto, muito menos as "personalidades".

E pessoas "mistas" mas com aparência negra e vista como negra, como a atriz Taís Araújo, cuja avó era austríca, mas em pouco isso interferiu na aparência dela. Ela entra nessa lista? Ou só as pessoas de "aparência mista" entram?

E Neguinho da Beija-flor? Parece um africano, mas é geneticamente mais europeu. Ele entra na roda "multi-racial" também? Você só está confirmando o erro no Brasil nas declarações: só olham a aparência, a ancestralidade é ignorada.

Isso é muito leviano. Opinoso (discussão) 23h53min de 17 de Outubro de 2008 (UTC)


Meu caro ÍTALO-LUSO-AFRO-INDÍGENA-NIPO-SINO-HIPO-BRASILEIRO.

Acho que a lista está fora de contexto. Primeiro, porque pelo critério atual do IBGE, que só considero aplicável para pessoas vivas, pardo é que diz-se pardo. Se o geneticamente europeu Marcos Palmeira dizer-se pardo, ele o é. Ainda mais que o termo geneticamente europeu está muito mal utilizado aqui. Geneticamente "europeu" inclui também os bérberes habitantes do norte da África e, possivelmente, até os orientais árabes e a maior parte da população do Afeganistão? Acho que geneticistas e antropólogos jogam todos estes no mesmo cesto..

Não seria adequado manter na lista apenas pessoas já falecidas que tenham tido destaque na História do Brasil. A idéia é mostrar a participação dos pardos na formação nacional. Poderíamos citar o Machado de Assis, Lima Barreto, Aleijadinho e o Nilo Peçanha, além de outros comprovadamente considerados pardos e mulatos por seus contemporâneos.

Por falar nisto, acho que é necessário alguns ajustes nas páginas da Thais Araújo e da Juliana Paes.

Boas contribuições!

--Quissamã (discussão) 06h16min de 18 de Outubro de 2008 (UTC)

Recentamente, em plenas comemorações do aniversário de 100 anos de morte de Machado de Assis, alguém veio me perguntar de onde tiraram que Machado de Assis era de ascendência africana.[3]

Eu me assustei, quase chorei, mas depois me acalmei, pois tenho consciência que a educação no Brasil é, em muitos casos, completamente decadente e, infelizmente, nossos alunos saem de lá sem ao menos saber quem foi o grandíssimo, fundador da Academia Brasileira de Letras, Machado de Assis...

Discordo do afro-brasileiro Quissamã quando ele diz que apenas "figuras históricas" devem constar na lista. Claro que você não se encaixa nesse perfil, Quissamã, mas para alguns isso é um reflexo da baixo-estima que pode atacar muitos afro-brasileiros. Ninguém precisa de exibir presidente negro ou cantor, ou atriz ou pintor afro-brasileiro para levantar sua moral ou tentar sair de um sentimento de inferioridade.

Quem pensa assim, precisa de ajuda psicológica.

A nossa constituição como brasileiros, nossa moral, nossos valores, hábitos e costumes são, amplamente, legados dos africanos e seus descendentes. Nossa forma de estar, agir e pensar. Isso, sim, é o grande legado africano. Presidentes desconhecidos não precisam ser "reinventados" como afro-brasileiros porque não estamos nos Estados Unidos e políticos, no Brasil, não servem para levantar baixo-estima de ninguém.

Recentemente, tentaram pintar o quase-desconhecido Nilo Peçanha como um "presidente africano do Brasil". Muitos acreditam que tal atitude é para levantar auto-estima decaída e sentimento de inferioridade.

Antes criticava, hoje aplaudo o Lula com seus programas de reafirmação racial. Nem imaginava que, nesse Brasil, tinha gente que se sentia inferior por ter a pele negra, e para isso precisem "esfregar na cara dos outros" um pseudo presidente "africano", como se isso fosse mudar em alguma coisa a História do Brasil.

Para quem quer saber mais detalhes sobre a baixo-estima negra, que ataca algumas pessoas que não estão preparadas, existe um projeto legal: Projeto quer resgatar auto-estima de jovens negros.

Abraços ÍTALO-LUSO-AFRO-INDÍGENA-BRASILEIRO . Opinoso (discussão) 19h23min de 18 de Outubro de 2008 (UTC)

Aliás, divertido usuário afro-brasileiro Quissamã. Você por acaso publicou um livro sobre baixo-estima afro-brasileira?? Sim, porque você me disse que é um "intelectual" e "cientista" dessa área, e eu estou procurando alguma obra acerca desse assunto. Como você me contou que é um cientista, com certeza você tem algum livro publicado para eu ler. Por favor, me fale o nome da sua obra, o preço e onde posso encontrar, que hoje mesmo gostaria de tê-lo em mãos.

Um abraço meu, meio afro-brasileiro, para você Quissamã, totalmente afro-brasileiro. Opinoso (discussão) 19h28min de 18 de Outubro de 2008 (UTC)

Quanta violência. Típico de quem não tem argumentos.Crazyaboutlost discussão 17h33min de 26 de Outubro de 2008 (UTC)

De Pardos para Brasileiros pardos[editar código-fonte]

Sugiro aqui que o nome do artigo seja mudado de "Pardos" para "Brasileiros pardos" para se adequar ao criterio geralmente usado de nomear a qual país certo grupo pertence no nome do artigo. Essa mudança de nome não ira mudar o sentido do artigo mas ira encaixa-lo melhor em seu contexto, que é o contexto das classificações da população brasileira.

Convido todos a exporem suas opiniões quanto a isso e convido os que discordam de mim a expressarem porque discordam e a sugerirem um nome mais apropriado para o artigo na opinião deles.

--CEBR (discussão) 21h53min de 22 de setembro de 2010 (UTC)

Não havendo mais manifestações contrarias, com todo o respeito, e embasado nas questões que já declarei, mudarei o nome do artigo. --CEBR (discussão) 20h35min de 9 de outubro de 2010 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo. Acho que o termo "Pardos" é melhor que "Brasileiros pardos", pois nem todos os brasileiros são pardos. Francisco disc contrib 15h23min de 12 de outubro de 2010 (UTC)

Amigo, a expressão "Brasileiros pardos" não da a entender que todos os brasileiros são pardos, da mesma forma que a expressão "Brasileiros brancos" no artigo sobre os brasileiros que são brancos não da a entender que todos os brasileiros são brancos e da mesma que em uma infinidade de artigos a classificação é feita dessa maneira e não se da a entender que todas as pessoas de certa nacionalidade são daquela cor\raça.

O que a expressão "Brasileiros pardos" faz é adequar esse artigo ao padrão usado na Wikipédia para a vasta maioria de artigos sobre cor\raça de pessoas de uma certa nacionalidade, padrão usado inclusive para as outras cores\raças que compõem o Brasil.

Reflita sobre isso.

--CEBR (discussão) 18h19min de 14 de outubro de 2010 (UTC)

Concordo que ter um artigo "Brasileiros pardos" não implica (nem induz, nem dá a entender) que todos os brasileiros sejam pardos. Como foi dito, pode haver "brasileiros brancos", "brasileiros pardos" etc. Se a justificativa para retornar ao título anterior for só essa, acho que podemos retornar a "Brasileiros pardos". Eamaral (discussão) 03h58min de 15 de outubro de 2010 (UTC)

Obrigado pelo apoio, Eamaral, reeditei o nome do artigo para "Brasileiros pardos".--CEBR (discussão) 23h14min de 17 de outubro de 2010 (UTC)

Adjetivo "Preto"[editar código-fonte]

Creio que o adjetivo "Preto" cause um impacto muito forte, tendendo a uma conotação racista. Deveras não é um termo racista, mas passa tal idéia. Recomendo que alguém mude esse termo, para que não ocorra futuros mal entendidos ou idéias de ofensa por parte de outros. --Leandro.Assis (discussão) 01h59min de 5 de agosto de 2011 (UTC)

O adjetivo "preto" é o termo usado pelo IBGE, nomenclatura esta que a Wikipédia segue. Heitor diz aí! 08h40min de 7 de agosto de 2011 (UTC)

Citação falsa do IBGE[editar código-fonte]

É falso dizer que o IBGE "vem agregando as categorias pardos e pretos numa categoria única denominada 'negros'". O IBGE não faz isso e a prova está na citação 13 que não remete ao site do IBGE, mas sim ao site de uma ONG do movimento negro. São outras instituições de pesquisa, sobretudo o IPEA, que agregam pretos e pardos na categoria "negro". O IBGE não! Dia 25/02/2012 Não há nenhuma citação do IBGE sobre pardos, índio com branco, negro com branco, índio com asiático etc, serem do grupo dos negros, é falaciosa e incorreta, culturalmente e geneticamente. O fato é que isso segue uma agenda pessoal de grupos afrocentista que ignorando cientistas, fatos, sociedade, geneticistas, identidade correta pessoal, antropólogos etc, espalham esta falácia. Será editado, e está parte cortada.

base pseudo-cientifica[editar código-fonte]

  • na epoca de freire havia um dogma de que todo brasileiro é um terço mongoloide, um terço europoide, um terço do congo, não importando a região de origem..antes dele o escritor cearense josé de alencar dizia que eramos todos mamelucos; agora há uma tendencia de colocar a população de certos lugares tais como rio e minas como a media do brasil inteiro..criou-se um novo dogma: o de que todo pardo é metade negroide e metade caucasico, só que ninguem cita fontes e mesmo o ibge não pede auto-declaração do sub-tipo de mestiço e nem teste de dna, antropometria, etc..ou seja, o termo pardo é vago, pseudo-cientifico e está sendo sofismado por certos grupos pra fazer numero e subsidiar populações negroides como se todo pardo fosse metade negroide no mínimo, o que não tem base cientifica alguma..
  • ignoram a contribuição mongoloide, as variações historico-regionais, tentam hiperbolizar a real proporção negroide, etc..e se aproveitam do facto que os gens negroides mesmo quando minoricos predominam no fenotipo e cia, basta ver casos como o neguinho da beija flor, ildi silva e cia..
  • aliás muitos ficam chocados com o dna do neguinho da beija flor mas não tem nada de muito anormal ali..ele nem quadroon é..tem um padre que fenotipicamente parece mais quadroon que ele que fez o teste da bbc que no dna é mais da metade negrideo, mas pouco mais da metade

o mapa não confere com a realidade in loco[editar código-fonte]

  • meia duzia de sulinos fez o ms ter mais da metade brancos?até o mt recebeu mais sulinos e nem por isso..ps: o rio branco?tão de brincadeira né?até o es se passaria melhor na parte verde do mapa que o rio..se nem sp é mais italiano como ja foi ha algumas decadas..

Fotos de "pardos"[editar código-fonte]

O que Gilberto Freyre está fazendo na lista de pardos? Ele fazia parte da elite aristocrática de Pernambuco, era branco, tanto na cor como "socialmente". O fato de ele ter dito que tinha um índio na família não faz dele um pardo. Ademais, as fotos dos pardos nesse artigo foram arbitrariamente escolhidas. Nenhuma fonte mostra que qualquer um deles se identifica como pardo. Xuxo (discussão) 04h20min de 6 de abril de 2013 (UTC)

  • ué, ele podia ser fenotipicamente x e geneticamente y tal como o caso do padre que parecia quadroon ou quase-quadroon e o dna disse que era mais da metade negro ou pouco mais que isso..quanto aos quadros por que outros artigos tem representantes e os pardos não tem?aliás por que nos artigos sobre subtipos de pardos não existe quadros sobre notáveis?por que só os que se enquadram totalmente numa só raça tem direito de ter um quadro de notáveis?..

Pardo como sinônimo de mestiço[editar código-fonte]

O artigo pendia a fazer de pardo como sinônimo de mestiço, inclusive propuseram unificar os dois artigos, então adicionei informações de historiadores que fazem uma clara diferenciação entre os dois termos. Xuxo (discussão) 04h50min de 9 de julho de 2013 (UTC)

  • a etimologia de mestizo é curiosa..originalmente na américa espanhola era o filho da nativa com o ibérico, ou seja, o mameluco, o hispânico original..depois meteram a palavra como qualquer coisa não importa a autossomia..é tipo como a palavra moreno que originalmente na europa significava o sul-europideo em contraste com o norte-europideo, mas depois até negros se dizem morenos..

Nova descoberta da origem britânica[editar código-fonte]

Segundo a ciência quem embasa todo o artigo, a mais nova descoberta é que o fóssil britânico mais antigo encontrado até o momento é de um homem negro de olhos azuis, seu DNA está presente em 10% dos britânicos brancos. Ou seja, o "lado europeu" carrega em sua genética a pele negra também Gabriel Malheiros (discussão) 14h02min de 24 de maio de 2018 (UTC)

@Gabriel Malheiros: Este artigo fala sobre um grupo étnico brasileiro e não sobre a linhagem britânica. Conteúdo completamente descontextualizado. Ademais, a pesquisa aborda o homem pré-histórico e afirmações como a sua desrespeitam WP:PESO e WP:NPI, leituras que recomendo. Chronus (discussão) 16h38min de 24 de maio de 2018 (UTC)

Bom, sou novo aqui e ainda estou um pouco perdido nos comandos do Wikipédia, porém sobre a relevância da minha edição, ainda não entendo o porque não é aceita. Eu coloquei a origem do britânicos comprovada cientificamente e suas fontes para complementar o artigo que usa alguns artistas como exemplo para mostrar a porcentagem de ascendência europeia, africana e ameríndia. O fóssil no qual adiciono a informação, mostra a perspectiva que o europeu também descende da pele negra, e não da pele branca como diziam até então. Gabriel Malheiros (discussão) 17h48min de 24 de maio de 2018 (UTC)

Leia a minha resposta novamente. Chronus (discussão) 17h52min de 24 de maio de 2018 (UTC)