Domenico Cimarosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Domenico Cimarosa
Nascimento 17 de dezembro de 1749
Aversa
Morte 11 de janeiro de 1801 (51 anos)
Veneza
Sepultamento Roma
Cidadania República de Veneza, Itália
Ocupação compositor
Magnum opus Il matrimonio segreto

Domenico Cimarosa (Aversa, 17 de dezembro de 1749Veneza, 11 de janeiro de 1801) foi um compositor italiano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de família humilde, ficou órfão aos sete anos de idade. Foi educado numa escola para pobres mantida pelos frades franciscanos de Nápoles, onde um frade deu-lhe as primeira lições de música e, em 1761, matriculou-o no conservatório de Santa Maria de Loreto, onde Cimarosa adquiriu sólidos conhecimentos de canto, violino e composição. Um de seus professores no conservatório foi Nicola Piccini, um compositor famoso na época. Em 1772, ele estreou com sucesso sua primeira ópera. Embora tenha composto 65 óperas ao todo, que fizeram tremendo sucesso no seu tempo, tornando-o um compositor aclamado por toda a Europa, a única que a posteridade consagrou é Il Matrimonio Segreto. A respeito desta ópera, Verdi dizia: Quella è la vera commedia musicale, e lì è tutto quello che un'opera buffa deve avere (Esta é a verdadeira comédia musical, ela tem tudo aquilo que uma ópera cômica deve ter).

Em 1787, Cimarosa foi convidado pela imperatriz da Rússia Catarina II para ser compositor da corte em São Petersburgo. Permaneceu a serviço da czarina até 1791, quando voltou a Nápoles e participou de uma revolução contra os Bourbons que governavam a cidade. Preso e condenado à morte, obteve o perdão do rei Fernando IV, segundo alguns por pressão diplomática do embaixador da Rússia. Pouco após ser libertado, foi para Veneza, onde morreu pouco após completar 51 anos de idade.

A sua ópera La ballerina amante foi seleccionada para a inauguração solene do Teatro de São Carlos em Lisboa, a 30 de Junho de 1793.[1]

Além de ópera, Cimarosa escreveu música de câmara, peças para piano, e música sacra, inclusive um Requiem.

Vàrios òpera[editar | editar código-fonte]

  • I sdegni per amore 1776
  • L'italiana in LOndra 1779
  • Il pittor parigino 1781
  • La ballerina amante 1782
  • LA villana riconosciuta 1783
  • La Circe 1783
  • Due Baroni di rocca azzurra 1783
  • Chi dell'altrui si veste presto si spoglia 1783
  • Vergine del sole 1789
  • Le astuzie femminili 1794
  • La finta ammalata 1796

links externos[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Jornal Le Ménestrel, 2836, ano 51 (1885), nr. 32, pág. 254.)
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.