Doom 64

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Doom 64
Capa da versão norte-americana.
Produtora Midway Games e Id Software
Editora(s) Midway Games
Motor id Tech 1 (modificada)
Plataforma(s) Nintendo 64
Data(s) de lançamento 31 de Março de 1997 (América do Norte)
1 de Agosto de 1997
(Japão)
2 de Dezembro de 1997
(Região PAL)
Gênero(s) Tiro em primeira pessoa
Modos de jogo Single player
Classificação Inadequado para menores de 17 anos i ESRB (América do Norte)
Média Cartucho

Doom 64 é um jogo de tiro em primeira pessoa lançado para o Nintendo 64 em 31 de Março de 1997 pela Midway Games, tendo sido supervisionado pela Id Software durante seu desenvolvimento.

Em 10 de Julho de 2008, um port não-oficial para Windows e Mac foi lançado por Samuel "Kaiser" Villarreal, intitulado de Doom 64 EX.[1]

Enredo[editar | editar código-fonte]

O jogo se passa após o término dos eventos ocorridos em Doom 2, com o único Marine sobrevivente retornando para a terra. Os demônios, no entanto, continuam soltos nos corredores e complexos abandonados dos satélites de Fobos e Deimos. Em uma tentativa desesperada de acabar com todos os monstros que habitam o local, o exército decidiu bombardear os satélites com radiação extrema na esperança de eliminar todas as monstruosidades. Inicialmente, foi um sucesso, mas alguma coisa sobreviveu a explosão. A radiação impediu os sensores militares de detectarem tal forma de vida, e permitiu que esta passasse sem que fosse notada. A misteriosa entidade, tendo capacidade de ressuscitar qualquer demônio que visse, recriou uma horda inteira de criaturas e fez com que essa ficasse mais forte do que nunca. Um grupo de Marines foi ordenado a conter os exércitos de demônios, mas foi brutalmente abatido. O jogador é o único membro restante deste grupo

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Doom 64 possui uma jogabilidade idêntica aos jogos anteriores da série Doom, tendo algumas adições; o jogador deve avançar através de vários mapas enfrentando demônios, recolhendo armas e chaves e usando interruptores, com o intuito de alcançar a saída, enquanto sobrevive as armadilhas mortais e emboscadas. Alterações foram feitas ao motor gráfico do Doom original - fazendo o Doom 64 um jogo que utiliza um motor gráfico dos dois jogos anteriores - para utilização no Doom 64, adicionando alguns elementos de jogabilidade

Armas[editar | editar código-fonte]

Todas as armas presentes nos jogos anteriores estão presentes, mas redesenhadas com sprites totalmente novos, sendo as mudanças mais notáveis: a serra-elétrica agora possui duas lâminas; o punho/mão do jogador agora possui luvas manchadas de sangue; o rifle de plasma agora possui um núcleo elétrico emitindo um efeito sonoro bastante diferente do seu original; o lança-foguetes, embora muito similar, empurra o jogador levemente para atrás devido seu forte disparo; a famosa 'super-shotgun' da série também é muito semelhante com a anterior (vista em Doom 2), mas agora não é mostrado o carregamento da arma, e seu disparo pesado também causa recuo.

Há ainda uma arma intitulada de Unmaker, que utiliza a mesma munição do rifle de plasma e da BFG. No livro Doom Bible escrito por um dos designer do Doom e Doom 2, Tom Hall, há escrito que esta arma deveria estar presente nos jogos originais, mas que foi descartada, fazendo com que a aparição do Unmaker em Doom 64 seja a única aparição oficial. Conforme o jogador colete artefatos (há ao todo três) desta arma no decorrer dos mapas, o Unmaker poderá se tornar mais poderoso com este feito: o primeiro artefato aumenta a velocidade do laser, o segundo adiciona um disparo duplo e o terceiro, três disparos ao mesmo tempo, permitindo o jogador a atacar três inimigos ao mesmo tempo.

Inimigos[editar | editar código-fonte]

Todos os inimigos vistos nos jogos anteriores estão presentes no Doom 64 - tendo sido completamente redesenhados - exceto por quatro deles: o Heavy weapon dude, Spider Mastermind, Arch-vile, e o Revenant. Se pode deduzir que a ausência destes inimigos se deve ao pouco espaço presente neste tipo de cartucho para o Nintendo 64. No entanto, há ainda o Nightmare Imp (um Imp transparente) e um novo chefe final, a Mother Demon, ambos inimigos exclusivos no Doom 64.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O Doom 64 foi desenvolvido pela Midway Games nos estúdios de San Diego sob supervisão da Id Software, a principal desenvolvedora da franquia Doom.[2] O desenvolvimento do jogo começou no fim de 1994.[3] Inicialmente, a Midway Games tinha como objetivo de lançar o jogo com o título The Absolution, mas optou por Doom 64 devido o reconhecimento da marca - o título The Absolution foi reutilizado para no último mapa do jogo. A Midway Games desejava incluir todos os inimigos dos jogos originais, bem como alguns extras e mapas adicionais no produto final, mas com curtos prazos para entregar o jogo e o pouco espaço disponível nos cartuchos de Nintendo 64 impediram essa possibilidade. A Midway afirma que um multiplayer não foi incluso porque a Nintendo não disponibilizou os devidos recursos de programação para isso. A desenvolvedora ainda justifica que isso poderia ter sido devido lentidões em jogos de multi-jogador presentes nos games daquele período e a competitiva natureza do estilo de jogo split-screen: "Todos sabem que a melhor parte de um multiplayer é não saber onde seu oponente está", afirmou um representante da Midway Games, "e com um multiplayer em tela dividida, todos podem identificar facilmente onde seus oponentes estão."[4]

A música e os efeitos sonoros do Doom 64 foram inteiramente feitos por Aubrey Hodges, responsável também por ter feito os efeitos sonoros e trilha sonora da versão do port de Doom para o PlayStation. A equipe responsável por Doom 64 cogitou na possibilidade de um Doom 64 2 não muito tempo após o lançamento deste, mas descartou a ideia em virtude do "motor gráfico do Doom ser obsoleto" e os jogadores estarem dando mais atenção a jogos como Quake e atiradores inteiramente em 3D.

Recepção[editar | editar código-fonte]

A IGN deu ao Doom 64 a pontuação 7.4 de 10, fazendo uma leve crítica ao gameplay, assinalando a ausência de olhar para cima e para baixo, pular, e a falta de um multiplayer.[5]

Referências

  1. Doom 64 EX - Blog oficial Doom 64
  2. Staff da IGN (11 de Novembro de 1996). Doom 64 News IGN. Visitado em 11 de Julho 2015.
  3. "Williams Makes Jaguar, Ultra 64 Plans", GamePro, IDG, Janeiro de 1995, p. 210.
  4. Staff da IGN (29 de Dezembro de 1996). Doom 64 Gets the Multiplayer Axe IGN. Visitado em 11 de Julho 2015.
  5. Análise da IGN


Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.