E la nave va

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
E la nave va
O navio[1] (PRT)
E la nave va[2] (BRA)
 Itália
1983 •  cor •  132 min 
Direção Federico Fellini
Roteiro Federico Fellini
Tonino Guerra
Andrea Zanzotto (letras)
Elenco Freddie Jones
Barbara Jefford
Peter Cellier
Norma West
Pina Bausch
Género comédia
Idioma italiano

E la nave va (em Portugal intitulado O Navio) é um filme italiano de 1983 dirigido por Federico Fellini. Nele são mostrados os eventos ocorridos a bordo de um navio luxuoso, onde os amigos de uma falecida cantora de ópera se reúnem para o funeral dela.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Boa parte do filme foi feito como um falso documentário, embora o conceito seja relevado em vários pontos. Na abertura, é mostrada uma cena em julho de 1914, imediatamente antes do lançamento ao mar do navio Gloria N.. Toda a seqüência de abertura é feita em tons de sépia, como se houvesse sido filmado realmente naquela época, e sem nenhum outro som além do ruído do projetor. Gradualmente, a sépia dá lugar ao filme colorido e podemos ouvir o diálogo das personagens. O sr. Orlando é um jornalista italiano; ele encara a câmera e explica que a viagem é um tipo de funeral, com o objetivo de dispersar as cinzas da cantora lírica Edmea Tetua em torno da ilha de Erimo, onde ela nasceu. Explica que Edmea Tetua foi a maior cantora de todos os tempos e que tinha a voz de uma deusa.

Certa manhã, os passageiros descobrem que há um grande grupo de refugiados sérvios no convés do navio. O capitão os havia recolhido na noite anterior. Um dos passageiros é o arquiduque de Herzog (parte do Império Austro-Húngaro) e seus assistentes consideram os refugiados como uma ameaça à segurança. Eventualmente, um navio de guerra austro-húngaro aparece e exige que os refugiados sejam entregues, presumivelmente para serem feitos prisioneiros ou escravizados.

Na parte final, o filme assume um tom decididamente surrealista. Numa cena invertida, o diretor revela os estupendos bastidores de sua ópera flutuante - gigantescos macacos hidráulicos (construídos pelo vencedor do Óscar- Dante Ferretti) que simula os movimentos da navegação marítima, além de um oceano de plástico, cercados por um exército de técnicos criando a fumaça para o desastre no clímax do filme. Finalmente, uma enigmática figura está atrás da câmera filmando Orlando na última cena: o jornalista está num bote salva-vidas com o rinoceronte, aparentemente feliz. Ele diz, confidencialmente olhando para a câmera: Você sabia que rinocerontes fêmeas produzem um excelente leite? E, em seguida, desaparece em um imenso oceano de plástico.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Dubladores de canto[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme do cinema italiano é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.