Eazy-E

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eazy E
Eazy-E em 1993
Informação geral
Nome completo Eric Lynn Wright
Também conhecido(a) como "E"
"Eazy"
"The Godfather of Gangsta Rap"
Nascimento 7 de setembro de 1964
Origem Compton, Califórnia
País Estados Unidos
Morte 26 de março de 1995 (30 anos)
Los Angeles, Califórnia
Gênero(s) West Coast hip hop
Gangsta rap
Período em atividade 1986-1995
Gravadora(s) Ruthless Records (1987-1998)
Priority Records (1988-1993)
Relativity Records (1993-1995)
Afiliação(ões) N.W.A, Bone Thugs-n-Harmony, DJ Yella, The D.O.C., Kokane, B.G. Knocc Out, Dresta, Frost, MC Ren , Above the Law, Ice Cube, Rhythum D, Sylk-E. Fyne, Brownside, Arabian Prince, Bobby Jimmy. Naughty By Nature, Dr. Dre, K-Loc, Roger Troutman, Paperboy
Página oficial http://eazy-ecpt.com/

Eazy-E (nome artístico de Eric Lynn Wright; Compton, 7 de setembro de 1964Los Angeles, 26 de março de 1995) foi um rapper, produtor e empresário americano. Fez parte do grupo N.W.A. entre 1986 e 1991.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Eric nasceu em Compton, Califórnia, em 7 de setembro de 1964, filho de Richard e Kathie Wright.[1][2] Seu pai era um carteiro e sua mãe uma secretária de escola primária.[3] Cresceu na periferia de Los Angeles convivendo com a violência e a pobreza, onde tornou-se um gângster, tendo se tornado traficante e membro da crip Kelly Park Compton. Eazy também se associou com crips de outros sets (posse).[4] Em 1979, na época de estudante, largou a escola no 10º ano e começou a traficar para se sustentar.[5] Eazy depois investiu seu lucro dando a Ruthless Records.[6] Ele mais tarde recebeu um diploma do supletivo.[7]

N.W.A[editar | editar código-fonte]

Após isso, criou o grupo de gangsta rap N.W.A (Niggaz With Attitude, em português Negros Com Atitude ou Manos com Atitude). Ele era integrado por Eazy-E, Ice Cube (compositor), Dr. Dre, DJ Yella (produtores), MC Ren e Arabian Prince. O sucesso foi gigantesco, pois o grupo era independente e apesar do fato da mídia não apoiá-los, seu número de fãs aumentava a cada dia e suas músicas logo se tornaram hits nos guetos da Costa Oeste, Meio-oeste e no Sul dos Estados Unidos. Seguindo carreira com o N.W.A, Eazy lançou seu primeiro álbum solo em 1988, intitulado "Eazy-Duz-It".

O clássico "Fuck Tha Police" do grupo NWA, acabou resultando em uma advertência do FBI, o qual através de uma carta, avisou a gravadora Ruthless Records que deveria maneirar nas letras. Este incidente foi considerado por muitos o pontapé inicial para a popularização do estilo Gangsta Rap.

O rapper Sir Jinx disse uma vez que Eric não era conhecido como "Eazy-E", e sim como "Rat", por causa de suas orelhas grandes, sua voz fina e sua baixa estatura, e que ele inventou o apelido "Eazy-E" pela necessidade de ter um nome artístico depois que começou a fazer rap.[8]

Carreira solo[editar | editar código-fonte]

Em 1991, o grupo N.W.A. chegou ao fim, e Eazy-E seguiu carreira solo em definitivo. No ano seguinte, lançou o seu segundo álbum, 5150: Home 4 tha Sick, o qual teve vendas em um número considerável. O álbum ganhou disco de ouro dois meses depois do lançamento. Mais tarde, Dr. Dre deixou a Ruthless Records e fundou seu próprio selo ao lado de Suge Knight, a Death Row Records. Com isso, Eazy, que havia discutido com Dre ocasionando o encerramento da banda, decretou Dre seu inimigo e lançou o álbum It's On (Dr. Dre) 187um Killa, o qual conteve inúmeras ofensas a Dr. Dre e Snoop Dogg. "Real Muthaphukkin' G's" foi o destaque do CD, resposta à música "Fuck With Dre Day" de Dr. Dre e Snoop. O álbum foi certificado platina 2 vezes pela RIAA.

Em abril de 1994, Eazy-E estreou um programa numa rádio de Los Angeles intitulado The Ruthless Radio Show, o qual era apresentado nas noites de sábado, com a parceria de DJ Yella. No mesmo ano, produziu ao lado de DJ Yella o aclamado EP do grupo Bone Thugs-N-Harmony "Creepin on ah Come Up".

Morte[editar | editar código-fonte]

Graffiti de Eazy-E na Holanda

Eazy-E mantinha relações sexuais com inúmeras mulheres e nesta época, o vírus da AIDS começava a disseminar-se nos Estados Unidos. À época da sua morte, sua gravadora pagava pensão alimentícia para seis mulheres, que eram as mães de sete dos seus filhos.[9] Ele contraiu o vírus HIV mas não sabia. Uma demonstração desse desconhecimento foi que ele prosseguiu com as suas atividades e no dia 24 de fevereiro de 1995, Eazy-E estava em estúdio com a dupla de rappers B.G. Knocc Out & Gangsta Dresta, quando sofreu um provável ataque de asma e foi internado no Hospital Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles, Califórnia.

No dia seguinte, as primeiras páginas dos jornais estampavam a notícia sobre o rapper, sendo que Eazy-E continuava internado no que para ele, era "a maior batalha da vida".[10] O vírus agravou sua condição, e no dia 26 de março do mesmo ano, sua morte foi anunciada, a causa foi atribuída à pneumonia induzida pela AIDS.[11][10] Fato curioso, é que no leito de sua morte, Dr. Dre e Ice Cube fizeram as pazes com ele, apesar de DJ Yella ter sido o único membro do N.W.A a ir ao funeral de Eazy,[carece de fontes?] os mesmos fizeram vários tributos a Eazy ao passar dos anos. Eazy foi enterrado no Rose Hills Memorial Park Cemetery, Califónia, EUA.

Após a morte[editar | editar código-fonte]

Após a morte de Eazy-E diversas coisas mudaram de rumo. A sua gravadora, a Ruthless Records, tornou-se peça principal para o sucesso do grupo Bone Thugs-n-Harmony, e também da esposa de Eazy-E, Tomica Woods Wright. Na disputa pelo selo, ambos entraram na justiça, com a vitória de Tomica, a qual demitiu vários funcionários devido a má administração. Após a sua morte foi lançado o CD póstumo: "Str8 off tha Streetz of Muthaphukkin Compton", o qual foi produzido por DJ Yella. Mais além, foi a vez de "Eternal E".

Dois de seus filhos hoje são rappers; um usa o nome artístico de Lil Eazy-E, e outro é sua filha, que gravou uma música em tributo ao pai. Lil' Eazy-E fez músicas com The Game e participou da trilha sonora do jogo True Crime com a música Get It Crackin. No videoclipe da música "Um Bom Lugar" do cantor brasileiro Sabotage (1973 - 2003), uma foto de Eazy-E aparece em um mural. Ryder Wilson, um personagem do jogo Grand Theft Auto: San Andreas foi inspirado no rapper Eazy-E e os produtores do jogo comprovam que Ryder foi criado em homenagem ao rapper.[carece de fontes?] Foi criado em 2008 na cidade natal do cantor, em Compton, o "Dia de Eazy-E", celebrado em 7 de abril.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ao todo, Eazy-E lançou 1 álbum durante sua vida, 2 EPs, 1 álbum póstumo, 1 EP póstumo, 4 compilações e 4 álbuns em tributo e vendeu pouco mais que 10 milhões de álbuns pelo mundo todo.

Álbuns com o N.W.A[editar | editar código-fonte]

Álbuns solo[editar | editar código-fonte]

Ano Título Posição nas paradas Certificações
US
[12]
US R&B
[12]
NZ
[13]
1988 Eazy-Duz-It
  • Lançado: 16 de setembro de 1988
  • Label: Ruthless/Priority
41 12
1996 Str8 off tha Streetz of Muthaphukkin Compton 3 10 20
"—" denotes a release that did not chart.

EPs[editar | editar código-fonte]

Ano Título Posição nas paradas Certificações
US
[12]
US R&B
[12]
1992 5150: Home 4 Tha Sick 70 15
1993

It's On (Dr. Dre) 187um Killa

5 1
  • RIAA 2× Platina
  • US: 2× Platina[14]
2002 Impact of a Legend 113
"—" denotes a release that did not chart.

Compilações[editar | editar código-fonte]

Álbuns em tributo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Hochman, Steve (28 de março de 1995). «Rap Star, Record Company Founder Eazy-E Dies of AIDS Music: Singer, entrepreneur helped popularize `gangsta' style with the group N.W.A. and later became a top-selling solo artist». Los Angeles Times. Pqarchiver.com 
  2. «Hip-Hop News: Remembering Eric 'Eazy-E' Wright». Rap News Network. Rapnews.net. 26 de março de 2006 
  3. Harris, Carter (junho–julho de 1995). «Eazy Living». Vibe. 62 páginas 
  4. Pareles, Jon (28 de março de 1995). «In Eazy-E biography». Eazye.info. Arquivado do original em 21 de julho de 2011 
  5. «Straight Outta Left Field». Dallas Observer. 12 de setembro de 2002. Consultado em 6 de janeiro de 2010 
  6. Hunt, Dennis (22 de outubro de 1989). «Dr. Dre Joins an Illustrious Pack In the last year, producer has hit with albums for N.W.A, Eazy-E, J. J. Fad and the D.O.C.». Los Angeles Times. Pqasb.pqarchiver.com 
  7. Pareles, Jon (). «Eazy-E, 31, Performer Who Put Gangster Rap on the Charts» (em inglês). The New York Times [ligação inativa]
  8. Blogs.phoenixnewtimes.com http://blogs.phoenixnewtimes.com/uponsun/2010/03/sir_jinx_nwa_and_the_posse.php?page=2  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  9. Los Angeles Times. 24 de abril de 1995 https://www.latimes.com/archives/la-xpm-1995-04-24-ca-58278-story.html. Consultado em 18 de julho de 2020  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  10. a b Soraya Nadia McDonald (26 de agosto de 2015). «Eazy-E's son thinks Suge Knight killed his father by infecting him with HIV. Here's why that's highly unlikely.». The Washington Post. Consultado em 16 de dezembro de 2019 
  11. «News Flash: March 26, 1995». Vibe. Consultado em 16 de dezembro de 2019 
  12. a b c d «Eazy-E» (em inglês). allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 30 de novembro de 2010 
  13. «Discography Eazy-E» (em inglês). Charts.org.nz. Hung Medien. Consultado em 1 de dezembro de 2010 
  14. a b c d «Searchable Database» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 28 de novembro de 2010 
  15. Str8 Off tha Streetz of Muthaphu**in Compton - Eazy-E | Songs, Reviews, Credits | AllMusic (em inglês), consultado em 30 de abril de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Eazy-E