Eleição presidencial na Alemanha em 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alemanha

As eleições presidenciais alemãs de 2010 foram realizadas em 30 de junho, de forma indireta (pelo parlamento). A votação foi agendada após a renúncia de Horst Köhler, em 31 de maio de 2010.


Resultados[editar | editar código-fonte]

Partido Assentos
União Democrata-Cristã/União Social Cristã da Bavária 496
Partido Social-Democrata 333
Partido Social-Democrata 148
Partido Social-Democrata 129
A Esquerda 124
Freie Wähler 10
Partido Nacional Democrata Alemão 3
Associação de Eleitores de Schleswig-Holstein 1
Total 1.244
Fonte: wahlrecht.de

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Tratou-se do resultado de uma campanha do empresariado e do establishment político para chamar a atenção do governo de Angela Merkel, a Primeira Ministra do país.

Não existem divergências quanto às medidas assumidas até aqui no percurso político de Merkel: consolidação fiscal às custas da classe trabalhadora e uma política externa agressiva (participação na guerra do Afeganistão, ditames de austeridade contra a Grécia e outros países endividados). Essas políticas encontram apoio geral no parlamento, incluindo nas fileiras da chamada "oposição". No entanto, diversas críticas surgiram a respeito damaneira como o governo Merkel está implementando tais políticas. É acusado de perder tempo demais em disputas internas. Diz-se que devia por a mão na massa. Dizem também os acusadores que o governo gasta muito tempo e esforço procurando fechar acordos com os mais diversos lobbystas, causando tensões desnecessárias entre a população. A chanceler é acusada de vacilar entre os interesses contraditórios no campo governista, em vez de apontar firmemente um caminho a ser seguido.[1]

Precedido por
2009
Eleições na Alemanha
2010
Sucedido por
2012

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências