A Esquerda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: "A esquerda" redireciona para este artigo. Este artigo é sobre o partido político da Alemanha. Para a ideologia política, veja Esquerda (política). Para outros significados, veja Esquerda.
A Esquerda
Die Linke
Die Linke logo.svg
Líder Katja Kipping e Bernd Riexinger
Fundação 16 de junho de 2007
Sede Karl-Liebknecht-Haus
Kl. Alexanderstraße 28
D-10178 Berlim,  Alemanha
Ideologia Socialismo democrático
Populismo de esquerda
Marxismo
Anticapitalismo
Eurocepticismo
Antimilitarismo
Russofilia
Espectro político Esquerda
Fusão PDS e WASG
Membros  (2013) 63.756
Afiliação europeia Partido da Esquerda Europeia
Grupo no Parlamento Europeu Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Nórdica Verde
Bundestag
64 / 631
Parlamento Europeu
7 / 96
Parlamentos Regionais
159 / 1 821
Ministro-presidente
1 / 16
Cores Vermelho (Oficial)
Roxo (Usado nas coberturas das eleições)
Página oficial
www.die-linke.de

A Esquerda (em alemão: Die Linke, também chamado Linkspartei; em português: Partido de Esquerda) é um partido político da Alemanha fundado em 16 de junho de 2007, a partir da fusão do Partido do Socialismo Democrático (PDS) - sucessor do Partido Socialista Unificado da Alemanha (SED), que governou a antiga Alemanha Oriental, oficialmente República Democrática Alemã, nos quarenta anos em que esta existiu - e da Alternativa Eleitoral para o Trabalho e a Justiça Social (WASG), que havia sido constituída na antiga Alemanha Ocidental. Seus presidentes foram, num primeiro momento, Lothar Bisky e Oskar Lafontaine, seguidos por Klaus Ernst e Gesine Lötzsch e, em 2012, por Katja Kipping e Bernd Riexinger.

O partido, que representa a esquerda no Bundestag, defende o socialismo democrático, abrigando, no entanto, em seu interior, uma pluralidade de correntes ideológicas. Internacionalmente, Die Linke é membro do Partido da Esquerda Europeia, sendo o maior partido do grupo GUE/NGL no Parlamento Europeu.

De acordo com dados oficiais do partido, o partido tinha 77.645 membros registrados, em setembro de 2009[1]. Os 53 deputados do partido o tornam o quarto maior do Bundestag. Nas eleições federais de 2009, Die Linke ganhou 22 cadeiras, passando a deter 76 dos 612 assentos do Bundestag (12,4%). O partido recebeu mais de 5 milhões de votos (12% do total) em todo o país, sobretudo nas áreas da antiga Alemanha Oriental.

Correntes e tendências[editar | editar código-fonte]

  • A Esquerda Anticapitalista (Antikapitalistische Linke) representa o grupo mais crítico à participação do partido em coalizões governamentais. O grupo acredita que a participação de membros do partido no governo deve depender de uma série de demandas (que este não se comprometa com privatizações, guerras e cortes em gastos sociais, principalmente).
  • A Plataforma Comunista (Kommunistische Plattform, KPF) era originalmente uma tendência do PDS. É o grupo menos crítico da República Democrática Alemã dentro do partido, defendendo posições ortodoxas do marxismo em debates. Uma "meta estratégica" da KPF é "construir uma nova sociedade socialista, usando experiências positivas do que realmente é socialismo e aprendendo com os erros". A Plataforma tinha cerca de 850 membros em 2007, de acordo com o Bundesamt für Verfassungsschutz (um dos serviços secretos da Alemanha) - cerca de 1% de todos os membros do partido. Mantém relações com o Partido Comunista da Alemanha.
  • O Fórum do Socialismo Democrático (Forum demokratischer Sozialismus) é uma facção que prega o socialismo democrático, sendo originalmente uma tendência do PDS. Seus membros apoiam a participação do partido no governo de Berlim e do seu presidente Klaus Wowereit, do SPD. O grupo possui ideologia semelhante à Rede de Reforma da Esquerda.
  • A Rede de Reforma da Esquerda (Netzwerk Reformlinke) foi originalmente formada em 2003 como tendência do PDS. O grupo defende a ideologia social-democrata, apoiando coligações do partido com o SPD e o Partido Verde.
  • A Esquerda Emancipatória (Emanzipatorische Linke, Ema.Li) é uma corrente que defende os princípios do socialismo libertário. Para o grupo, a sociedade ideal é aquela mais descentralizada possível, por isso, apoiam os movimentos sociais. A maioria dos membros da Ema.Li são provenientes da Saxônia.
  • A Esquerda Socialista (Sozialistische Linke) foi fundada em agosto de 2006 e incluem socialistas democráticos e eurocomunistas. O grupo defende a aproximação do partido com o movimento trabalhista. Muitos líderes da Esquerda Socialista eram membros do WASG. O grupo mantém laços com o Partido Socialista holandês e com o Partido da Refundação Comunista italiano.

Desde a sua formação, muitos grupos de extrema-esquerda, como o Linksruck (agora conhecido como Marx21), juntaram-se a Die Linke, assim como vários membros da Alternativa Socialista, inclusive a polêmica Lucy Redler. Nas eleições estaduais de Berlim, em 2006, Redler desafiou o PDS, fiel aliado do WASG, e lançou-se candidata. Como candidata de uma coligação independente, liderada pelo WASG, ela criticou publicamente a atuação do PDS no governo do prefeito Klaus Wowereit, além de ter sido contra a fusão dos dois partidos para a formação de Die Linke. Entretanto, sua filiação foi aceita, em outubro de 2008. Outros grupos, como o Partido Comunista e o Partido Marxista-Leninista da Alemanha, formaram eventualmente alianças locais com Die Linke, [carece de fontes?]mas não se juntaram ao partido.

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Líder M. Uninominal M. Proporcional Deputados +/- Status Notas
CI. Votos % +/- CI. Votos % +/-
1990 Gregor Gysi 6.º 1 049 245
2,3 / 100,0
6.º 1 129 578
2,4 / 100,0
17 / 662
Oposição como PDS
1994 Gregor Gysi 5.º 1 920 420
4,1 / 100,0
Aumento1,8 6.º 2 066 176
4,4 / 100,0
Aumento2,0
30 / 672
Aumento13 Oposição como PDS
1998 Gregor Gysi 5.º 2 416 781
4,9 / 100,0
Aumento0,8 6.º 2 515 454
5,1 / 100,0
Aumento0,7
36 / 669
Aumento6 Oposição como PDS
2002 Gabi Zimmer 6.º 2 079 203
4,3 / 100,0
Baixa0,6 6.º 1 916 702
4,0 / 100,0
Baixa1,1
2 / 603
Baixa32 Oposição como PDS
2005 Lothar Bisky 4.º 3 764 168
8,0 / 100,0
Aumento3,7 4.º 4 118 194
8,7 / 100,0
Aumento4,7
54 / 614
Aumento52 Oposição PDS e WASG
2009 Oskar Lafontaine 3.º 4 791 124
11,1 / 100,0
Aumento3,1 4.º 5 155 933
11,9 / 100,0
Aumento3,2
76 / 622
Aumento22 Oposição
2013 Gregor Gysi 3.º 3 585 178
8,2 / 100,0
Baixa2,9 3.º 3 755 699
8,6 / 100,0
Baixa3,3
64 / 631
Baixa12 Oposição
2017 Sahra Wagenknecht

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data Votos CI- % +/- Deputados +/- Notas
1994 1 670 316 5.º
4,7 / 100,0
0 / 99
como PDS
1999 1 567 745 5.º
5,8 / 100,0
Aumento1,1
6 / 99
Aumento6 como PDS
2004 1 579 693 5.º
6,1 / 100,0
Aumento0,3
7 / 99
Aumento1 como PDS
2009 1 969 239 5.º
7,5 / 100,0
Aumento1,4
8 / 99
Aumento1
2014 2 167 641 4.º
7,0 / 100,0
Baixa0,5
7 / 96
Baixa1

Eleições regionais[editar | editar código-fonte]

Os resultados apresentados serão os das últimas eleições:

Estado Data CI. Votos % Deputados Status
Baden-Württemberg 2016 6.º 156 211
2,9 / 100,0
0 / 143
Extra-parlamentar
Baixa Saxônia 2013 5.º 112 215
3,1 / 100,0
0 / 137
Extra-parlamentar
Baviera 2013 6.º 251 086
2,1 / 100,0
0 / 180
Extra-parlamentar
Berlim 2016 3.º 255 740
15,6 / 100,0
27 / 160
Governo
Brandemburgo 2014 3.º 183 172
18,6 / 100,0
17 / 88
Governo
Bremen 2015 4.º 111 485
9,5 / 100,0
8 / 83
Oposição
Hamburgo 2015 4.º 300 567
8,5 / 100,0
11 / 121
Oposição
Hesse 2013 4.º 161 389
5,2 / 100,0
6 / 110
Oposição
Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental 2016 4.º 106 259
13,2 / 100,0
11 / 71
Oposição
Renânia do Norte-Vestfália 2017 6.º 415 936
4,9 / 100,0
0 / 199
Extra-parlamentar
Renânia-Palatinado 2016 6.º 60 074
2,8 / 100,0
0 / 101
Extra-parlamentar
Sarre 2017 3.º 68 566
12,9 / 100,0
7 / 51
Oposição
Saxônia 2014 2.º 309 568
18,9 / 100,0
27 / 126
Oposição
Saxônia-Anhalt 2016 3.º 183 296
16,3 / 100,0
17 / 87
Oposição
Schleswig-Holstein 2017 6.º 56 018
3,8 / 100,0
0 / 73
Extra-parlamentar
Turíngia 2014 2.º 265 425
28,2 / 100,0
28 / 91
Governo

Referências

  1. "Mitgliederzahlen September 2009" Site oficial de Die Linke.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre A Esquerda