Enter the Wu-Tang (36 Chambers)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Enter the Wu-Tang (36 Chambers)
Álbum de estúdio de Wu-Tang Clan
Lançamento 9 de novembro de 1993
Gravação 1992–1993
Estúdio(s) Firehouse Studio em New York City
Gênero(s)
Duração 61:31
Gravadora(s)
Produção
Certificação Platina (RIAA)
Cronologia de Wu-Tang Clan
Wu-Tang Forever
(1997)
Singles de Enter the Wu-Tang (36 Chambers)
  1. "Protect Ya Neck"
    Lançamento: 14 de dezembro de 1992 (1992-12-14)
  2. "Method Man"
    Lançamento: 3 de agosto de 1993 (1993-08-03)
  3. "C.R.E.A.M."
    Lançamento: 31 de janeiro de 1994 (1994-01-31)
  4. "Can It Be All So Simple"
    Lançamento: 22 de fevereiro de 1994 (1994-02-22)

Enter the Wu-Tang (36 Chambers) é o álbum de estúdio de estreia do grupo de hip hop americano Wu-Tang Clan, lançado em 9 de novembro de 1993 pela Loud Records e distribuído pela RCA Records.[1] As sessões de gravação para o álbum ocorreram entre 1992 e 1993 no Firehouse Studio, na cidade de Nova York. O título do álbum é originário do filme de artes marciais The 36th Chamber of Shaolin (1978). O líder do grupo, RZA, produziu o álbum inteiramente, utilizando um som amplamente baseado em clipes de filmes de artes marciais e de soul samples.

O som distintivo de Enter the Wu-Tang (36 Chambers) criou um plano para o hardcore hip hop durante a década de 1990 e ajudou a tornar o hip hop da cidade de Nova York uma proeminência nacional. Seu som também se tornou muito influente na produção moderna do hip hop, enquanto as letras explícitas, bem-humoradas e associativas dos membros do grupo serviram como modelo para muitos trabalhos do hip hop subsequentes. Servindo como um registro histórico da era do hip hop, conhecido como o Renascimento da Costa Leste, sua influência ajudou a abrir caminho para vários outros rappers da Costa Leste, incluindo Nas, The Notorious B.I.G., Mobb Deep e Jay-Z.

O álbum teve um sucesso surpreendente nas paradas, alcançando o #41 lugar no quadro da Billboard 200, vendendo 30 mil cópias na 1ª semana. Em 1995, foi certificado platina pela RIAA e vendeu mais de 2 milhões de cópias nos Estados Unidos.[2] O álbum recebeu críticas positivas da maioria dos críticos de música, Enter the Wu-Tang (36 Chambers) é amplamente considerado um dos álbuns mais importantes da década de 1990, além de um dos maiores álbuns de hip hop de todos os tempos.

Antecedentes e gravação[editar | editar código-fonte]

No final da década de 1980, os primos Robert Diggs (RZA), Gary Grice (GZA) e Russell Jones (Ol' Dirty Bastard), formaram um grupo chamado Force of the Imperial Master, também conhecido como All in Together Now Crew.[3] Cada membro gravou sob um apelido: Grice como The Genius, Diggs como Prince Rakeem ou The Scientist e Jones como The Specialist. O grupo nunca assinou com uma grande gravadora, mas chamou a atenção da cena do rap de Nova York e foi reconhecido pelo rapper Biz Markie.[4] Em 1991, The Genius e Prince Rakeem assinaram com gravadoras diferentes. The Genius lançou Words from the Genius (1991) sob selo da Cold Chillin' Records e Prince Rakeem lançou Ooh I Love You Rakeem (1991) sob a Tommy Boy Records. Ambos foram logo dispensados pelas gravadoras. Mas amargurados, eles assumiram novos apelidos (nome artístico); (The Genius tornou-se GZA enquanto Prince Rakeem se tornou RZA) e se juntaram novamente. RZA discutiu o assunto em seu lançamento The Wu-Tang Manual (2005), afirmando que "[Tommy Boy] tomou a decisão de assinar com House of Pain ao invés de nós. Quando eles me dispensaram, eu estava pensando: 'Droga, eles escolheram um monte de caras brancos de merda ao invés de mim.'"[5]

RZA começou a colaborar com Dennis Coles, mais tarde conhecido como Ghostface Killah, outro rapper do complexo de apartamentos Stapleton Projects em Staten Island. A dupla decidiu criar um grupo de hip hop cuja marca seria uma mistura de "filosofia oriental retirada dos filmes de kung fu, a pregação da Nação do Islã, acalentada, retirada nas ruas de Nova York e livros de quadrinhos".[5]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Produtor(es) Duração
1. "Bring da Ruckus"   RZA 4:10
2. "Shame on a Nigga"   RZA 2:57
3. "Clan in da Front"   RZA 4:33
4. "Wu-Tang: 7th Chamber"   RZA 6:05
5. "Can It Be All So Simple"   RZA 6:53
6. "Da Mystery of Chessboxin'"   RZA (Co-produzido por Ol' Dirty Bastard) 4:48
7. "Wu-Tang Clan Ain't Nuthing ta Fuck Wit"   RZA (Co-produzido por Method Man) 3:36
8. "C.R.E.A.M."   RZA 4:12
9. "Method Man"   RZA 5:50
10. "Protect Ya Neck"   RZA 4:52
11. "Tearz"   RZA 4:17
12. "Wu-Tang: 7th Chamber—Part II"   RZA 6:09
Duração total:
61:31

Referências

  1. «Wu-Tang Clan – Enter the Wu-Tang (36 Chambers)». AllMusic. Consultado em 26 de dezembro de 2010. 
  2. «"New Wu-Tang Clan Album: The Case for the World's First $5 Million Album"». Yahoo Music. Consultado em 24 de novembro de 2017. 
  3. «"Days of the Wu at Exclaim.ca"». Exclaim.ca. 28 de abril de 2005. Consultado em 23 de janeiro de 2018. 
  4. «"RZA Interview at HipHopCore.net"». HipHopCore.net. 15 de maio de 2006. Consultado em 23 de janeiro de 2018. 
  5. a b «"Days of the Wu — The RZA looks inside the Clan"». The Boston Phoenix. 17 de outubro de 2015. Consultado em 23 de janeiro de 2018.