Jay-Z

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jay-Z
Jay-Z em 2011.
Informação geral
Nome completo Shawn Corey Carter
Também conhecido(a) como
  • Jigga
  • Jay
  • Hova
  • Hov
Nascimento 4 de dezembro de 1969 (48 anos)
Origem Brooklyn, Nova York
País  Estados Unidos
Gênero(s) Hip hop
Cônjuge Beyoncé Knowles (2008 - presente)
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1988 - atualmente
Gravadora(s) Roc Nation
Afiliação(ões)
Página oficial www.jay-z.com

Shawn Corey Carter (Brooklyn, 4 de dezembro de 1969), mais conhecido pelo seu nome artístico JAY-Z[1] (também estilizado Jay Z ou Jay-Z), é um rapper, compositor, produtor e homem de negócios norte-americano.[2] Ele é um dos artistas de hip hop mais bem sucedidos empresarialmente e financeiramente nos Estados Unidos. Em 2017, a Forbes estimava seu patrimônio líquido em 810 milhões de dólares.[3] É um dos mais vendidos artistas do mundo na história, com mais de 50 milhões de discos comercializados, ganhador de 21 Grammy Awards por seu trabalho musical, além de inúmeras outras indicações ao prêmio.[4][5]

Como um empreendedor e investidor, Jay-Z é co-proprietário da cadeia de bares esportivos 40/40 Club, co-criador da linha de roupas Rocawear. Ele é ex-CEO da Def Jam Recordings,[6] um dos fundadores da Roc-A-Fella Records e da Roc Nation. Ele também fundou a Roc Nation Sports, empresa de agenciamento de atletas da NBA e MLB.[7] Como artista, ele detém o recorde do maior número de álbuns por um artista solo na Billboard 200, com 13 álbuns.[8] Ele também possuiu quatro singles número um na Billboard Hot 100, sendo um deles como artista principal ("Empire State of Mind"). Em 11 de dezembro de 2009, Jay-Z foi classificado como o décimo artista mais bem sucedido da década de 2000 pela Billboard, sendo o quarto rapper da lista, atrás de Eminem, Nelly e 50 Cent.[9]

Juntamente com o seu sucesso musical e financeiro, Jay-Z também é conhecido por ter rivalidades com outros artistas de rap, mais notadamente a famosa briga com Nas, que acabou sendo resolvida em 2005. Ele se casou com a cantora de R&B Beyoncé Knowles em 4 de abril de 2008 em uma cerimônia fechada. O casal tem uma filha, Blue Ivy Carter, que nasceu em janeiro de 2012, e um casal de gêmeos, Rumi e Sir Carter, nascidos em 14 de junho de 2017.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Jay-Z (topo) com um amigo (esquerda) em foto aproximadamente de 1988.

Shawn Corey Carter nasceu em um projeto habitacional de Bedford-Stuyvesant, bairro central do Brooklyn, Nova Iorque.[10] Ele foi abandonado pelo seu pai e, aos doze anos, atirou no ombro do seu irmão para pegar as joias dele.[11][12] Jay-Z estudou na Eli Whitney High School no Brooklyn, juntamente com o também rapper AZ, até ela ser fechada. Após isso, ingressou na George Westinghouse Career and Technical Education High School no Downtown Brooklyn, onde também estudavam The Notorious B.I.G. e Busta Rhymes, e na Trenton Central High School, mas não se formou.[13] Em suas músicas, ele refere que na adolescência se envolveu com a venda de crack.[12]

De acordo com a sua mãe, Gloria Carter, Jay-Z acordava seus irmãos à noite com barulhos de tambores e instrumentos de cozinha. Eventualmente, ela lhe comprou um boombox para seu aniversário, o que provocou seu interesse na música. Ele começou fazendo freestyles, escrevendo canções, seguindo as músicas de artistas populares da época.[14] Em sua vizinhança, Shawn era conhecido como "Jazzy", um apelido que acabou evoluindo e tornando-se "Jay-Z". O nome artístico também é uma homenagem ao seu mentor musical, Jaz-O, bem como para as linhas de trem J/Z da Avenida Marcy no Brooklyn.[10]

Jay-Z participou de diversas gravações junto com Jaz-O no final da década de 1980 e início da década de 1990, incluindo "The Originators" e "Hawaiian Sophie".[15] Ele também ganhou diversas batalhas de rap com LL Cool J neste período para disputar o contrato com uma gravadora.[16] Jay-Z se tornou conhecido por um grande público pela sua participação especial em "Show and Prove", canção de Big Daddy Kane. Kane se referiu neste período a Jay-Z como um "hype man",[17] conforme sua afirmação: "As suas aparições basicamente são no palco. Se algum dia eu sair do palco para ir trocar de roupas, gostaria de trazer Jay-Z e Positive K, e deixá-los fazendo um freestyle até a hora em que eu voltar."[18][19] Fez uma participação na popular canção "Da Graveyard" de Big L, e gravou em 1994 seu primeiro single, "I Can't Get With That", o qual foi acompanhado de um videoclipe.[20]

Carreira[editar | editar código-fonte]

1996-1997: Início da carreira e primeiro álbum[editar | editar código-fonte]

Quando iniciou sua carreira profissional, Jay-Z não conseguia assinar contrato com nenhuma grande gravadora. Então, juntamente com Damon Dash e Kareem Biggs, criaram uma marca independente, a Roc-A-Fella Records. Após adquirir um contrato com a Priority Records para distribuir o seu material, Jay-Z lançou seu álbum de estreia em 1996, Reasonable Doubt, com batidas do aclamado DJ Premier e uma notável participação de The Notorious B.I.G..[21] Apesar de atingir apenas a 23ª posição da Billboard 200, o disco foi bem recebido pela crítica.[10] Este álbum viria a ser incluído na lista dos 500 melhores álbuns de sempre feita pela revista Rolling Stone como o 248º, e adquirindo a certificação de platina pela RIAA.[22]

Depois de assinar um novo contrato de distribuição com a Def Jam Recordings em 1997, Jay-Z lançou In My Lifetime, Vol. 1.[23] Executivamente produzido por Sean "Diddy Combs", o álbum vendeu mais do que o seu trabalho anterior. Jay-Z explicou posteriormente que este álbum foi feito em um dos piores momentos da sua vida, após a morte do amigo The Notorious B.I.G; ele foi uma revelação pessoal do rapper sobre a sua rígida educação.[24] A brilhante produção do disco ficou como um contraste em relação ao seu lançamento anterior. A produção continuou sendo feita por parte de DJ Premier e Ski, de Reasonable Doubt. Como o anterior, In My Lifetime, Vol. 1 foi certificado como platina nos Estados Unidos.[22]

1998-2000: Acusações criminais vendas de drogas e início do sucesso[editar | editar código-fonte]

Beyoncé e Jay-Z cantando "Crazy in Love" em Londres, na Arena O2.

Em 1998, Jay-Z lançou seu terceiro álbum, Vol. 2… Hard Knock Life, o qual trouxe o maior sucesso da sua carreira até então, "Hard Knock Life (Ghetto Anthem)". Ele se baseou no flow e rimas rápidas com trocadilhos, continuando com sua alternância nas batidas sonoras.[25] Ele foi produzido por nomes importantes do ramo musical, como Swizz Beatz, Timbaland, DJ Premier, entre outros. Canções lançadas no álbum que alcançaram as paradas musicais são "Can I Get A…", com a participação de Ja Rule e Amil; e "Nigga What, Nigga Who", o qual também contava com Amil. Vol. 2 foi um dos álbuns mais bem-sucedidos comercialmente de Jay-Z, tendo sido certificado 5× platina nos Estados Unidos e vendido cinco milhões de cópias.[22] O CD ganhou um Grammy Award, no entanto Jay-Z boicotou a cerimônia protestando a não-indicação de DMX para o prêmio.[26]

Em 1999, Jay-Z lançou Vol. 3… Life and Times of S. Carter, um álbum que provou ser um sucesso e vendeu 3 milhões de cópias por todo o mundo.[22] "Big Pimpin'", que contou com a participação especial de UGK, foi o principal single de Vol. 3. Ao mesmo tempo, ele foi acusado de esfaquear o produtor musical Lance "Un" Rivera, que havia sido observado contrabandeando Vol. 3… Life and Times of S. Carter. O esfaqueamento teria ocorrido na festa de lançamento do álbum solo do rapper Q-Tip no Kit Kat Klub, um extinto clube noturno localizado em Times Square, Nova Iorque, em 9 de dezembro do mesmo ano.[27] Os associados de Jay-Z foram acusados de causar uma "comoção" no público, servindo de cobertura enquanto Jay-Z supostamente esfaqueou Rivera com uma lâmina de cinco polegadas (127mm) no estômago.[28] Apesar de tudo, no mesmo ano, Jay-Z faz um de seus primeiros trabalhos com outros artistas, "Heartbreaker" com Mariah Carey.

Jay-Z em um show.

Inicialmente, Jay-Z negou o incidente e se declarou inocente quando um membro do júri retornou com uma acusação. Os advogados do rapper alegaram que ele não estava por perto de Rivera quando ocorreu o esfaqueamento. Eles apresentaram testemunhas e vídeos do clube que revelaram nenhum envolvimento de Jay-Z. Porém, mais tarde ele se confessou culpado do delito que resultou em uma sentença de três anos em liberdade condicional.[29]

Em 2000 o cantor ajudou a escrever a faixa "Get Down With Me" com as Spice Girls para o álbum Forever, fazendo participações na música também.

Mais recentemente, e depois do lançamento de Unfinished Business, em que atua ao lado de R.Kelly, e de Collision Course, em que divide o palco com o Linkin Park, Shawn Carter foi nomeado para o cargo de presidente da Def Jam Records.

Jay-Z chegou a afirmar que The Black Album seria o seu último álbum, mas aparentemente tudo não passou de manobra de marketing, pois ao que parece o MC continuará a lançar as suas obras.

Jay-Z hoje é um rapper muito conceituado, porém no passado quase formou o que para muitos seria um supergrupo, agenciado por Irv Gotti, dono da Murder Inc. Jay-Z quase se uniu em um só grupo com outros dois renomados rappers, DMX e Ja Rule, este para muitos seria um grupo dos sonhos, porém apesar de não ter se concretizado Jay-Z, DMX e Ja Rule fizeram algumas músicas juntos como "Murdagram" e "It's Murda". Jay-Z também fez participação na música I GET MONEY (REMIX), de 50 Cent e P.Diddy.

O cantor actuou pela primeira vez em Portugal no dia 27 de Março de 2014, no MEO Arena, em Lisboa, numa participação especial na música "Drunk In Love", no último concerto da digressão mundial de Beyoncé intitulada "The Mrs. Carter Show World Tour". A cumplicidade do casal foi observada por cerca de 20 mil pessoas que encheram o recinto, emocionando a cantora.[30]

Em junho de 2017, Jay-Z lançou seu décimo-terceiro álbum de estúdio, intitulado 4:44. Foi um sucesso de público e crítica.[31]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Jay-Z