Epsilon Volantis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
ε Volantis
Dados observacionais (J2000)
Constelação Volans
Asc. reta 08h 07m 55,8s[1]
Declinação -68° 37′ 01,4″[1]
Magnitude aparente 4,40[1]
Características
Tipo espectral B6 IV[1]
Cor (U-B) -0,46[1]
Cor (B-V) -0,16[1]
Astrometria
Par primário
Velocidade radial 9,00 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -29,650 ± 0,414 mas/a[2]
Mov. próprio (DEC) 29,553 ± 0,454 mas/a[2]
Paralaxe 4,4033 ± 0,2362 mas[2]
Distância 740 ± 40 anos-luz
227 ± 12 pc
Magnitude absoluta -2,4
Companheira visual
Mov. próprio (AR) -30,036 ± 0,062 mas/a[2]
Mov. próprio (DEC) 29,584 ± 0,069 mas/a[2]
Paralaxe 4,9964 ± 0,0357 mas[2]
Distância 652,8 ± 4,7 anos-luz
200,1 ± 1,4 pc
Detalhes
Massa 4,88[3] M
Luminosidade 1 084[3] L
Temperatura 13 335[3] K
Rotação >5 km/s[3]
Outras denominações
CPD-68 736, HR 3223, HD 68520, HIP 39794, SAO 250128.[1]
Epsilon Volantis
Volans constellation map.png

Epsilon Volantis (ε Vol, ε Volantis) é um sistema estelar triplo[4] na constelação de Volans. Possui uma magnitude aparente visual de 4,40,[1] sendo visível a olho nu em boas condições de visualização. Com base em sua paralaxe de 4,40 milissegundos de arco, está localizado a uma distância de aproximadamente 740 anos-luz (227 parsecs) da Terra.[2]

O componente primário do sistema Epsilon Volantis é uma binária espectroscópica de linha dupla[5] com um tipo espectral de B6 IV[1] e período orbital de 14,1683 dias.[6] A uma distância angular de 6,1 segundos de arco na esfera celeste está a terceira estrela do sistema, de magnitude aparente 7,48.[4] Sua paralaxe, medida pela sonda Gaia, é de 5,00 ± 0,04 mas, correspondendo a uma distância de 200,1 ± 1,4 parsecs, similar à da primária porém mais precisa.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j «SIMBAD query result - eps Vol». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 24 de agosto de 2014. 
  2. a b c d e f g h Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  3. a b c d Zorec, J.; Royer, F (janeiro de 2012). «Rotational velocities of A-type stars. IV. Evolution of rotational velocities». Astronomy & Astrophysics. 537. pp. A120, 22 pp. Bibcode:2012A&A...537A.120Z. doi:10.1051/0004-6361/201117691 
  4. a b Eggleton, P. P.; Tokovinin, A. A (setembro de 2008). «A catalogue of multiplicity among bright stellar systems». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 389 (2). pp. pp. 869–879. Bibcode:2008MNRAS.389..869E. doi:10.1111/j.1365-2966.2008.13596.x 
  5. Chini, R.; Hoffmeister, V. H.; Nasseri, A.; Stahl, O.; Zinnecker, H. (agosto de 2012). «A spectroscopic survey on the multiplicity of high-mass stars». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 424 (3). pp. pp. 1925–1929. Bibcode:2012MNRAS.424.1925C. doi:10.1111/j.1365-2966.2012.21317.x 
  6. Pourbaix, D.; et al. (setembro de 2004). «SB9: The ninth catalogue of spectroscopic binary orbits». Astronomy and Astrophysics. 424. pp. p.727–732. Bibcode:2004A&A...424..727P. doi:10.1051/0004-6361:20041213 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.