Esperança da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Esperança Maria Eduardo Francisco da Costa
4.ª Vice-presidente de Angola
Período 15 de setembro de 2022
a atualidade
Presidente João Lourenço
Antecessor(a) Bornito de Sousa
Dados pessoais
Nascimento 1961 (61 anos)
Luanda
Partido MPLA
Profissão Política e bióloga

Esperança Maria Eduardo Francisco da Costa (1961, Luanda) é uma bióloga, pesquisadora-docente universitária e política angolana.[1]

Foi vice-cabeça de lista do partido Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) para as eleições gerais de Angola de 2022.[2] Com a vitória do partido,[3] tornou-se vice-presidente de Angola em 15 de setembro de 2022.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Esperança da Costa nasceu em Angola e na juventude, durante o processo de descolonização do país, integrou os quadros da Juventude do Movimento Popular de Libertação de Angola (JMPLA) e da Organização da Mulher Angolana (OMA).[5]

Estudou biologia na Universidade Agostinho Neto (UAN), graduando-se em 1985. Entre 1983-1984 especializou-se no Centro de Botânica do Instituto de Investigação Científica Tropical em Lisboa, Portugal.[1]

De volta à Luanda, foi nomeada assistente de biologia vegetal na Universidade Agostinho Neto, tornando-se chefe do departamento de biologia em 1986. Entre 1986 e 1990, ela foi a responsável pelo desenvolvimento do Herbário de Luanda.[1]

Em 1990, ela iniciou o mestrado em produtividade vegetal na Universidade Técnica de Lisboa, seguindo, em 1992, para o doutorado em fitoecologia[5] pela mesma universidade, concluído em 1997.[1]

Ao regressar para Angola, foi readmitida como professora da Universidade Agostinho Neto, tornando-se directora do Herbário de Luanda e professora assistente de biologia vegetal.[6]

Tornou-se, em seguida, vice-directora de Assuntos Científicos e, a partir de 2002, vice-reitora para a Expansão Universitária da UAN (cargo ocupado até 2007). Entre 2007 e 2010 torna-se directora Nacional da Expansão do Ensino Superior do Ministério do Ensino Superior, período em que Angola expande fortemente a oferta de ensino, com a construção de campi e novas instituições de ensino superior por todo o território nacional. Torna-se diretora do Centro de Botânica da UAN entre 2010 e 2020.[5]

Ascende ao Comité Central do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) em 2019, sendo nomeada pelo presidente João Lourenço como Secretária de Estado para as Pescas em 2020.[5]

Disputou e venceu como vice-cabeça de lista do MPLA as eleições gerais de Angola de 2022.[3] Tomou posse como Vice-Presidente de Angola em 15 de setembro de 2022.[4]

Referências