Ezio Auditore da Firenze

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ezio Auditore da Firenze
Ezio Auditore como apresentado em Assassin's Creed: Brotherhood.
Nome no Japão エツィオAuditoreダ·フィレンツェ ()
Série de jogos Assassin's Creed
Primeiro jogo Assassin's Creed II
Temporadas Assassin's Creed II, Discovery, Brotherhood, Revelations
Designer Devon Bostick
Dublador em inglês Roger Craig Smith
Informações pessoais
Sexo Masculino
Terra natal Florença, República Florentina
Afiliação Ordem dos Assassinos
Habilidade especial Visão aquilina
Arma Lâminas Ocultas
Portal Games

Ezio Auditore da Firenze é um personagem da série de jogos de video game Assassin’s Creed. Ele é um ancestral de Desmond Miles, e decendente de Altaïr Ibn-La'Ahad.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ezio Auditore da Firenze (24 de junho de 1459) é um personagem e nobre da série Assassin's Creed nascido na cidade de Firenze (Florença) durante o Renascimento italiano e, sem a maioria dos historiadores e filósofos saber, um influente membro da Ordem dos Assassinos. Um descendente de Altaïr Ibn-La'Ahad e ancestral de Desmond Miles, ele não sabia sobre sua herança assassina até seus 17 anos, quando, após o assassinato de seu pai Giovanni e dos dois irmãos, Federico e Petruccio, Ezio fugiu de Firenze(Florença) com sua mãe Maria e sua irmã Claudia. Saíndo de Firenze, Ezio acaba encontrando mercenários liderados por Vieri de Pazzi, rival de Ezio e acaba sendo salvo por Mario Auditore, tio de Ezio. Mario então leva Ezio e sua família para a Villa Auditore na cidade de Monteriggioni na região de Toscana. Depois de ter sido treinado por seu tio, Ezio prosseguiu em sua busca de vingança contra o Grão-Mestre dos Templários, Rodrigo Borgia, que ordenou a execução de seu pai e dos dois irmãos. Durante sua busca por vingança, Ezio conseguiu não só unir todas as Páginas do Códice, pela primeira vez desde Domenico Auditore, salvou também as cidades de Florença e Veneza dos Templários que iriam garantir o futuro à viagem de Cristovão Colombo ao "Novo Mundo", e trazer os ideais renascentistas e para a ordem assassina à cidade de Roma e recuperou a Maçã de Eden, um artefato poderoso criado por uma civilização que precede os seres humanos atuais que estava em poder de Rodrigo Borgia. Nos anos seguintes, a cidade de Monteriggioni foi atacada por Cesare Borgia, filho de Rodrigo Borgia, para se vingar da derrota que sua família sofreu nas mãos de Ezio. Neste ataque, Mario foi assassinado e Ezio partiu numa jornada para vingar seu tio. Sendo aconselhado por Nicolau Maquiavel, Ezio fortaleceu a ordem dos assassinos em Roma, tornando-se Mestre Assassino e Mentor da Ordem dos Assassinos. Baseando-se no credo, "Nada é verdade, tudo é permitido", ele treinou homens e mulheres, e com isso recuperou a cidade de Roma que estava nas mãos dos templários liderados por Cesare Borgia e matou o próprio Cesare. Nos anos seguintes, Ezio (agora bem mais velho), partiu para a antiga fortaleza síria dos Assassinos em Masyaf, em busca da antiga biblioteca secreta de Altaïr. Para abrir a biblioteca, Ezio precisou de cinco chaves que foram escondidas em Constantinopla e foi lá que ele conheceu sua futura esposa, Sofia Sartor. Ezio aposentou-se da ordem após abrir a biblioteca de Altair em 1512. Ezio casou com Sofia e teve dois filhos, Marchello e Flavia. Com a saúde já debilitada, Ezio morreu sentado em um banco numa praça em Florença (no ano de 1525) aos 65 anos, vítima de um ataque cardíaco.

.

Referências

  1. Arnaldo Leite (17 de novembro de 2009). Assassin's Creed II - Análise (em português) EuroGamer.