Félix Ismael Rodríguez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Rodriguez falando na Christopher Columbus High School em Miami(USA).

Félix Ismael Rodríguez Mendigutía (nascido em 1941 em Havana, Cuba) é um anticastrista e e ex-agente da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos, famoso por ter ter participado na invasão da Baía dos Porcos, no interrogatório e execução de Che Guevara e pelos laços com George H. W. Bush durante o caso Irã-Contras.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A família Rodriguez deixou Cuba quando ele tinha 18 anos. Seu tio era ministro de Obras Públicas durante o governo de Fulgencio Batista em Cuba.Entre 1958 e 1959, Rodriguez esteve na polícia secreta da ditadura de Fulgencio Batista. Desde então, procurou manter contato com grupos guerrilheiros e paramilitares que tinham a missão de derrubar o governo de Fidel Castro. Após a revolução cubana , em 1959, ele e sua família foram exilados nos Estados Unidos. Félix frequentou a The Perkiomen School, na Pensilvânia, mas deixou o colégio para se unir á Legião Caribe Anticomunista , criada pelo presidente da República Dominicana Rafael Trujillo (presidente que apoiava um regime ditatorial) , com a intenção de liquidar Fidel Castro em Cuba. Em setembro de 1960, ele se uniu ao grupo Cubanos exilados na Guatemala, apoiados pela CIA, para receber treinamento militar. Eles eram chamados de Brigada 2506.

Também participou na fracassada invasão na Baía dos Porcos em Cuba, pelo que Rodriguez retornou a Perkiomen para continuar os seus estudos. Graduou-se em junho de 1960, onde foi então morar com seus pais em Miami.

Ao serviço da CIA ,e já no ano de 1967, Rodriguez teve como missão capturar Che Guevarra na Bolívia. Em 1976, deixou de exercer funções na CIA.

Felix Rodriguez é um dos poucos intervenientes directos na morte de Che (nos quais se inclui General René Barrientos,Mario Terán Andrés Selich, General Juan José Torres, Coronel Joaquín Anaya, Coronel Toto Quintanilla, General Gary Prado,e Honorato Rojas) que ainda presentemente está vivo.

Morte de Che Guevara na Bolívia[editar | editar código-fonte]

Che Guevara.
Escola de La Higuera, local onde Che Guevara foi morto.

A 28 de abril de 1967 Bolívia e Estados Unidos assinaram um protocolo para criar, organizar e treinar o Segunda Batalhão Ranger para executar operações de contra-insurgência na floresta, com sede em Santa Cruz onde os guerrilheiros de Ernesto Che Guevara estavam instalados.

Rodriguez disse que a decisão da CIA em mandá-lo para a Bolívia para capturar e aniquilar Che Guevara veio após Regis Debray confirmar a presença do grupo de guerrilha de Che Guevara. Em Junho, foi-lhe oferecida essa missão e em 01 de Agosto já estava em La Paz sob a identidade secreta de empresário Félix Ramos, acompanhado por um outro cubano-americano Gustavo Villoldo.

Rodriguez mudou-se para a zona de combate, onde os prisioneiros eram torturados e interrogados. Também foi quem enviou o 2º Batalhão Ranger para a área de La Higuera, onde posteriormente foir morto Che Guevara. .'

No dia 8 de Outubro de 1967 após a confirmação de que Che Guevara foi capturado em Quebrada del Yuro e enviado para La Higuera, e que estava preso na escola, Felix Rodriguez - conjuntamente com o coronel Joaquim Anaya - dirigiram-se para lá. Aí na escola de La Higuera , eles entrevistaram Che e fotografaram documentos que estava na posse do heroico guerrilheiro argentino-cubano, incluindo o célebre Diario da Bolívia.

Ao meio-dia, de acordo com sua própria declaração, Rodriguez recebeu pessoalmente a ordem do presidente René Barrientos de assassinar Che Guevara, recebendo a indicação oficial boliviana de que os tiros não tinham como objetivo o rosto para que se pudesse simular de que tivera existido morte em combate . Depois disseram a Che Guevara que seria fusilado . Foi conduzido para fora da escola para que fossem tiradas as ultimas fotografias. Às 13:10 ele foi assassinado pelo sargento Mario Terán, o qual assassinou outros dois prisioneiros.

Felix Rodriguez entrevistado por Claudio Gatti:

... Esse foi o pior momento da minha vida. Quando cheguei, Che estava sentado num banco. Quando ele me viu, disse: "Você veio aqui para me matar." Senti-me envergonhado e abaixei a cabeça sem responder. Então ele perguntou-me: "O que diseeram os outros?". Eu respondi que não tinham dito nada e ele retorquiu: "Eles são uns bravos!". Eu não me atrevia a disparar. Naquele momento eu vi o Che grande, muito grande, enorme. Seus olhos brilhavam intensamente. Quando ele me olhou fixamente, fiquei tonto. Eu pensei que com um movimento rápido Che poderia tirar-me a arma. "Por favor, calma ", disse ele."Aponte-a bem! Vai matar um homem!" . Então dei um passo atrás,dirigindo-me para a porta.Fechei os olhos e disparei a primeira salva. Che, com as pernas quebradas, caiu no chão, contorceu-se e começou a deitar muito sangue. Recuperei o meu ânimo e atirei a segunda salva de disparos, que feriu o seu braço, ombros e coração. Ele estava morto.


Após o assassinato de Che Guevara, Felix Rodríguez ordenou que o corpo de Che fosse amarrado a um helicóptero e transportado para a cidade vizinha de Vallegrande, onde foi exposto ao público por dois dias, antes de ser enterrado secretamente numa vala comum apenas descoberta em 1997.

A morte de Ernesto Guevara e a participação dos Estados Unidos nessa captura foi muito discutida. Originalmente, os Estados Unidos e o governo boliviano declararam publicamente que ele havia morrido em combate em 08 de outubro de 1967. No entanto, estas declarações tornaram-se, sem dúvida falsas, e todos confirmaram que ele foi filmado clandestinamente e ilegalmente, em 09 de Outubro após o meio dia. Sendo que em 1975 começou a ser questionado o papel da CIA no assassinato de vários líderes políticos, a agência começou a liberar informações, e no caso particular de Che Guevarra ,a mesma agência admitiu não ter participado no seu assassinato.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.