René Barrientos Ortuño

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Predefinição:Info/Político/Presidieente

René Barrientos Ortuño (Tarata, Cochabamba, 30 de maio de 1919Arque, 27 de abril de 1969) foi um militar e político boliviano, vice-presidente de seu país em 1964 e presidente da Bolívia entre 5 de novembro de 1964 e 26 de maio de 1965 e novamente entre 6 de agosto de 1966 e 27 de abril de 1969.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nativo de Tarata, no departamento de Cochabamba, Barrientos era um oficial militar de carreira, tendo obtido a sua licença de piloto em 1945. Mais tarde, nos anos 1940, tornou-se um reformista em direção ao Movimento Nacionalista Revolucionário (NRM em inglês) do partido de Víctor Paz Estenssoro. Barrientos desempenhara um papel na revolução boliviana de 1952, quando o MRN derrubou a ordem estabelecida e tomou o poder. De fato, foi-lhe concedida a honra de sair do país para trazer de volta o líder revolucionário Víctor Paz Estenssoro, no exílio, uma vez que a rebelião foi bem sucedida. Em 1957, Barrientos foi recompensado sendo nomeado comandante da Força Aérea Boliviana. Barrientos é também conhecido pela conquista do apoio da elite de seu país e principalmente da CIA para executar o plano de assassinar o famoso revolucionário cubano Che Guevara.

O revolucionario morreu com tiros por René Barrientos.

Precedido por
Víctor Paz Estenssoro
Presidentes de Bolívia
1964 - 1965
Sucedido por
Alfredo Ovando Candia
Precedido por
Alfredo Ovando Candia
Presidentes de Bolívia
1966 - 1969
Sucedido por
Luis Adolfo Siles Salinas



Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.