Fanta Konatê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fanta Konatê
Cidadania Guiné
Ocupação cantora, compositora, ativista, bailarina

Fanta Konatê (Guiné-Conacri) cantora, bailarina, compositora e ativista cultural fundadora do Instituto África Viva, vencedora do Prêmio Luiza Mahin e considerada uma referência cultural da Guiné Conacri. [1][2][3][4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fanta nasceu na Guiné-Conacri no seio de uma das famílias mais representativas da arte tradicional Malinkê da região do Hamaná, sendo considerada como uma das representantes da cultura mandinga. [1][2][5][6][7][8][9]

Percurso[editar | editar código-fonte]

Como artista, Fanta participou na adolescência nos Balés “Hamaná”, “Faretá”, “Bolontá” e “Soleil d´Afrique", em Conacri.[10] Já adulta, tornou-se cantora, bailarina e compositora tendo apresentado o seu trabalho no Japão, Suécia, Polónia, Argentina, Chile e no Brasil. [2][4][10]

No campo social, Fanta foi arte-educadora na ONG Médicos Sem Fronteiras e Coordenadora do Instituto Famodou Konatê, em São Paulo. [5][10][9] Fanta foi também co-fundadora do Instituto África Viva, juntamente com Luis Kinugawa. Esta organização promove a integração das culturas da Guiné e do Brasil visando o desenvolvimento humano e a inclusão social. [5][9][11]

Reconhecimentos e Prémios[editar | editar código-fonte]

Em 2011, Fanta ganhou a 1ª edição do Prémio Luiza Mahin da Coordenadoria do Negro de São Paulo. Este prémio valoriza a cultura negra, a inclusão social e a luta anti-discriminatória e foi instituído no âmbito do Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, de São Paulo.[12][13][3]

Obra[editar | editar código-fonte]

A sua obra combina a cultura brasileira, o jazz e a música do oeste africano e nela são abordados temas relacionados com causas sociais.[14][2]

  • 2007 - lançou o álbum Djubafedeá [2]
  • 2016 - participou da Trilha de Abertura das Olimpíadas Rio de Janeiro [4] [3]
  • 2018 - lançou o álbum Fanta Konatê [1]

Referências

  1. a b c Santos, Willians (19 de maio de 2020). «9 Artistas da música africana que viveram ou vivem no Brasil pra ouvir durante a quarentena». Hits Perdidos. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  2. a b c d e Lucas, Josie. «Tradições Africanas e inovação no novo clipe de Fanta Konaté – Mulher na Música». Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  3. a b c Redação 1. «Memorial UGT recebe Fanta Konatê | Jornal Tribuna Ribeirão». Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  4. a b c «DVD da Fanta Konatê #queroflex». Catarse. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  5. a b c «Tratore - Fanta Konate». tratore.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  6. «Entrevista com Fanta Konatê | Blog Fundação Ema Klabin». Fundação Ema Klabin. 17 de maio de 2018. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  7. «Portal da Câmara dos Deputados». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  8. Povo, O. (10 de abril de 2018). «A África sagrada de Fanta Konatê». O Povo - Flavio Paiva. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  9. a b c «Mulheres comprometidas com a valorização da cultura negra são homenageiadas». Portal meionorte.com. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  10. a b c «Fanta Konaté: a trilha musical do encontro de uma artista com o Brasil | ATLANTICO». Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  11. «Malinkê com Fanta Konate e Troupe Djembedon». Estúdio Mawaca. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  12. «Conheça o Prêmio Luiza Mahin e confira as premiadas 2011 – Festival Feira Preta 2020». Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  13. «Sete mulheres receberam o I Prêmio Luiza Mahin». Geledés. 27 de julho de 2011. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  14. «Fanta Konatê - Shows». Guia Folha. Consultado em 11 de janeiro de 2021 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.