George Tenet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
George Tenet
Nascimento George John Tenet
5 de janeiro de 1953 (69 anos)
Nova Iorque
Cidadania Estados Unidos
Alma mater
  • Walsh School of Foreign Service
  • Universidade Columbia
  • Escola de Assuntos Internacionais e Públicos, Universidade de Columbia
  • State University of New York at Cortland
  • Benjamin N. Cardozo High School
Ocupação político, oficial de inteligência
Prêmios
Empregador Universidade de Georgetown
Assinatura
George Tenet signature.svg

George John Tenet (5 de Janeiro de 1953, Nova York, EUA) é um político americano de origem grega, foi director da CIA de 16 de dezembro de 1996 até 11 de julho de 2004.[1][2]

Tenet fez os estudos na Escola de Diplomacia da Universidade de Georgetown e na Escola de Relações Internacionais da Universidade de Columbia. Em 1982 integrou a equipa do senador John Heinz, onde ao longo de três anos foi director legislativo e assistente para a segurança nacional e para a energia.

Em 1985 passou a director do comité de supervisão das negociações para o controlo de armamento entre a União Soviética e os Estados Unidos da América. Nesse âmbito fez um relatório para o Senado sobre a capacidade dos serviços secretos norte-americanos em vigiar o tratado intermédio de armas nucleares.

Posteriormente, foi membro da equipa de segurança nacional do presidente Bill Clinton, onde coordenou a avaliação da comunidade norte-americana de serviços secretos. Foi também director de equipa do Comité Especial do Senado para os Serviços Secretos durante quatro anos. Entre as suas funções estava a elaboração de legislação para reorganizar os serviços secretos norte-americanos e a coordenação de todas as actividades de supervisão e legislativas dos comités do Senado.

Posteriormente, ainda durante a administração Clinton (1993-2001), de quem foi conselheiro especial, passou a integrar o Conselho Nacional de Segurança, onde dirigiu os programas de serviços secretos. No Conselho de Segurança Nacional coordenou, entre outras, as directivas presidenciais em matéria de prioridades dos serviços secretos e da coordenação da política de segurança, Tenet começou a exercer cargos directivos na CIA (Central Intelligence Agency), a agência norte-americana de serviços secretos, em Julho de 1995.

Tomou posse como director da CIA a 11 de Julho de 1997.[1] A sua nomeação foi aprovada por unanimidade pelo Comité Especial do Senado para os Serviços Secretos e pelo Senado norte-americano. Ao tomar posse como director da CIA, passou também a dirigir todos as agências internacionais de serviços secretos norte-americanos. Em 2000, o republicano George W. Bush substituiu o democrata Clinton na presidência, mas ao contrário do habitual nestas situações Tenet manteve-se no cargo, graças à sua independência face ao poder político.[1] Após os ataques terroristas da Al-Qaeda nos Estados Unidos da América em 11 de Setembro de 2001 ao Pentágono e ao World Trade Center, Tenet demorou apenas quatro dias para apresentar uma campanha anti-terrorista em 80 países.

A 3 de Junho de 2004 George Tenet pediu demissão de director da CIA, alegando razões pessoais, ao fim de sete anos no cargo, um dos mais longos mandatos na agência.[2] Apesar de tal não ter sido assumido, a sua resignação estará relacionada com o facto de os norte-americanos não terem encontrado armas de destruição maciça no Iraque, após a invasão em 2003. Tenet renunciou o cargo em 11 de julho de 2004.[2]

Referências

  1. a b c Usborne, David (12 de dezembro de 2014). «George Tenet profile: The CIA's former head and torturer-in-chief». The Independent (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2021 
  2. a b c «Tenet: Resigning with head 'very, very high'». CNN. 3 de junho de 2004. Consultado em 5 de fevereiro de 2021