Gianni Carta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Gianni Carta (São Paulo, novembro de 1963Paris, 5 de maio de 2019) foi um jornalista e cientista político brasileiro.[1][2]


Gianni Carta
Nome completo Gianni Carta
Nascimento novembro de 1963
São Paulo
Morte 5 de maio de 2019 (55 anos)
Paris
Nacionalidade  Brasil
Progenitores Pai: Mino Carta
Cônjuge Valérie Ranchoux-Carta
Filho(s) 2
Alma mater Universidade de Boston

Universidade da Califórnia em Los Angeles

Ocupação Jornalista, Cientista político

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do jornalista Mino Carta, Gianni formou-se em Ciências Políticas pela Universidade da Califórnia em Los Angeles e fez pós-graduação em Relações internacionais pela Universidade de Boston e pela École des Hautes Études Internationales de Paris.[3] Chegou a dar aulas de tênis nos Estados Unidos para custear seus estudos acadêmicos.[1]

Poliglota, falava com fluência português, inglês, espanhol, francês, italiano.[1]

Foi correspondente internacional na Europa e nos Estados Unidos, tendo colaborado para publicações como a revista Carta Capital, onde também exerceu funções de direção, além de veículos estrangeiros, como The Guardian, BBC, CBS e Deutsche Welle.[1]

Em maio de 2019, Gianni morreu em Paris por complicações decorrentes de um câncer nas vias biliares.[1][2] Deixou a esposa Valérie Ranchoux-Carta e os filhos Sophia e Nicholas.[1]

Referências

  1. a b c d e f «Mortes: Jornalista ensinou tênis para estudar ciência política e era crítico do Brasil». Folha de S.Paulo. 8 de maio de 2019. Consultado em 11 de maio de 2020 
  2. a b «Jornalistas, políticos e intelectuais lamentam a morte de Gianni Carta». Carta Capital. 6 de maio de 2019. Consultado em 11 de maio de 2020 
  3. «Morre na França o jornalista Gianni Carta». IstoÉ. 6 de maio de 2019. Consultado em 11 de maio de 2020 

Veja também[editar | editar código-fonte]