Gliese 176

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gliese 176
Dados observacionais (J2000)
Constelação Taurus
Asc. reta 04h 42m 55,77s[1]
Declinação +18° 57′ 29,40″[1]
Magnitude aparente 9,951[2]
Características
Tipo espectral M2.5V[1]
Cor (U-B) 1,178[2]
Cor (B-V) 1,539[2]
Variabilidade rotacional[3]
Astrometria
Velocidade radial 26,41 km/s[1]
Mov. próprio (AR) 656,38 mas/a[4]
Mov. próprio (DEC) -1116,50 mas/a[4]
Paralaxe 105,5627 ± 0,0700 mas[4]
Distância 30,897 ± 0,020 anos-luz
9,4730 ± 0,0063 pc
Magnitude absoluta 10,10 ± 0,06[3]
Detalhes
Massa 0,50[3] M
Raio 0,4525 ± 0,0221[5] R
Gravidade superficial log g = 4,75 ± 0,04 cgs[6]
Luminosidade 0,0337 ± 0,0018[5] L
Temperatura 3679 ± 77[5] K
Metalicidade [Fe/H] = 0,03 ± 0,09[6]
Rotação v sin i = <0,8 km/s[3]
Período = 39,3 ± 0,1 dias[7]
Outras denominações
BD+18 683, GJ 176, HD 285968, HIP 21932, Ross 33.[1]
Gliese 176
Taurus constellation map.png

Gliese 176 (GJ 176) é uma estrela na constelação de Taurus. Tem uma magnitude aparente visual de 9,95,[2] não podendo ser vista a olho nu. Com base em medições de paralaxe, do segundo lançamento do catálogo Gaia, é uma estrela próxima localizada uma distância de 30,9 anos-luz (9,5 parsecs) da Terra.[4] É portanto uma estrela de baixa luminosidade com uma magnitude absoluta igual a 10,1.[3] Atualmente se afastado do Sistema Solar com uma velocidade radial de 26,4 km/s,[1] Gliese 176 fez sua maior aproximação ao Sol há cerca de 60,7 mil anos, quando chegou a uma distância mínima de 27,46 anos-luz (8,42 parsecs) do Sol.[8]

Gliese 176 é uma anã vermelha típica com um tipo espectral de M2.5V e uma massa de aproximadamente metade da massa solar.[3] Com um raio de 45% do raio solar e uma temperatura efetiva de 3 680 K, esta estrela está brilhando com apenas 3% da luminosidade solar.[5] Seu conteúdo metálico é igual ao solar dentro das incertezas.[6] Como é comum entre anãs vermelhas, Gliese 176 é uma estrela moderadamente ativa e possui manchas estelares, causando variações na magnitude, na velocidade radial, e em índices espectrais de atividade conforme a estrela rotaciona com um período de 39 dias.[3][7][9] Há evidências para a existência de um ciclo de atividade magnética a longo prazo semelhante ao ciclo solar.[9]

Em 2008 foi anunciada a detecção de um planeta extrassolar de 24,5 massas terrestres em uma órbita de 10,24 dias em torno de Gliese 176.[10] Em 2009, dois estudos independentes com observações adicionais da estrela não conseguiram detectar o planeta, que é considerado uma descoberta falsa.[11][3] Em vez do sinal de 10,24 dias, a velocidade radial da estrela apresenta variabilidade consistente com a presença de um planeta com um período orbital de 8,78 dias, que é uma super-Terra com massa mínima de 8,4 massas terrestres. Sua órbita é próxima de circular e tem um semieixo maior de 0,066 UA.[3]

O sistema Gliese 176 [3]
Planeta Massa Semieixo maior
(UA)
Período orbital
(dias)
Excentricidade
b >8,4 M 0,066 8,7836 ± 0,0054 0

Referências

  1. a b c d e f «HD 285968 -- High proper-motion Star». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 3 de dezembro de 2017. 
  2. a b c d Koen, C.; Kilkenny, D.; van Wyk, F.; Marang, F. (abril de 2010). «UBV(RI)C JHK observations of Hipparcos-selected nearby stars». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 403 (4): pp. 1949-1968. Bibcode:2010MNRAS.403.1949K. doi:10.1111/j.1365-2966.2009.16182.x 
  3. a b c d e f g h i j Forveille, T.; et al. (janeiro de 2009). «The HARPS search for southern extra-solar planets. XIV. Gl 176b, a super-Earth rather than a Neptune, and at a different period». Astronomy and Astrophysics. 493 (2): pp.645-650. Bibcode:2009A&A...493..645F. doi:10.1051/0004-6361:200810557 
  4. a b c d Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. 616: A1, 22 pp. Bibcode:2018A&A...616A...1G. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  5. a b c d von Braun, Kaspar; et al. (março de 2014). «Stellar diameters and temperatures - V. 11 newly characterized exoplanet host stars». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 438 (3): p.2413-2425. Bibcode:2014MNRAS.438.2413V. doi:10.1093/mnras/stt2360 
  6. a b c Maldonado, J.; et al. (maio de 2015). «Stellar parameters of early-M dwarfs from ratios of spectral features at optical wavelengths». Astronomy & Astrophysics. 577: A132, 13 pp. Bibcode:2015A&A...577A.132M. doi:10.1051/0004-6361/201525797 
  7. a b Suárez Mascareño, A.; Rebolo, R.; González Hernández, J. I.; Esposito, M. (setembro de 2015). «Rotation periods of late-type dwarf stars from time series high-resolution spectroscopy of chromospheric indicators». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 452 (3): p.2745-2756. Bibcode:2015MNRAS.452.2745S. doi:10.1093/mnras/stv1441 
  8. Bailer-Jones, C. A. L. (março de 2015). «Close encounters of the stellar kind». Astronomy & Astrophysics. 575: A35, 13 pp. Bibcode:2015A&A...575A..35B. doi:10.1051/0004-6361/201425221 
  9. a b Robertson, Paul; et al. (março de 2015). «Stellar Activity and its Implications for Exoplanet Detection on GJ 176». The Astrophysical Journal. 801 (2): artigo 79, 12 pp. Bibcode:2015ApJ...801...79R. doi:10.1088/0004-637X/801/2/79 
  10. Endl, Michael; Cochran, William D.; Wittenmyer, Robert A.; Boss, Alan P. (fevereiro de 2008). «An m sin i = 24 M Planetary Companion to the Nearby M Dwarf GJ 176». The Astrophysical Journal. 673 (2): pp. 1165-1168. Bibcode:2008ApJ...673.1165E. doi:10.1086/524703 
  11. Butler, R. Paul; Howard, Andrew W.; Vogt, Steven S.; Wright, Jason T. (fevereiro de 2009). «Nondetection of the Neptune-Mass Planet Reported Around GJ 176». The Astrophysical Journal. 691 (2): pp. 1738-1743. Bibcode:2009ApJ...691.1738B. doi:10.1088/0004-637X/691/2/1738 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]