Ciclo solar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o Ciclo solar nos calendários litúrgicos, veja Ciclo solar nos calendários.
Um ciclo solar: uma montagem de dez anos de imagens Yohkoh SXT, demonstrando a variação na atividade solar durante um ciclo de manchas solares, de 30 de agosto de 1991 a 6 de setembro de 2001. Crédito: a missão Yohkoh da JAXA (Japão) e NASA (EUA).
O mínimo de Maunder em uma história de 400 anos de observação de números de manchas solares.

Ciclo Solar de Schwabe, conhecido popularmente apenas como ciclo solar, é o ciclo com uma série de fenômenos determinados do Sol que ocorrem em intervalos de aproximadamente onze anos.[1] O atual ciclo é o de número 25.[2]

A observação das ondas solares é o passo fundamental para a compreensão do cosmos e do espaço.[1] O Sol é um laboratório para a obtenção in situ de dados necessários para a elaboração das teorias de entendimento dos processos, fenômenos e suas causas, que ocorrem em todos os corpos do Sistema Solar e do Universo.[1]

A máxima duração de um ciclo solar foi de treze anos e oito meses, pertence ao ciclo 4 (de setembro de 1784 a maio de 1798). O ciclo de menor duração foi o número 2, com nove anos exatos (de junho de 1766 a junho de 1775).[1] Nos períodos de atividade mais elevada, conhecidos como máximo solar, as manchas solares aparecem, enquanto que períodos de atividades mais baixas são denominados de mínimo solar.[1]

Monitoramento solar[editar | editar código-fonte]

Anualmente, as explosões solares causam prejuízos de aproximadamente um bilhão de dólares nos equipamentos de satélites; por estarem em órbita não recebem a proteção nas camadas altas da atmosfera e, durante essa explosão, os prótons colidem com uma velocidade de mais de cem mil km/s.[3]

Ciclos recentes[editar | editar código-fonte]

Ciclo solar 22[editar | editar código-fonte]

O ciclo solar 22, iniciou no mês de setembro de 1986 e finalizou em outubro de 1996. Sua duração foi de dez anos e um mês. Notou-se que ainda continua a tendência de ciclos curtos. Estes predominam desde 1913.

Ciclo solar 23[editar | editar código-fonte]

O início oficial do ciclo 23 foi arbitrado no mês de outubro de 1996. Houve controvérsias se em maio ou outubro, pois não se havia detectado com certeza o fim do ciclo 22, e o começo do ciclo 23 aparentava anormal devido à demora em aparecerem os grupos de manchas e por não coincidir o mês de valor mínimo da média suavizada (maio de 1996, com 8,1 unidades).

O mês em que se registrou a média mensal menor (outubro de 1996, com 0,9 unidades) acabou motivando discrepâncias na hora de fixar o início do ciclo. Na realidade, após fixado o começo do ciclo, este segue seu avanço até o máximo dentro do normal, em comparação aos ciclos anteriores.

As publicações do S.I.D.C. demonstraram num primeiro momento "o início do ciclo 23 em maio de 1996", com uma média suavizada de 8,1, ligeiramente inferior aos 8,6 registrados nos meses de abril e junho. Um comportamento anormal da média suavizada foi observado a partir do mês de julho, quando a mesma começou a descer, alcançando o valor de 8,5 em agosto e chegando aos 8,4, para aumentar de novo em setembro, com 8,5, e continuar sua subida até o mês de maio de 1999, com um valor de 90,4 unidades.

A decisão foi tomada pelos centros mundiais de observação solar como o Sunspot Index Data Center (S.I.D.C.), de Bruxelas, Bélgica, adotando por consenso o mês de outubro de 1996 como fim do ciclo solar 22 e início do ciclo solar 23. Para esta decisão, levou-se em consideração que durante aquele mês foi registrado o mínimo absoluto das médias mensais do número de Wolf com um valor de 0,9 unidades, no total de 37 dias com o Sol livre de manchas, e existiu um período de 66 dias de 4 de setembro a 8 de novembro, durante o qual só houve cinco dias com manchas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliográfia[editar | editar código-fonte]

  • Steffen, A. C., Moraes, E. C., Gama, F. F. Radiometria óptica espectral. In: Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, VIII. Salvador, 14-19. Abr., 1996. Tutorial São José dos Campos. INPE, 1996. 43p.
  • BARNES, A. Solar system plasma physics. Amsterdam: North-Holland Publishing Company, 1979.

Referências

  1. a b c d e Freitas, Eduardo de. «Ciclo solar de schwaber. Definição do ciclo solar de schwaber». Astronomia. Brasil Escola. Consultado em 15 de junho de 2020 
  2. «Hello Solar Cycle 25». National Weather Service. 15 de setembro de 2020. Consultado em 2 de julho de 2021 
  3. «APOLO11.COM - Monitoramento da atividade solar, Imagens do Sol e tempestades geomagneticas». www.apolo11.com. Consultado em 15 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]