Gytha Thorkelsdóttir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gytha Thorkelsdóttir
Gytha retratada por artistas modernos em um vitral na Igreja de São Nectan, em Hartland, Devon, fundada por Gytha
Cônjuge Goduíno de Wessex
Casa Knýtlinga (por nascimento)
Casa de Goduíno(por casamento)
Nome completo
Gȳða Þorkelsdōttir
Nascimento 1001
Morte após 1069 (68 anos)
Pai Torkel Styrbjörnsson

Gytha Thorkelsdóttir (em inglês antigo: Gȳða Þorkelsdōttir, 1001 – após 1069), também chamada de Githa, foi a filha de Torkel Styrbjörnsson (também chamado de Thorkel)[1] e esposa do nobre anglo-saxão Goduíno de Wessex.

Eles tinham uma grande família unida, dos quais cinco filhos tornaram-se condes em um momento ou outro, três condes ficaram vivos até 1066:

Dois de seus filhos, Haroldo e Tostig, se enfrentaram na batalha de Stamford Bridge, onde Tostig foi morto. Menos de um mês depois, três de seus filhos, Haroldo, Gurt e Leofivino, foram mortos na batalha de Hastings.

Pouco tempo após a batalha de Hastings, Gytha estava morando em Exeter e pode ter causado a rebelião da cidade contra Guilherme, o Conquistador, em 1067, que para a cidade resultou em seu cerco.[2] Ela implorou em vão para que ele devolvesse o corpo de seu filho morto, o rei Haroldo.[3] De acordo com a Crônica Anglo-Saxônica, Gytha deixou a Inglaterra após a conquista normanda, em conjunto com as esposas ou viúvas e famílias de outros proeminentes anglo-saxões, todas as propriedades da família de Goduíno foram confiscadas pelo duque. Pouco se sabe sobre sua vida após essa época, embora seja provável que ela foi para a Escandinávia (como sua neta e homônima), onde tinha parentes.

Seu filho mais novo e sobrevivente, Vulfonoto, viveu quase toda sua vida em cativeiro na Normandia até a morte do Conquistador, em 1087. Apenas a filha mais velha, a rainha Edite (d. 1075), ainda tinha algum poder (no entanto nominal) como a viúva de Eduardo, o Confessor.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Linhagens tardias fizeram com que Thorgil, o filho do príncipe sueco deserdado Styrbjörn, o Forte, o conquistador de Jomsborg e Tyra, a filha de Haroldo Dente-Azul rei da Noruega e Dinamarca. No entanto, esta descendência das antigas casas reais sueca e dinamarquesa acredita-se que seja uma invenção tardia para dar seu irmão, o ancestral dos reis dinamarqueses posteriores, alguns afirmam sangue real.
  2. Hoskins, W. G. (2004). Two Thousand Years in Exeter (em inglês) Revisado e atualizado ed. Chichester: Phillimore. p. 25–26. ISBN 1-86077-303-6 
  3. Jones, Kaye (2010). 1066 In An Hour (em inglês). [S.l.]: History In An Hour. p. 33. ISBN 1452392315