Happy Days (série)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2014).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Happy Days
Dias Felizes (BR)
Informação geral
Formato Sitcom
Género Comédia
Duração 22 minutos
Criador(es) Garry Marshall
País de origem  Estados Unidos
Idioma original Inglês
Produção
Elenco Ron Howard
Henry Winkler
Pat Morita
Exibição
Emissora de televisão original Estados Unidos ABC
Transmissão original 15 de Janeiro de 1974 - 12 de Junho de 1984
N.º de temporadas 11
N.º de episódios 255
Cronologia
Laverne & Shirley

Happy Days (br: Dias Felizes) foi uma sitcom norte-americana exibida no final da década de 1970 pelo canal ABC. É considerada, até hoje, um fenômeno cultural em seu país de origem, tendo gerado spin-offs (séries que "derivam" de outra já existente) e marcado a carreira do ator Henry Winkler, que interpretou o personagem "Fonzie"[1].

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A série apresentava uma visão idealizada da vida em meados dos anos 50 a meados dos anos 60 na América. A família é composta por Howard Cunningham, dono de uma loja de ferragens, sua esposa, a dona de casa Marion e os dois filhos do casal, Richie, um adolescente que mostra-se ingênuo e pouco otimista, e a doce mas resolvida Joanie, sua irmã mais jovem.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Influência na cultura[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, o casal possuía três filhos - Chuck, Richie e Joanie - mas o personagem Chuck foi retirado da série a partir da terceira temporada. Nunca uma série de televisão dispensou um tratamento como este a um personagem, tendo esse fenômeno gerado uma expressão idiomática própria usada até os dias de hoje na televisão americana: a "Síndrome de Chuck Cunningham" (Chuck Cunningham Syndrome), consistente no súbito e inexplicável sumiço de um personagem.

Da mesma forma, criaram-se outras expressões: o personagem Fonzie, interpretado pelo ator Henry Winkler, era um adolescente arruaceiro e malandro, que andava em gangues e simbolizava uma espécie de "James Dean" na série. Porém, o personagem, inicialmente coadjuvante, fez um enorme sucesso entre o público, aos poucos "invadindo" o espaço de outros personagens (incluindo o do próprio protagonista Richie) e tornando-se, em vias práticas, o protagonista da série (e oficialmente após a saída de Ron Howard, que interpretava Richie). As histórias principais da série giravam todas em torno de Fonzie e Richie e os demais personagens ficaram em segundo plano. A isso deu-se o nome de "efeito Fonzie", que ocorre quando um personagem secundário se torna tão popular a ponto de ofuscar até mesmo o protagonista da série.

Outro termo muito popular originado da série e utilizado até hoje é o chamado "Pulo do Tubarão" (Jumping the shark): na estréia da quinta temporada da série, a cena inicial mostrava Fonzie praticando esqui aquático e pulando por cima de um tubarão, numa cena completamente sem propósito com relação ao tema central. A partir desta temporada, críticos e fãs notaram que este "pulo do tubarão" foi um ponto marcante, a partir do qual a série só decairia em todos os aspectos. Portanto, quando se diz que uma produção televisiva ou cinematográfica "pulou o tubarão", significa que ela já alcançou o ápice da criatividade e da inovação, e a partir dele somente entrará em declínio.

Referências

  1. «Happy Days». Sitcoms Online. Consultado em 2 de janeiro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.