Himalia (satélite)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Himalia
Satélite Júpiter IV
Himalia vista pela Cassini-Huygens.
Características orbitais[1]
Semieixo maior 11 460 000 km
Periastro 9 782 900 km
Apoastro 13 082 000 km
Excentricidade 0,16
Período orbital 250,56 dias (0,704 anos)
Velocidade orbital média 3,312 km/s
Inclinação 27,50 °
Características físicas
Diâmetro equatorial 170[2] km
Área da superfície ~90 800 km²
Volume ~2 570 000 km³
Massa 4,19×1018 kg
Densidade média 1,63 g/cm³
Gravidade equatorial 0,006 g
Período de rotação 7,782 horas[3]
Velocidade de escape ~0,100 km/s
Albedo 0,04[2][4]
Temperatura média: -149 ºC
Magnitude aparente 14,6[2]
Composição da atmosfera
Pressão atmosférica 0 kPa

Himalia é a maior lua irregular de Júpiter. Foi descoberta em 1904 por Charles Dillon Perrine no observatório Lick.[5] A lua recebeu o nome da ninfa Himalia, que na mitologia grega teve três filhos com Zeus.

Em 19 de dezembro de 2000 a sonda espacial Cassini-Huygens tirou uma foto de baixa resolução de Himalia, mas devido à distância não pôde ser muito bem observada.

Himalia somente recebeu este nome em 1975;[6] antes disso era simplesmente chamada de Júpiter VI. Ela também já foi chamada de Héstia entre 1955 e 1975.[7]

Um dos grupos de luas de Júpiter tem seu nome.[8]

Referências

  1. Jacobson, R. A. (2000). «The orbits of outer Jovian satellites». Astronomical Journal [S.l.: s.n.] 120: 2679–2686. doi:10.1086/316817. 
  2. a b c «Planetary Satellite Physical Parameters». JPL (Solar System Dynamics). 2008-10-24. Consultado em 11/12/2008. 
  3. Pilcher, Frederick; Mottola, Stefano; Denk, Tilmann (2012). «Photometric lightcurve and rotation period of Himalia (Jupiter VI)». Icarus [S.l.: s.n.] 219 (2): 741–742. doi:10.1016/j.icarus.2012.03.021. 
  4. Porco, Carolyn C.; et al. (2003). «Cassini Imaging of Jupiter's Atmosphere, Satellites, and Rings». Science [S.l.: s.n.] 299 (5612): 1541–1547. doi:10.1126/science.1079462. PMID 12624258. 
  5. «Discovery of a Sixth Satellite of Jupiter». Astronomical Journal [S.l.: s.n.] 24 (18): 154B. 1905. 
  6. Marsden, B. G. (7 de outubro de 1974). «Satellites of Jupiter». IAUC Circular [S.l.: s.n.] 2846. 
  7. Payne-Gaposchkin, Cecilia; Katherine Haramundanis (1970). Introduction to Astronomy (Englewood Cliffs, N.J.: Prentice-Hall). ISBN 0-134-78107-4. 
  8. Jewitt, David C.; Sheppard, Scott, and Porco, Carolyn (2004). Bagenal, F.; Dowling, T.E.; McKinnon, W.B., : . Jupiter’s Outer Satellites and Trojans (pdf) Cambridge University Press [S.l.] 
Ícone de esboço Este artigo sobre um satélite natural é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.