Hiroshima, Meu Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Hiroshima mon amour
Hiroshima, Meu Amor (BRA)
 França
 Japão

1959 •  pb •  90 min 
Direção Alain Resnais
Roteiro Marguerite Duras
Elenco Emmanuelle Riva

Eiji Okada
Bernard Fresson
Stella Dassas
Pierre Barbaud

Género drama romântico
Idioma língua francesa

Hiroshima mon amour (br/pt Hiroshima, Meu Amor[1][2]) é um filme franco-japonês de 1959, um drama e romance dirigido pelo cineasta Alain Resnais, com roteiro de Marguerite Duras. A história é sobre um relacionamento amoroso entre uma mulher francesa e um japonês. O filme fez uso inovador de flashbacks. É considerado um dos filmes mais importantes da história do cinema, o filme ganhou muita polêmica na época de lançamento por possivelmente ofender descendentes alemães e por esse motivo ele foi tirado da competição oficial do Festival de Cannes em 1959, apenas sendo apresentado e sem poder concorrer a Palma de Ouro como os outros.

É um dos grandes ícones do cinema francês e um dos mais famosos e influentes da Nouvelle Vague.

Jean-Luc Godard sobre o filme: "O primeiro filme sem nenhuma referência cinematográfica", Claude Chabrol sobre o filme: "O filme mais belo que eu já vi", François Truffaut sobre o filme: "Uma vez que você viu Hiroshima mon amour, se torna impossível fazer filmes da mesma maneira que você costumava fazer".

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Uma casada atriz francesa passa seu último dia na cidade de Hiroshima terminando sua participação em um filme sobre a paz e o seu relacionamento amoroso com um casado arquiteto japonês, que aos poucos a lembra de um trágico amor que ela teve durante a guerra. O filme analisa a memória, a psicologia, o comportamento dos personagens vivendo em um mundo sem perspectiva e com os traumas que os afligem.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Emmanuelle Riva .... Ela
  • Eiji Okada .... Ele
  • Bernard Fresson .... Amante Alemão
  • Stella Dassas .... A Mãe
  • Pierre Barbaud .... O Pai

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar (1961)

  • Indicado na categoria de melhor roteiro original

BAFTA (1960)

  • Vencedor do prêmio United Nations Award
  • Indicado na categoria de melhor filme
  • Indicado na categoria de melhor atriz estrangeira (Emmanuelle Riva)
Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. Hiroshima, Meu Amor (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  2. Hiroshima, Meu Amor no SapoMag (Portugal)
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme francês é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.