I Walked with a Zombie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde dezembro de 2012.
I Walked with a Zombie
 Estados Unidos
1943 •  pb •  69 min 
Direção Jacques Tourneur
Produção Val Lewton
Roteiro Inez Wallace (história)
Curt Siodmak
Ardel Wray
Elenco James Ellison,
Frances Dee,
Tom Conway
Género horror
Cinematografia J. Roy Hunt
Edição Mark Pobson
Distribuição RKO Pictures
Lançamento Estados Unidos 30 de April de 1943
Portugal 31 de maio de 1948
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

I Walked with a Zombie é um filme americano de 1943 do gênero "Horror" dirigido por Jacques Tourneur. Foi o segundo filme do gênero do produtor Val Lewton para a RKO Pictures; o primeiro foi o bem-sucedido Cat People de 1942, também dirigido por Tourneur. O filme foi editado por Mark Robson, que mais tarde dirigiria The Seventh Victim e The Ghost Ship para o mesmo produtor.

Em 2007, Stylus Magazine o escolheu como o quinto melhor filme de zumbis de todos os tempos.[1]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Betsy Connell é uma enfermeira canadense que narra a história do filme. Ela foi contratada para cuidar de Jessica Holland, esposa de Paul Holland, proprietário de um engenho de açúcar na ilha caribenha de São Sebastião. A população do lugar é majoritariamente formada de descendentes de escravos africanos. Os poucos brancos são médicos e policiais. Betsy vai até Forte Holland, e conhece o meio-irmão de Paul, Wesley Rand. Durante a noite ela ouve uma mulher chorando e ao sair do quarto ela encontra Jessica Holland, que caminha pela torre da casa como um fantasma em uma camisola branca. Ela se assusta e acha que a mulher sofre de alguma enfermidade mental.

O choro era de Alma (Theresa Harris), uma servente descendente de africanos que acabara de ter um bebê. Paul explica que os nativos tinham o costume de chorarem quando um bebê nascia e festejarem nos velórios, lembrando de quando eram escravos e levavam uma vida de sofrimentos.

Na manhã seguinte Betsy conversa com o médico de Jessica, Dr. Maxwell (James Bell), que explica que a doença de Jessica foi causada por uma intensa febre tropical que destruiu parte de sua medula.

Em seu dia de folga, Betsy vai a cidade e se encontra com Wesley Rand. Ela ouve uma canção de Calipso (tocada por Sir Lancelot) cuja letra fala do caso de Jessica e Wesley. Quando Weslei adormece bêbado, a mãe dele, Senhora Rand, aparece e ajuda a levá-lo para casa.

Durante o jantar, os irmãos e Betsy ouvem os tambores de um ritual vodu. Betsy sugere ao médico tentar um choque de insulina em Jessica, mas isso não causa efeito. Então ela resolve levar a sua paciente até o houmfort, o lugar onde os nativos assistem ao vodu, pois Alma lhe dissera que uma mulher que tinha uma condição similar a de Jessica, conseguira ser curada pelos deuses dos nativos.

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.